Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2021-02-22T19:56:04-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

A conta do “risco Bolsonaro” para a Petrobras: R$ 100 bilhões

22 de fevereiro de 2021
19:56
Selo O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O pregão de 22 de fevereiro de 2021 na B3 será conhecido como aquele em que os preços das ações passaram a refletir o “risco Bolsonaro”.

As ações da Petrobras derreteram mais de 20% nesta segunda-feira, em reação à decisão do presidente de trocar o comando da estatal, insatisfeito com a política de preços dos combustíveis da companhia.

A queda de hoje na bolsa representa uma perda de R$ 73 bilhões no valor de mercado da Petrobras, que se soma aos R$ 28 bilhões de sexta-feira.

Arredondando, temos uma conta de R$ 100 bilhões em apenas dois dias, bem mais do que o governo espera gastar com a volta do pagamento do auxílio emergencial.

A fatura aumentaria ainda mais se incluíssemos as perdas das demais empresas listadas na B3, afetadas indiretamente pelo sentimento de aversão a risco dos investidores com o país.

E não são apenas aqueles que detêm ações da Petrobras que sentem a ameaça de controle de preços, uma medida que já se provou desastrosa no governo do PT.

Como a União é a principal acionista da Petrobras, a conta do uso da companhia para outros fins como o controle de preços é dividida com todos os brasileiros.

É claro que as ações podem recuperar parte das perdas dos últimos dias se não houver uma guinada radical na gestão da estatal e o governo mantiver o que restou da política econômica de Paulo Guedes.

Mas é provável que a partir de agora os investidores passem a exigir um desconto maior nos ativos brasileiros para embutir o “risco Bolsonaro”. A Julia Wiltgen acompanhou de perto o pregão tenso na bolsa e traz todos os detalhes para você.

MERCADOS

 A esmagadora maioria dos analistas que acompanham a Petrobras não gostou nada da decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da estatal. E vários deles cortaram a recomendação para os papéis com o aumento do risco político.

 E não foi só a Petrobras que sofreu com o “risco Bolsonaro”. As ações do Banco do Brasil e da Eletrobras foram rebaixadas pelo Credit Suisse. Além disso, a Empiricus retirou o BB da lista de ações recomendadas depois de quase seis anos.

 O dólar também disparou com a tensão nos mercados, o que levou o BC a realizar um leilão de US$ 1 bilhão numa tentativa de segurar as cotações da moeda norte-americana e estancar a sangria.

 Nem mesmo o bitcoin escapou do dia ruim nos mercados e caiu nesta segunda-feira, depois do rali impressionante das últimas sessões. A queda de hoje foi atribuída a uma declaração do bilionário Elon Musk.

CONTEÚDO PATROCINADO
• O Ibovespa azedou com a intervenção do governo na Petrobras, mas a chamada ‘segunda bolsa’ – de criptoativos – seguiu em alta, com ativos subindo até 470% só neste ano e uma moeda com gatilhos de alta superiores ao do bitcoin, na carteira de criptos que já acumula mais de 1200% nos últimos três anos (confira aqui).

EMPRESAS

 Nem só de perdas viveu o mercado financeiro na sessão desta segunda-feira. As ações das Lojas Americanas dispararam quase 20% após o anúncio de que estuda uma fusão há muito aguardada pelos investidores.

 A Cogna avançou nas discussões com a Eleva Educação, empresa apoiada por Jorge Paulo Lemann, para uma troca de ativos. Confira o que está em jogo.

ECONOMIA

 Após o aumento do número de casos e mortes por covid-19 e o fim do auxílio emergencial, a avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro piorou entre o final de 2020 e o início deste ano. Veja os números da pesquisa pesquisa da CNT e Instituto MDA.

OPINIÃO

 E para finalizar essa edição, talvez histórica, do "PetroDay" (sugestão de nome pautado em "Joesley Day"), o Felipe Miranda traz uma análise completa e sem paixões do que esperar para o mercado depois da intervenção na Petrobras. Vale muito a pena a leitura!

Uma ótima noite para você!

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O melhor do seu dinheiro

A semana que vem, enfim, chegou

Depois de uma série de adiamentos, a PEC Emergencial enfim foi aprovada em dois turnos pelo Senado. A medida permitirá o retorno do auxílio emergencial, que ficará limitado ao teto de R$ 44 bilhões, que quase foi derrubado, mas acabou ficando. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados. O avanço foi comemorado pelo […]

FECHAMENTO

Aprovação da PEC emergencial garante recuperação do Ibovespa enquanto NY amarga perdas

A fala de Powell fez o Ibovespa reduzir os ganhos, mas ainda assim o principal índice da bolsa avançou 1,35%; dólar teve queda de 0,11%, a R$ 5,6582

Petróleo

Evitar volatilidade nos preços serve a consumidores e produtores, afirma ministro árabe na Opep+

Quanto aos elementos que vêm sendo observados na demanda para as decisões do grupo, o saudita apontou o retorno da mobilidade como uma prioridade.

Retirada histórica

Saques líquidos da poupança somam R$ 5,832 bi em fevereiro, revela BC

Este é o maior volume de retiradas para meses de fevereiro desde 2016, quando as saídas somaram R$ 6,638 bilhões.

Justificativa?

Carga tributária é ‘enorme e escorchante’ e Guedes busca solução, diz Bolsonaro

Bolsonaro disse também que “herdou um país com uma dívida enorme”.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies