Menu
2020-05-13T15:17:38-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Distanciamento social

Com isolamento até junho, PIB cai mais de 6%, diz subsecretário do governo

Segundo Teles, a cada duas semanas a mais de isolamento, o PIB cai 0,70 pp., considerando a perda de R$ 20 bilhões a cada semana de distanciamento

13 de maio de 2020
15:17
Gráfico indicando queda
Gráfico indicando queda - Imagem: Shutterstock

O subsecretário de Política Macroeconômica do Ministério da Economia, Vladimir Kuhl Teles, afirmou que, se o isolamento social durar até o fim de junho, a queda do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano será superior a 6%. Segundo Teles, a cada duas semanas a mais de isolamento, o PIB cai 0,70 ponto porcentual, considerando a perda direta de R$ 20 bilhões a cada semana de distanciamento.

O cenário base, divulgado no Boletim MacroFiscal da Secretaria de Política Econômica (SPE), é de queda de 4,7% do PIB, considerando o impacto na trajetória de longo prazo da economia entre 5% e 6% e o fim do isolamento social em 31 de maio.

No limite, explicou Teles, a queda do PIB poderia chegar este ano a 6,2%, considerando o impacto de 10% na trajetória de longo prazo e final da retomada no segundo trimestre de 2021, mesmo com o fim da quarentena no término de maio.

O Secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, ainda destacou que a queda de 4,7% já seria a maior da série histórica, desde 1900. "Isso por si só já mostra a severidade do que estamos vivendo."

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

Subindo

Insumo no atacado tem forte alta em 12 meses, diz FGV

Em 12 meses, registraram a maior alta da série iniciada em agosto de 1995.

Informalidade

País tem taxa de informalidade de 39,5% no trimestre até dezembro, mostra IBGE

Em apenas um trimestre, mais 2,391 milhões de pessoas passaram a atuar como trabalhadores informais

A combinação perfeita

Depois da cerveja e do hambúrguer, Lemann faz grande aposta em educação

Agora, um dos donos da cervejaria ABInBev está no caminho de ter em sua carteira de investimentos, na qual já figuram empresas como Lojas Americanas, Burger King e Kraft Heinz

Banco Central

Superávit nominal do setor público soma R$ 17,928 bi em janeiro, mostra BC

O resultado nominal representa a diferença entre receitas e despesas do setor público, já após o pagamento dos juros da dívida pública

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies