Menu
2021-05-22T12:12:29-03:00
Estadão Conteúdo
Bom, só que nem tanto

Ações da Eletrobrás devem enfrentar volatilidade com decisões sobre privatização

22 de maio de 2021
12:12
Eletrobras
Usina hidrelétrica de Itaipu. - Imagem: Alexandre Marchetti/ItaipuBinacional

A aprovação da Medida Provisória 1031/2021, que trata da privatização da Eletrobrás, na última quarta-feira (19), ainda divide opiniões no mercado. Se por um lado, analistas elogiam o avanço da pauta na Câmara e a perspectiva de desestatização da companhia elétrica estar mais próxima, por outro, há a percepção de que o texto ainda contém vícios que interferem em questões de planejamento do setor elétrico.

Entre os que receberam positivamente a proposta, o argumento é que a aprovação abre caminho para a estatal destravar valor significativo, além de beneficiar a renovação de concessões da geração e ganhos operacionais, além da redução de custos.

No entanto, boa parte dos analistas e investidores olham com ressalvas a proposta aprovada, com o argumento de que o texto ainda interfere em questões de planejamento do setor.

Segundo o estrategista de pessoa física da Santander Corretora, Fernando Hadba, as ações da Eletrobrás devem enfrentar volatilidade nas próximas semanas, pois o preço deve reagir a qualquer atualização da tramitação no Senado.

"A proposta claramente não é perfeita, mas está na direção correta. Acreditamos que o texto atual tem chances reais de aprovação no Senado. A única certeza é de que se a privatização for aprovada no Senado, os preços [das ações] vão subir", afirma.

Alvaro Bandeira, sócio e economista-chefe do banco digital Modalmais, acredita que a versão do texto aprovada ainda traz muitas dúvidas sobre o processo de capitalização da estatal, e que o desfecho da MP ainda parece longe. "A visão geral é que vai provocar aumento de tarifa para pessoas físicas e jurídicas e pode sofrer mudanças no Senado, retornando para a Câmara", aponta.

As ações ON da Eletrobrás fecharam em R$ 41,75 na sexta-feira (21), com alta de 4,7% em relação ao fechamento de sexta-feira da semana anterior, enquanto as PNB subiram 4,4%, negociadas a R$ 41,63.

Carteiras

Entre as mudanças nas carteiras semanais de corretoras, a Ativa Investimentos retirou Arezzo ON, Cyrela Commercial Properties ON e Enauta ON, enquanto incluiu Azul PN, BTG Pactual Unit e Carrefour Brasil ON.

A Guide Investimentos adicionou Localiza ON e Mosaico ON, retirando BR Distribuidora ON e Marfrig ON. Segundo a corretora, a Localiza está bem posicionada para retomada da atividade doméstica, enquanto há expectativa por fortes números vindos de Mosaico.

A Mirae Asset retirou Petrobrás ON e Vale ON, ao mesmo tempo que incluiu Santos Brasil ON e Usiminas PNA, destacando que a siderúrgica deve se beneficiar da forte demanda por aço no mercado doméstico com a retomada da economia no País. Já a MyCap retirou Alpargatas ON e B3 ON, incluindo Bradespar ON e Marfrig ON na carteira semanal.

Os analistas da Órama fizeram uma pequena alteração, incluindo Ambev ON no lugar de Vale ON. A XP também realizou uma troca: tirou Petrobrás PN e inseriu Duratex ON. A Planner fez três mudanças em sua carteira: acrescentou Klabin Unit, Minerva ON e Totvs ON, enquanto retirou Eztec ON, Telefônica Brasil ON e Vale ON.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies