Menu
O melhor do Seu Dinheiro
Renato Carvalho
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-05T09:17:30-03:00
O melhor do seu dinheiro

Investimentos em renda fixa, dados da inflação, ata do Fed e outros destaques da semana

5 de julho de 2021
9:17
Dinheiro
Imagem: Shutterstock

Quando se fala de investimentos no Brasil, Renda Fixa é um termo ainda muito presente, especialmente para os pequenos investidores. Proteção contra inflação e riscos menores (atenção, eles ainda existem!) é uma combinação que, de cara, atrai boa parte das pessoas.

E por que eu enfatizei no Brasil? Lá vamos nós buscar no passado explicações para o presente. E desta vez, nem precisamos ir tão longe. Vamos logo ali, no final do século 20.

Pense em uma aplicação que oferecia um rendimento próximo ou até superior a 40% ao ano, enquanto  a inflação girava em torno de 9%. E com baixo risco.

Se hoje isso parece absurdo, era exatamente o cenário em 1999. Naquele ano, a taxa básica de juros, a Selic, chegou a 45% ao ano, em março. Ou seja, os títulos públicos ofereciam este retorno aos investidores.

Ainda não havia o Tesouro Direto, hoje tão acessível e popular. Mas já existiam os fundos DI e de Renda Fixa, que ofereciam retornos próximos à Selic, e podiam cobrar taxas de administração altas. Bom para o investidor e para os bancos.

Já no começo deste século, a Selic baixou para a casa dos 20%, depois para a casa dos 10%, até a tão esperada taxa de um dígito em 2010.

Eventualmente os juros voltaram para perto dos 15%, mas em setembro do ano passado, chegamos à marca histórica dos 2% ao ano.

Agora, depois de três altas consecutivas, a taxa de juros brasileira está em 4,25%. E não há sinais, pelo menos no horizonte visível, de que a Selic retorne aos dois dígitos. Mas será que, por isso, a Renda Fixa perdeu seu brilho no cenário atual, com amplo acesso a muitos outros produtos financeiros?

Na terceira reportagem da série Onde Investir, a Julia Wiltgen mostra que a resposta é não. Ela traz boas alternativas para se aproveitar do atual ciclo de correção da taxa de juros, e opções para montar uma carteira diversificada somente de renda fixa.

O que você precisa saber hoje

MERCADOS

Os feriados aqui e nos Estados Unidos devem reduzir a liquidez, mas não a emoção, da bolsa. Os principais indicadores da semana incluem a ata do Fed e a divulgação da inflação brasileira, medida pelo IPCA. Saiba mais do que esperar na coluna Segredos da Bolsa.

Investir é também a arte de se reinventar, afinal o mercado e suas regras estão sempre em movimento. É em um híbrido de arte, realidade e experiência que a Larissa Quaresma estreia na coluna “A Bolsa Como Ela É”, trazendo insights sobre o que podemos esperar e que papel devemos assumir diante de dividendos tributados.

O IPO do DIDI, o “Uber chinês”, foi pauta central nas conversas do mercado internacional. Com um roadshow de apenas três dias, os U$ 4 bilhões esperados se transformaram em U$ 4,4 bilhões por conta da alta demanda dos investidores. Mas com esse hype todo, seria hora de investir no Didi? Como? Existem riscos para a empresa? São essas e outras questões que o Richard Camargo responde na coluna Estrada do Futuro. Leia aqui a análise completa.

E um dos riscos apontados pelo Richard já se transformou em realidade. Dois dias depois do IPO, o governo chinês ordenou a retirada do Didi das lojas de aplicativo alegando a violação das normas na coleta de dados dos usuários. A companhia anunciou em suas redes sociais que já paralisou os novos registros no dia 3 de julho, e assim, o “Uber chinês” perdeu 11% do valor de mercado na última sexta-feira.

Superando as expectativas, a bolsa brasileira recebeu R$ 48 bilhões de capital estrangeiro no primeiro semestre, isso sem contar as aberturas do capital. Motivados pela melhoria na expectativa do PIB, maiores preços das commodities e alta dos juros, esta é a maior entrada de recursos estrangeiros da série histórica. 

EMPRESAS

De olho na criação do chamado “varejo mar aberto” para seus clientes, o banco Bmg comprou participação na assessoria de investimentos Araújo Fontes. O valor da operação foi de R$ 150 milhões e amplia a oferta de serviços e produtos para seus clientes, além de colocar o banco na “corrida paralela” por investimentos e aquisições.

Na caminhada para Bolsa, a Havan perde o fôlego e vê o prospecto do seu IPO cortado por menos da metade dos R$ 100 bilhões iniciais. Os motivos? Dentre eles, o excesso de  dependência da figura de seu controlador Luciano Hang, que grande é entusiasta do governo de Jair Bolsonaro. Além disso, a estrutura de governança corporativa e dúvidas dos acionistas em relação aos números e resultados também dificultam a situação da rede de varejo.

ECONOMIA

Os “super-ricos” serão responsáveis por metade dos R$ 54 bilhões que o governo espera arrecadar com a volta das tributações sobre lucros e dividendos, segundo estimativas. O grupo conta com cerca de 20 mil pessoas, com uma média de renda anual de R$ 15 milhões e patrimônio médio de R$ 67 milhões.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua manhã". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Mais uma empreitada

Do espaço para as fazendas: Elon Musk consegue licença para oferecer internet via satélite no Reino Unido

A Starlink, segundo informações do jornal Telegraph, quer chegar a regiões onde a cobertura por fibra e 5G não alcançam, e tem planos mais ambiciosos

Leão faminto

Carga pesada: Impostômetro atinge a marca de R$ 1,5 trilhão

Monitoramento da Associação Comercial de São Paulo mostra que, no ano passado, marca foi atingida somente no dia 28 de setembro

Muita calma nessa hora

Tem Vale Gás? Petrobras diz que não há definição sobre participação em programas sociais

Manifestação vem depois que o presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista que a estatal tem R$ 3 bilhões em reservas para custear ajuda

Clube do Livro

Batalhas sem arma: Em “Cripto Wars”, Jim Rickards explica guerras cambiais e agora, com criptomoedas

Autor, conhecido também por suas previsões certeiras sobre o bitcoin, fala de como a tecnologia mudou as estratégias financeiras dos países

RUMO AO MILHÃO

O primeiro e mais importante investimento para quem atingir o primeiro milhão (ou ir além)

Por mais que você busque o conforto e a segurança de uma promessa de retorno garantido, digo, com convicção, que o único investimento com retorno garantido em longo prazo é aquele feito em educação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies