Menu
2020-06-30T13:32:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
URGENTE

Bolsa acentua queda após notícia sobre pedido de demissão de Moro

Segundo a Folha de S. Paulo, o pedido foi motivado pela intenção do governo de trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, hoje ocupada por Maurício Valeixo

23 de abril de 2020
14:43 - atualizado às 13:32
Sergio Moro
Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na CCJ. - Imagem: Pedro França/Agência Senado

O Ibovespa acentuou o movimento de queda nesta quinta-feira (23) a partir da notícia de que o ministro da Justiça, Sergio Moro, teria pedido demissão do cargo.

O índice começou a perder força de maneira mais expressiva pouco depois das 14h30, horário que coincide com os primeiros relatos quanto à possível saída de Moro. Na mínima do dia, o Ibovespa chegou aos 78.621,92 pontos (-2,56%), mas, no fechamento, marcava 79.673,30 pontos (-1,26%).

Segundo a Folha de S. Paulo, o pedido foi motivado pela intenção do governo de trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, hoje ocupada por Maurício Valeixo. A publicação afirma que Jair Bolsonaro tenta reverter a decisão do ministro.

Desde o ano passado Bolsonaro tem ameaçado trocar o comando da PF, mas Valeixo é homem de confiança de Moro. Agora, diz o jornal, o ex-juiz da Lava Jato afirma que se o diretor-geral sair, ele também deixa governo.

Moro assumiu a frente do Ministério da Justiça com a promessa de dar continuidade ao trabalho desempenhado como juiz de primeira instância durante a Operação Java Jato. Mas o ministro teve parte das suas iniciativas frustradas no governo.

A ameaça de demissão de Moro é mais um elemento de instabilidade local para os mercados. A crise provocada pelo coronavírus desencadeou incertezas econômicas e políticas que já fizeram a bolsa cair 31% desde o início do ano.

Comportamento do Ibovespa nesta quinta-feira (23). A linha vermelha marca o horário das 14h30, momento em que o índice começou a perder força de maneira mais expressiva

Já o movimento do câmbio nesta quinta foi influenciado pela percepção de deterioração das contas públicas, intensificada com o pré-lançamento do programa "Pró-Brasil" — a iniciativa pretende impulsionar a atividade econômica do país, mas pode aumentar os gastos públicos a longo prazo.

A perspectiva de mais um corte na Selic, hoje em 3,75% ao ano, também contribuiu para o avanço da divisa, que encerrou a sessão a R$ 5,5287 (+2,22%) e cravou um novo recorde nominal de fechamento.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

respostas ao mercado

CVC: 5 dúvidas do mercado sobre a empresa, após atrasos no balanço

Operadora de viagens divulgou os números do primeiro trimestre, com prejuízo de R$ 1,1 bilhão, e promoveu uma teleconferência com analistas; veja os principais pontos

novo modelo de economia

Bradesco, Itaú e Santander aderem à Brasil Clima, Florestas e Agricultura

Em comunicado conjunto, os três maiores bancos privados do País afirmaram que o principal objetivo do movimento é implementar ações para promover um novo modelo de desenvolvimento econômico

número recorde

Balança comercial tem superávit de US$ 6,164 bilhões em setembro

Apesar do recorde, tanto as exportações quanto as importações registraram quedas na média diária em comparação a setembro de 2019

APOSTAS

XP aposta em ações defensivas e BTG recomenda exposição a construção e e-commerce para outubro

Banco e corretora divulgam carteiras recomendadas após volatilidade de setembro, quando Ibovespa acumulou queda de 4,80%

Impostos e contribuições

Receita: Arrecadação em agosto soma R$124,5 bilhões, acima do teto das projeções

O valor arrecadado no mês passado foi o maior para meses de agosto desde 2014, quando a arrecadação no oitavo mês do ano foi de R$ 127,405 bilhões.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements