Menu
2020-10-09T09:32:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
PREÇOS EM ALTA

IPCA acelera em setembro e tem maior resultado para o mês desde 2003

Índice oficial de preços do País sobe 0,64% e supera expectativa de analistas

9 de outubro de 2020
9:32
inflação consumo
Imagem: Shutterstock

A inflação acelerou em setembro, na comparação mensal, atingindo o maior resultado para o período desde 2003.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial de preços do País, subiu 0,64% no mês passado, ficando acima dos 0,24% de agosto, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (9).

O resultado veio acima da mediana das expectativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, do Grupo Estado, que apontava para uma alta de 0,54%. A faixa de projeções variava de 0,45% a 0,61%.

No ano, o IPCA acumula alta de 1,34% e, em 12 meses, de 3,14%, superior aos 2,44% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. O resultado veio acima da mediana de projeções, de 3,03%

Comida cara

O principal responsável pela alta do IPCA em setembro, na comparação com agosto, foi o grupo alimentação e bebidas, cujos preços subiram 2,28%.

Segundo o IBGE, o crescimento ocorreu principalmente em função dos alimentos para consumo no domicílio, cujos preços subiram 2,89% frente a agosto. Entre as maiores variações, estão o óleo de soja (27,54%) e o arroz (17,98%), que acumulam no ano altas de 51,30% e 40,69%, respectivamente.

Os preços de outros produtos importantes na composição do IPCA também subiram, caso do tomate (11,72%), leite longa vida (6,01%) e carnes (4,53%).

No lado das quedas, os destaques foram cebola (-11,80%), batata-inglesa (-6,30%), alho (-4,54%) e frutas (-1,59%).

A alimentação fora do domicílio, que havia caído 0,11% em agosto, subiu 0,82% em setembro, influenciada pela alta nos preços do lanche (1,12%) e da refeição (0,66%). 

Outros segmentos

Houve altas em outros seis grupos do IPCA, com destaque para artigos de residência (1,00%), transportes (0,70%) e habitação (0,37%).

Após quatro meses em queda, o grupo vestuário registrou inflação, com alta de 0,37% dos preços.

Entre os grupos que tiveram diminuição de preços, o destaque foi a parte de saúde e cuidados pessoais, com recuo de 0,64% em setembro, na comparação com agosto.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies