Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-05T08:14:54-03:00
Estadão Conteúdo
Caminho livre

Saída da XP abre espaço para Itaú ser mais agressivo em investimentos

Sem ser dono de quase de metade da XP, o Itaú poderia trilhar seu caminho de forma mais livre – e tentar conter a perda de clientes para a corretora

5 de novembro de 2020
8:14
star wars itau xp
Imagem: Montagem Andrei Morais

A estratégia de vender aos poucos a participação na XP dará espaço para o Itaú Unibanco ser mais competitivo no setor de investimentos, que ganhou força no País com o juro básico da economia - a Selic - na mínima histórica de 2%. Sem ser dono de quase metade da XP, o banco poderia trilhar seu caminho de forma mais livre - e tentar conter a perda de clientes para a corretora. O mercado reagiu bem ao movimento: as ações do Itaú subiram 4% ontem, fechando o dia a R$ 25.

Essa competição entre Itaú e XP fica evidente em números. Também ontem, a consultoria Economática divulgou, com base em dados da Associação Brasileira das Entidades de Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que a gestora de fundos de investimento do Itaú perdeu 76 mil cotistas entre janeiro e setembro de 2020. Enquanto isso, a XP ganhou 407 mil novos investidores, no mesmo período.

Hoje, há 6 milhões de contas de investimento ativas no País. A XP concentra 2,6 milhões de clientes (43,3%), seguida por BB (20,4%) e Itaú (14%), segundo relatório do Morgan Stanley. O dado considera as áreas de renda fixa, multimercados e ações.

O "fator XP" é um ponto de insatisfação entre os executivos de alta renda do Itaú Unibanco. Segundo fontes, há a impressão, dentro do banco, de que a sociedade na XP emprestava à corretora a credibilidade do Itaú, dando-lhe mais força. Mesmo antes de definir a saída da XP, o Itaú já vinha dando passos próprios em investimentos. O banco vai oferecer aos clientes, a partir deste mês, o app Íon, exclusivo para aplicações.

‘Surpresa’

Na terça-feira, ao anunciar seu balanço do terceiro trimestre, o Itaú surpreendeu o mercado e anunciou um movimento que, na prática, vai pavimentar o caminho para a saída do banco do capital da XP. Do total de 46% das ações que o banco detém hoje na corretora, 41% vão ser repassados a uma nova companhia, enquanto os 5% restantes seriam vendidos no mercado de ações.

A situação entre os sócios não era das melhores desde que o Itaú divulgou uma campanha publicitária em que insinuava que os agentes autônomos de investimento - por serem remunerados por comissões sobre as aplicações que indicam - podem não ter o melhor para o cliente em vista. A XP reagiu imediatamente e um mal estar foi criado entre as partes.

Além da competição com a XP, o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, disse ontem, em teleconferência, que a decisão está relacionada à impossibilidade de compra do controle da corretora - ideia que já foi barrada pelo Banco Central lá atrás, em 2017. "Prevíamos que iríamos adquirir o controle e influenciar na gestão na XP", disse ontem o executivo. Em vez disso, a XP virou "apenas" um investimento financeiro - e dos bons. O investimento do banco na XP já vale dez vezes mais: cerca de R$ 130 bilhões.

Procurada, a XP não quis comentar o assunto.

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

o melhor do seu dinheiro

Economia mundial: Um drama em dois atos

Os dois principais palcos da economia mundial estão com peças bem distintas em cartaz, mas ambas têm roteiros carregados de dramas que convergem um ao outro. Na maior economia do mundo, o mercado de juros volta a ficar pressionado após alguns meses de quase estabilidade. As últimas indicações do Federal Reserve sobre o rumo da […]

ficou para depois

Com maior aversão ao risco, Bluefit confirma adiamento de IPO

Adiamento é valido por um período de até 60 dias úteis contados a partir de 24 de setembro; empresa citou “condições de volatilidade no mercado de capitais”

estatal do RS

Privatização da Corsan, com IPO na B3, terá assessoria do BNDES

Primeiro serviço prestado pelo banco deve ser o de fornecer metodologia para seleção das instituições financeiras que coordenarão a abertura de capital

diversificação

Westwing compra Zarpo Viagens, ampliando lifestyle

Empresa adquirida trabalha em parceria com hotéis, resorts, pousadas e companhias aéreas; valor da operação não foi revelado

FECHAMENTO DO DIA

China e Estados Unidos aumentam cautela dos mercados globais e Ibovespa amarga queda de 3%; dólar avança

Apesar deva Petrobras ter mais uma vez protagonizado atritos no cenário local, os maiores focos de cautela vieram do exterior, e o Ibovespa acompanhou o ritmo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies