Menu
2021-12-10T17:48:02-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
FII DO MÊS

Existe luz no fim do túnel dos fundos imobiliários: veja os FIIs indicados para proteger seu patrimônio neste final de ano

Entre mortos e feridos, um tipo específico de FIIs tem conseguido fazer frente aos ruídos políticos e fiscais que contaminam o mercado em 2021

10 de dezembro de 2021
7:03 - atualizado às 17:48
Selo Melhores Fundos Imobiliários 2
Confira os três fundos preferidos de cada corretora para o mês. Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Quem escreveu o roteiro do mercado financeiro neste ano não estava para brincadeira. Na trama da batalha pela rentabilidade, a pandemia foi antagonista da temporada — e outros vilões, como os ruídos políticos e fiscais e a reabertura fraca, se juntaram ao enredo.

Como parte do elenco principal, os fundos de investimento imobiliários (FIIs) não deixaram de ser afetados pelo pano de fundo negativo e, com o vilão particular que é o ciclo de alta da taxa básica de juros (Selic), sofrem duras baixas no combate.

O IFIX, índice que mede o comportamento dos fundos mais negociados na Bolsa, recuou 3,64% em novembro e acumula perdas de 10,16% em 2021. Apesar de ter esboçado uma reação no início deste mês, com poucos dias restantes antes da chegada de 2022 é improvável que o índice inverta o sinal ainda este ano.

Mas, entre mortos e feridos, um tipo específico de FIIs tem conseguido fazer frente aos adversários. Enquanto todos os segmentos sucumbem à batalha, os fundos de recebíveis imobiliários garantem uma valorização de 4,84% neste ano. Veja abaixo a rentabilidade acumulada:

SegmentoRentabilidade em 2021
Recebíveis imobiliários+4,84%
Híbridos-4,92%
IFIX-10,16%
Outros-16,23%
Logístico/Industrial-16,76%
Escritórios-18,99%
Shoppings/Varejo-19,36%
Fundos de fundos-20,93%
Fonte: Santander

A explicação para o sucesso está ligada às armas que os FIIs de recebíveis imobiliários (CRI) escolhem na hora de partir para a conquista da valorização. Como são fundos de papel — ou seja, ativos que investem em títulos de renda fixa relacionados ao mercado imobiliário — eles formam uma aliança improvável com a Selic crescente. 

A taxa básica de juros brasileira está em um novo ciclo de aperto, promovido pelo Banco Central na tentativa de conter a inflação, e fica cada vez mais poderosa: já são sete elevações consecutivas e a Selic já está no maior patamar em quatro anos.

A união é possível porque a rentabilidade dos CRIs está normalmente atrelada a indexadores que se alimentam desse cenário um tanto quanto caótico, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) e o Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Conheça os fundos imobiliários preferidos para dezembro 

Por isso, não é surpresa que um dos membros dessa classe de ativos seja a recomendação preferida das corretoras para o último mês de 2021. 

Com indicações de três corretoras, o Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11) desbancou o VBI CRI (CVBI11), que dominava a primeira posição do pódio há quatro meses. 

Já a segunda posição ficou mais movimentada e mostra que, apesar das dificuldades, os analistas também enxergam oportunidades em outros segmentos de FIIs. 

Cinco fundos diferentes garantiram um lugar entre os preferidos de duas corretoras cada, e ficaram com a medalha de prata. São eles: Bresco Logística (BRCO11), CSHG Real Estate (HGRE11), Hedge Brasil Shopping (HGBS11) TRX Real Estate (TRXF11) e Valora RE III (VGIR11).

Confira a seguir os três fundos preferidos de cada corretora entre os indicados nas suas respectivas carteiras recomendadas para novembro:

Entendendo o FII do Mês: todos os meses, o Seu Dinheiro consulta as principais corretoras do país para descobrir quais são suas apostas para o período. Dentro das carteiras recomendadas, normalmente com até 10 fundos imobiliários, os analistas indicam os seus três prediletos. Com o ranking nas mãos, selecionamos os que contaram com pelo menos duas indicações.

Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11) — aliados de peso

Que o último campeão do ano na seleção de FIIs do Seu Dinheiro seria um fundo ligado a recebíveis imobiliários já dava para imaginar. Mas as apostas se concentravam no VBI CRI, medalha de ouro por quatro vezes consecutivas.

Mas, em dezembro, o CVBI11 não chegou nem perto do pódio e, com apenas uma indicação, viu o primeiro lugar entre os favoritos das corretoras passar para o Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11). O fundo permaneceu no top 3 da Genial Investimentos e estreou entre as indicações principais de Guide e Santander neste mês.

Com 27 Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e 10 fundos de CRI no portfólio, o MCCI11 traduz bem a estratégia de se aliar à Selic e à inflação - dois dos maiores pesadelos para o mercado imobiliário - para surfar a alta dos juros.

Para se ter uma ideia do impacto das taxas, 76% do fundo é composto por ativos ligados ao IPCA e outros 6% ao CDI — que costuma acompanhar de perto as variações da Selic —, com taxa média de inflação +6,5% e CDI +3,7%.

Com essa composição ele garantiu uma alta de 0,7% no mês passado. Apesar de modesto, o percentual vale muito quando confrontado com a queda de 3,64% do IFIX.

Outro ponto forte destacado pelas corretoras é a diversificação da carteira, com alocação em segmentos mais resilientes, como o logístico e o comercial. Essa qualidade permitiu que o fundo atravessasse o auge da pandemia de covid-19 com 100% de adimplência, conforme ressalta o Santander.

A alocação mais recente do FII foi de R$ 330 milhões no CRI WT Morumbi, utilizando recursos de sua 5ª emissão de cotas. “O fundo ainda possui recursos em caixa que, em nossa visão, devem continuar sendo alocados rapidamente com excelentes retornos ao cotista”, diz a Genial Investimentos.

Além do portfólio estratégico, o Santander destaca o potencial de remuneração do MCCI11 e traz boas notícias para quem gosta de ver os rendimentos pingando na conta com frequência. “Estimamos um yield [indicador que mede o rendimento de um ativo a partir do pagamento de dividendos] atrativo de 11,5% nos próximos 12 meses".

Repercussão — (quase) todo mundo mal das pernas

Mais um mês difícil para o setor, mais uma tabela cheia de sinais negativos para o desempenho dos fundos recomendados em novembro.

Nem o campeão do mês passado, o VBI CRI, se salvou da avalanche de notícias ruins e recuou 3,75%. Mas, mesmo assim, passou longe das maiores quedas do período, que chegaram a mais de 14%.

Entre as menções honrosas, quem se deu melhor foi o Kinea Índice de Preços (KNIP11), que ficou entre os únicos três FIIs a registrarem ganhos, com alta de 0,62%. Veja na tabela a seguir o desempenho de todos os fundos dos top 3 das corretoras em novembro:

Antes de sair, confira três ações promissoras da bolsa no vídeo abaixo e inscreva-se no canal do Seu Dinheiro para mais conteúdos exclusivos sobre investimentos:

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Sinal amarelo

Marfrig (MRFG3) confirma participação em oferta da BRF (BRFS3), mas não poderá assumir o controle da empresa; entenda

Segundo um comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários hoje, as compras da Marfrig estarão limitadas a sua participação acionária atual

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa no azul apesar da volatilidade, bitcoin no vermelho e imbróglios com FII e Oi: o que marcou o mercado nesta sexta

Numa semana marcada pela escalada das tensões entre Rússia e Ucrânia, decisão de juros nos Estados Unidos e um discurso mais hawkish (duro contra a inflação) por parte do presidente do banco central americano, Jerome Powell, o Ibovespa conseguiu, mais uma vez, acumular alta. E as bolsas americanas – pasme – também. A sexta-feira (28) […]

DESINVESTIMENTOS

Em negócio bilionário, Petrobras (PETR4) vende ativos na Bacia Potiguar para subsidiária da 3R Petroleum (RRRP3); saiba quanto entrou nos cofres da estatal

A bola da vez é um conjunto de 22 concessões de campos de produção terrestre e de águas rasas, juntamente à sua infraestrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento

SACO DE PANCADAS PRESIDENCIAL

Petrobras (PETR4) recua quase 4% após críticas de Lula; petista condenou pagamento de dividendos e política de preços da estatal

Embalados pela alta do petróleo, os papéis operavam em alta mais cedo, mas, após a nova rajada de críticas, passaram a registrar uma queda brusca

Fechamento da semana

Ibovespa tem dia de realização de lucros e fecha em queda, mas acumula alta de 2,72% na semana; dólar fecha em R$ 5,39

Semana foi marcada pela volatilidade nas bolsas internacionais, mas estrangeiro continuou buscando ações brasileiras

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies