2022-04-18T08:16:21-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Segredos da Bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais começam semana com o pé esquerdo, de olho em balanços; Ibovespa acompanha greve do Banco Central

O início da reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) serve como pano de fundo para compor um cenário de cautela

18 de abril de 2022
8:03 - atualizado às 8:16
Acompanhe o que movimenta bolsa, dólar e Ibovespa esta semana.Imagem: Pixabay

O primeiro esquenta da semana começa com os mercados internacionais de olho nos balanços de grandes empresas americanas ao longo dos próximos dias. No entanto, a cautela gerada pelo futuro da política monetária dos Estados Unidos mantém a fraqueza das bolsas no exterior. 

Com as principais praças europeias fechadas hoje, o foco vai para o desempenho dos índices da Ásia. Por lá, os investidores mantiveram as bolsas em baixa, após o PIB chinês crescer 4,8% — acima das projeções. Contudo, a queda de 3,5% no varejo pesou do lado negativo da balança. 

Do outro lado do mundo, os futuros de Wall Street dão sinais de uma abertura no vermelho, em compasso de espera. 

Enquanto isso, o Ibovespa segue de olho na greve dos servidores do Banco Central, que caminha para sua terceira semana. Por falar no BC, o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, participa de evento do Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta segunda-feira (18). 

Na semana passada, o principal índice da B3 acumulou queda de 1,81%. No fechamento da última quinta-feira (14), a queda foi de 0,51%, aos 116.181,61 pontos. Por sua vez, o dólar  acumulou queda de 0,21% em cinco dias, negociado a R$ 4,6963 — alta de 0,61% na quinta-feira. 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Confira o que movimenta as bolsas, dólar e Ibovespa nesta semana:

Foco nas greves e no Banco Central

Os servidores do BC permanecem em greve nesta semana, o que atrasa mais uma vez a divulgação da pesquisa Focus — que traz as projeções do mercado para a economia —, além da publicação da balança comercial e da prévia do PIB, o IBC-Br. 

Quem deve se juntar aos servidores do BC são os funcionários do Tesouro, que devem parar suas atividades na quarta-feira (20), e os auditores da Receita Federal. Estes últimos repudiaram o reajuste de 5%, que não repõe as perdas inflacionárias. 

Ao mesmo tempo, o funcionalismo público segue na briga. Mesmo servidores da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) entendem que o presidente da República, Jair Bolsonaro, descumpriu acordos com representantes da categoria, que marcaram uma assembleia extraordinária para esta terça-feira (19). 

Como isso afeta o Ibovespa

Bolsonaro havia prometido um reajuste para sua base de apoio — os policiais federais — o que gerou descontentamento das demais categorias. Entretanto, o Orçamento para este ano já estava limitado, e o chamado “pacote de benesses” do presidente encontra resistência da equipe técnica da Economia. 

Além disso, o Ministério ainda deve conceder uma coletiva de imprensa sobre o Projeto de Lei Orçamentária (PLDO) para o ano que vem. Nas projeções, o déficit fiscal deve ficar em R$ 25,5 bilhões neste ano. 

Próximos capítulos: fôlego curto na B3

Sem os índices europeus hoje e com a perspectiva de fechamento dos negócios para o feriado de quinta-feira, o Ibovespa deve sentir a falta de liquidez nos próximos dias. 

A agenda local também segue fraca, sem maiores indicadores. Dessa forma, o foco do investidor brasileiro vai para o cenário internacional. 

FMI é foco das bolsas no exterior

O Fundo Monetário Internacional começa sua reunião de primavera na próxima terça-feira (19), com a participação de grandes representantes dos BCs mundiais. Entre eles, Jerome Powell, do Federal Reserve, Christine Lagarde, do BCE, e o próprio Roberto Campos Neto, da autoridade brasileira. 

Na esteira dos acontecimentos, o FMI deve debater temas como o novo cenário internacional, com a retomada das atividades, inflação disparada e encarecimento do crédito nos países. A guerra da Ucrânia deve permanecer como pano de fundo e são esperados comentários de autoridades sobre o conflito. 

Balanços no exterior

Ainda permanece no radar a temporada de balanços nos Estados Unidos. Nomes conhecidos como o Bank of America, Johnson & Johnson, Tesla e Netflix devem divulgar seus dados do terceiro trimestre deste ano. 

A cereja do bolo: Fed contra as bolsas americanas

Por fim, a divulgação do Livro Bege, a publicação do Federal Reserve que traz perspectivas para a economia dos EUA, deve acontecer na próxima quarta-feira (20).

O tom mais agressivo (hawkish, no jargão do mercado) do Fed contra a inflação chegou a assustar os investidores em Wall Street. A alta contratada de 50 pontos-base nos juros para a próxima reunião não deve ser o fim do aperto monetário do maior BC do mundo. 

A redução do balanço patrimonial — em outras palavras, a retirada de estímulos da economia, ou tapering — também deve acelerar nos próximos meses.

Vale lembrar que a injeção de dinheiro do Fed na economia impulsionou o desempenho de ativos de risco nos últimos dois anos, como ações e criptomoedas. Com isso, é esperado que esses investimentos sintam a volta das “vacas magras” no cenário internacional.

Agenda semanal

Segunda-feira (18)

  • Feriado mantém as bolsas na Europa fechadas hoje pelo feriado da Páscoa 
  • FGV: IGP-10 (8h)
  • Estados Unidos: PMI divulga capítulo de panorama econômico global (10h)
  • Banco Central: Presidente do BC, Roberto Campos Neto, participa de painel do FMI (15h30)
  • Economia: Balança comercial semanal (sem horário)

Terça-feira (19)

  • Estados Unidos: Construções de moradias iniciadas em março (9h30)
  • CNI: Sondagem industrial de abril (10h)
  • Estados Unidos: Diretora-gerente do FMI e presidente do Banco Mundial participam de reunião de primavera do fundo monetário internacional (12h30)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo (17h30)
  • China: Banco Central chinês divulga as taxas de referência para empréstimos de 1 a 5 anos, a taxa básica de juros por lá (sem horário)

Quarta-feira (20)

  • FGV: IGP-M de abril (8h)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo (11h30)
  • Estados Unidos: Divulgação do Livro Bege (15h)

Quinta-feira (21)

  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio-desemprego (9h30)
  • Estados Unidos: Presidente do Fed, Jerome Powell, presidente do BCE, Christine Lagarde, diretora-gerente o FMI, Kristalina Georgieva, participam do painel de primavera do fundo monetário internacional (14h)
  • Estados Unidos: Reunião do G7 e do G20 de ministros de finanças e presidentes dos BCs (sem horário)
  • Mercados fechados no Brasil pelo feriado de Tiradentes

Sexta-feira (22)

  • Estados Unidos: PMI composto e de serviços (10h45)
  • Estados Unidos: Presidente do BCE discursa em evento do Instituto Peterson (11h)

Balanços da semana

Segunda-feira (18)

Antes da abertura:

  • Bank of America (EUA)

Terça-feira (19)

Sem balanços programados

Quarta-feira (20)

Início da temporada de balanços no Brasil. Confira calendário completo aqui.

Antes da abertura:

  • Johnson & Johnson (EUA)
  • Procter & Gamble (EUA)

Após o fechamento:

  • Tesla (EUA)
  • IBM (EUA)
  • Netflix (EUA)

Quinta-feira (21)

Antes da abertura:

  • American Airlines (EUA)
  • AT&T (EUA)

Sexta-feira (22)

Antes da abertura:

  • American Express (EUA)
  • Verizon (EUA)
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

NOVO MODELO DE NEGÓCIOS

Varejo adota ‘loja-contêiner’ para fugir dos custos de shoppings e aluguéis; conheça o que são os estabelecimentos modulares

A estreante no formato é a Chilli Beans, de óculos de sol. “Acho que não teria uma Eco Chilli se não houvesse pandemia”, afirma o CEO, Caito Maia

NÃO MEXE NO MEU QUEIJO

Membros do mercado financeiro defendem Lei das Estatais em documento enviado ao ao Congresso; revogação seria ‘retrocesso’

O texto também cita o relatório de 2020 em que a OCDE afirma que a Lei das Estatais deixou os conselhos de empresas públicas mais independentes de interferências

NESTA SEGUNDA-FEIRA

Governador de São Paulo fará coletiva nesta segunda-feira após Bolsonaro aprovar isenção do ICMS sem garantia de compensação aos estados

O presidente da República vetou o fundo de ajuda aos estados após sancionar o teto do imposto estadual

SEU DOMINGO EM CRIPTO

‘Compre na baixa’ anima e bitcoin (BTC) busca os US$ 22 mil; criptomoedas aguardam semana de olho no Fed

Entre os destaques da próxima semana estão o avanço dos juros nos Estados Unidos e um possível default da Rússia

DE OLHO NO FUTURO

Goldman Sachs quer entrar no mundo da ‘renda fixa’ em criptomoedas e lidera grupo para comprar a Celsius por US$ 2 bilhões

O staking vem crescendo nos últimos meses e é motivo de certa preocupação após o caso da Celsius — e o banco de Wall Street quer um pedaço dele