Menu
2021-06-08T09:33:14-03:00
Estadão Conteúdo
Indicador da FGV

IPC-S tem alta de 0,81% na 1ª quadrissemana de junho, revela FGV

Das oito categorias de despesas que compõem o indicador, quatro aceleraram da última quadrissemana de maio para a primeira de junho, com destaque para Transportes, que saltou de 1,48% para 1,68%

8 de junho de 2021
9:27 - atualizado às 9:33
contas imposto de renda
Imagem: Shutterstock

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) apresentou alta de 0,81% na primeira quadrissemana de junho, taxa idêntica à registrada no fechamento de maio.

A informação foi divulgada nesta terça-feira, 8, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador acumula alta de 8,47% em 12 meses, maior do que o avanço de 7,47% no período até maio.

Das oito categorias de despesas que compõem o indicador, quatro aceleraram da última quadrissemana de maio para a primeira de junho, com destaque para Transportes, que saltou de 1,48% para 1,68%. O item que puxou a alta foi etanol, a 10,94%, após 9,06% em maio.

Alimentação (0,26% para 0,29%), Vestuário (0,65% para 0,84%) e Despesas Diversas (0,28% para 0,32%) também apresentaram acréscimo na taxa de variação.

Nessas classes de despesa, os itens mais influentes foram alimentos para animais domésticos (2,32% para 2,98%), frutas (-7,15% para -6,22%) e calçados masculinos (0,85% para 1,21%).

Por outro lado, Habitação (1,72% para 1,62%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,59% para 0,36%), Educação, Leitura e Recreação (-0,70% para -0,71%) e Comunicação (0,26% para 0,25%) recuaram em relação a maio.

Os itens artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,58% para -0,96%), tarifa de eletricidade residencial (6,53% para 5,34%), passagem aérea (-8,05% para -8,71%) e serviços de streaming (2,70% para 2,23%) foram os destaques desses grupos.

Influências individuais

Tarifa de eletricidade residencial (6,53% para 5,34%), gasolina (2,95% para 3,14%) e etanol (9,06% para 10,94%) foram os itens que mais exerceram pressão de alta no IPC-S da primeira quadrissemana de junho. Condomínio residencial (2,00% para 2,26%) e plano e seguro de saúde (0,84% para 0,85%) completam a lista.

Na outra direção, passagem aérea (-8,05% para -8,71%), xampu, condicionador e creme (-2,66% para -3,30%) e banana-prata (-7,73% para -9,41%) puxaram o indicador para baixo, seguidos de banana-nanica (-15,98% para -14,29%) e cebola (-3,24% para -5,58%).

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Maquininhas internacionais

De malas prontas: presidente da Getnet revela planos para o início das operações na Europa em 2022

A empresa se tornou peça-chave nos planos do espanhol Santander de criar uma plataforma global de pagamentos

Renda variável

Na batalha das corretoras, Rico vai zerar taxa em operações com opções

A medida busca tornar a corretora mais competitiva e reforçar a atuação do grupo no ramo da renda variável

Concursos públicos

De olho nos concurseiros, Yduqs anuncia aquisição da plataforma de EaD Qconcursos

Plataforma de cursos preparatórios para concursos públicos tem 412 mil alunos pagantes e mira mercado potencial de 17 milhões de pessoas; valor da operação não foi divulgado

Mostrando as garras

Dirigente do Fed fala em alta de juros em 2022 e admite postura mais agressiva contra inflação

Em entrevista à CNBC, Bullard disse que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) adotou uma posição mais dura no encontro deste mês

Entrando no pet shop

O plano da BRF: colocar comida na sua mesa e ração no potinho do seu pet

A BRF comprou o grupo Hercosul, produtor e distribuidor de ração para cães e gatos, entrando no mercado pet. Entenda o racional da operação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies