Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-02-18T18:24:30-03:00
Estadão Conteúdo
Aos números

Consumo de gás natural cresce 30,24% em dezembro, puxado por térmicas

Forte expansão reflete o aumento de 141,36% nas vendas do insumo para geração termelétrica no período

18 de fevereiro de 2020
18:24
Gasoduto
Imagem de gasoduto - Imagem: Shutterstock

O consumo de gás natural cresceu 30,24% em dezembro de 2019 na comparação com igual mês de 2018, passando de 49,38 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) para 64,31 milhões de m³/d.

A forte expansão reflete o aumento de 141,36% nas vendas do insumo para geração termelétrica no período, de 10,89 milhões de m³/d para 26,29 milhões de m³/d.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 18, pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), com base em levantamento realizado com as concessionárias de todo o País.

As usinas a gás têm sido acionadas pelo Operador Nacional de Sistema Elétrico (ONS) desde o final do ano passado, por conta do baixo nível dos reservatórios das principais hidrelétricas. A título de ilustração, o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, considerado a "caixa d'água" do setor elétrico brasileiro por concentrar cerca de 70% do volume de armazenamento, operava com 33,70% da capacidade total no dia de segunda-feira, de acordo com informações do ONS.

Excluído o consumo das termelétricas, o mercado não-térmico de gás brasileiro caiu 1,2% em dezembro de 2019 frente a igual mês de 2018, de 38,49 milhões de m³/d para 38,02 milhões de m³/d. O principal motivo para essa queda foi a retração de 2,4% no consumo industrial, de 26,07 milhões de m³/d para 25,45 milhões. Além disso, o uso do gás para cogeração também teve diminuição de 9,54% no mesmo período, para 2,14 milhões de m³/d.

Por outro lado, as vendas de gás natural para clientes residenciais cresceram 10,01% em igual intervalo de comparação, para 1,29 milhão de m³/d. O consumo da classe comercial aumentou 13,33%, para 952 mil m³/d, e o uso do gás como matéria-prima se expandiu 9,18%, para 506 mil m³/d. A linha "outros", que inclui gás natural comprimido, teve alta de 205,53%, para 1,05 milhão de m³/d. O gás natural veicular (GNV) caiu 1,02%, para 6,62 milhões de m³/d.

Consumo em 2019

Na comparação entre os volumes médios de 2019 e 2018, o consumo de gás ficou estável no Brasil, com ligeira alta de 0,97%, de 64,007 milhões de m³/d para 64,626 milhões de m³/d. O consumo de gás pelas termelétricas subiu 3,25% no período, alcançando 23,89 milhões de m³/d. Porém, as vendas do insumo para o segmento industrial tiveram ligeira queda de 0,96%, para 27,97 milhões de m³/d.

Excluído o consumo das termelétricas, o mercado não-térmico de gás brasileiro foi de 40,72 milhões de m³/d em 2019, 0,3% abaixo dos 40,86 milhões de m³/d de 2018. "O consumo em 2019 manteve-se praticamente estável em relação ao ano anterior. Esperamos que, em 2020 e nos anos seguintes, esse cenário não se repita", analisa o diretor de Estratégia e Mercado da Abegás, Marcelo Mendonça.

Destaque positivo de 2019 foi que o mercado de GNV cresceu 3,24% no período, alcançando 6,056 milhões de m³/d. "O GNV vem crescendo desde que os preços dos combustíveis líquidos começaram a seguir a lógica do mercado internacional, estabelecendo uma competição mais justa. No ano de 2019, vemos a consolidação desse movimento de retomada", afirmou o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

em busca de recursos

B3 levanta US$ 700 milhões e revisa projeção de alavancagem

Segundo operadora da bolsa brasileira, a emissão faz parte da gestão ordinária dos negócios da companhia e visa diversificar as fontes de captação a condições atrativas de financiamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies