Menu
2020-01-31T16:21:42-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: um mês turbulento para os mercados

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

31 de janeiro de 2020
16:21
43. Touros e Ursos CAPA Apertar Cintos Avião
Imagem: Shutterstock

Coronavírus, tensão entre EUA e Irã, guerra comercial… O mês de janeiro teve um pouco de tudo — e nossos repórteres conversaram sobre os impactos de toda essa agitação nos investimentos.

Além disso, a equipe do Seu Dinheiro falou sobre o futuro da Selic e aproveitou para responder dúvidas dos leitores.

Confira os destaques da semana:

  • Janeiro, um mês turbulento para os mercados;
  • Para onde vai a Selic na semana que vem?
  • O Credit Suisse reúne a nata do mercado para um evento;
  • Dúvidas dos ouvintes.

Gostou? Então dá o play e ouça de graça. Não tem Spotify? Acesse o link alternativo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Foi ruim mas foi bom

Guedes defende acordo e diz que agora Orçamento ficará “exequível”

O presidente Jair Bolsonaro tem até amanhã para sancionar o Orçamento de 2021, que foi aprovado com despesas obrigatórias subestimadas para acomodar uma quantidade maior de emendas parlamentares

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies