Menu
2021-06-02T19:29:40-03:00
Estadão Conteúdo
em meio à pandemia

S&P prevê crescimento econômico do Brasil de 4% em 2021

Agência pondera que a “natureza duradoura” da pandemia de covid-19 cria uma incerteza “significativa” para o desempenho econômico e fiscal do Brasil no curto prazo

2 de junho de 2021
19:19 - atualizado às 19:29
38. Touros e Ursos CAPA Lupa Brasil Mapa
Imagem: Shutterstock

A S&P Global Ratings prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil se recupere para 4% neste ano. Para o período entre 2022 e 2024, a agência de classificação de risco estima uma média de avanço de 2,2% da atividade do País.

"Os preços internacionais das commodities se recuperaram com a maior demanda global, suportando uma melhora nos termos de troca do Brasil", diz a S&P em relatório.

O crescimento do PIB neste ano, na avaliação da agência, será impulsionado também pelos efeitos de base, devido à contração da atividade em 2020, e à posição externa favorável.

No entanto, a S&P pondera que a "natureza duradoura" da pandemia de covid-19 cria uma incerteza "significativa" para o desempenho econômico e fiscal do Brasil no curto prazo.

"O ritmo de recuperação da demanda doméstica dependerá em grande parte da capacidade das autoridades de distribuir efetivamente a vacina", afirma a agência.

Segundo a S&P, a aprovação de reformas microeconômicas no Brasil em vários setores, assim como as condições externas benignas e um "grande" programa de concessões, deve ser um "bom presságio" para o investimento. "Ainda assim, a aceleração da inflação e o ciclo de aperto monetário podem prejudicar a retomada da atividade econômica."

Rating BB-, com perspectiva estável

Nesta quarta-feira, a S&P Global Ratings reafirmou o rating BB- do Brasil, com perspectiva estável.

A agência diz que a consolidação orçamentária do País no período 2021-2024 deve ser "lenta", conforme as pressões por aumento de gastos "seguem elevadas", enquanto a dívida geral do governo deve subir para cerca de 75% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2024.

Para a S&P, exportações fortes, que beneficiam um perfil externo resistente do País, e um quadro de investimento privado mais dinâmico devem impulsionar a retomada econômica brasileira neste ano.

Segundo a agência, a perspectiva estável reflete a expectativa de uma recuperação em 2021, com "redução gradual" do déficit fiscal - o que poderia resultar em um ritmo mais lento de acumulação de dívida nos próximos dois anos -, bem como o "desempenho externo sólido" do Brasil.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

de olho na reabertura

Vacina no braço e compra de ações: por que o UBS (o banco suíço) agora recomenda a bolsa brasileira

Banco suíço cita as revisões de crescimento para a economia brasileira, menor risco fiscal, expectativa de lucro das empresas e preços em patamares “convidativos”

seu dinheiro na sua noite

Anitta no conselho do Nubank, mais ofertas de ações e o ponto de inflexão do minério de ferro

Acostumado a fazer barulho no mercado, o Nubank fez, nesta segunda-feira, mais um anúncio que deu o que falar: a contratação da cantora e empresária Anitta para integrar o conselho de administração da empresa. A garota do Rio, nascida no bairro suburbano de Honório Gurgel e alçada à fama pelo funk carioca, ocupará uma cadeira […]

linhas 8 e 9

CCR assina acordo de acionistas com RuasInvest no Consórcio Via Mobilidade

Acordo prevê os porcentuais de participação de 80% da CCR e de 20% da RuasInvest no Consórcio ViaMobilidade Linhas 8 e 9

Microcaps

Panvel (PNVL3): é hora de investir?

A rede Panvel é queridinha no Sul do país. Sua recuperação tem mostrado que ela pode ser uma gema entre as microcaps da Bolsa. Descubra se vale a pena investir nela no Chama o Max de hoje.

sinal verde

Câmara aprova texto-base da MP que viabiliza privatização da Eletrobras

Placar foi de 258 votos contra 136; texto já havia sido aprovado pela Casa, mas voltou depois de alterações no Senado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies