Menu
2020-07-15T15:15:11-03:00
Estadão Conteúdo
ministro da economia

Cabotagem, setor elétrico, gás natural e petróleo serão destravados, diz Guedes

“Temos um Congresso reformista, nossa equipe trabalha junto”, disse Guedes durante a cerimônia em que o presidente Jair Bolsonaro sancionou o texto do marco legal do saneamento

15 de julho de 2020
15:15
Entrevista coletiva do ministro da economia, Paulo Guedes
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministros da Economia, Paulo Guedes, agradeceu nesta quarta-feira, 15, à Câmara e ao Senado pela aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento e sinalizou que agora outros projetos prioritários para a retomada do crescimento do País poderão ser acelerados no Congresso.

"Temos um Congresso reformista, nossa equipe trabalha junto", disse Guedes durante a cerimônia em que o presidente Jair Bolsonaro sancionou o texto, com vetos. "Vamos destravar agora cabotagem, setor elétrico, gás natural e petróleo", completou o ministro.

A nova lei do setor abre espaço para a iniciativa privada atuar com mais força na exploração dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto.

Aprovado pelo Senado no final de junho, o marco é apontado como instrumento crucial para a recuperação econômica pós-pandemia do novo coronavírus. "Esperamos de R$ 600 bi a R$ 700 bi em investimentos em saneamento nos próximos anos", comentou Guedes.

Também presentes ao evento, os ministros do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles, destacaram a importância da nova legislação.

"O Marco do Saneamento dá perspectiva de universalização concreta, real e efetiva", disse Marinho. "Temos carteira de mais de R$ 50 bi pronta para ser oferecida ao setor privado".

O ministro aproveitou para anunciar que o primeiro leilão na área deve ser em Alagoas e já em setembro. "Meta é chegar a 2033 com universalização de 90% em esgoto e 99% em água potável", afirmou, lembrando um dos objetivos contidos na lei.

Salles, por sua vez, pontuou que a previsão do novo marco é que os lixões se encerrem até 2024.

Os ministros participaram da cerimônia no Palácio do Planalto e o presidente Bolsonaro marcou presença por videoconferência.

Ele está em isolamento no Palácio da Alvorada se recuperando da infecção de covid-19.

Marinho deu a palavra ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para falar da importância do marco para a saúde, mas Pazuello preferiu não discursar.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Ajuda na crise

Guedes revela o valor do novo auxílio emergencial e diz que governo pode gastar mais se necessário

Os valores da nova rodada de auxílio emergencial irão de R$ 175 a R$ 375, sendo R$ 250 em média, de acordo com o ministro

apetite chinês

O ano do boi será o ano dos frigoríficos, e o Credit Suisse aponta melhor ação para aproveitar o momento

Peste suína africana nos rebanhos de suínos chineses e demanda por alimentos devem resultar em importação recorde de carne pela China

prepara o bolso

Mais um? Petrobras anuncia novo aumento nos preços do diesel e da gasolina

Diesel vai subir R$ 0,15 por litro e a gasolina será de R$ 0,23 por litro a partir de amanhã nas refinarias da empresa, diz Abicom

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies