Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Dados da Bolsa por TradingView
2020-08-14T05:59:08-03:00
Sextou com o Ruy

Com a Selic a 2%, você terá que esperar 50 anos para recuperar investimento na renda fixa

Não quer tomar risco? Então vai ter que esperar até 2070 para receber o dinheiro investido de volta com investimento na renda fixa mais conservadora. “No pain, no gain.”

14 de agosto de 2020
5:57 - atualizado às 5:59
Touros e Ursos CAPA MATERIA caracol moedas dinheiro
Imagem: Shutterstock

Na semana passada, falamos sobre a avaliação por múltiplos e algumas armadilhas que você deve prestar atenção quando está utilizando esta ferramenta.

O principal erro é utilizar o tal "preço/lucros" para analisar empresas que estão em elevado ritmo de crescimento.

Isso porque boa parte do valor dessa empresa estaria nos resultados futuros, e como o "p/l" utiliza os lucros atuais, as duas coisas não conversam.

Contudo, quando se trata de resultados estáveis, ainda podemos usar e abusar desse método útil e definir a atratividade de um investimento em poucos minutos.

Podemos inclusive entender – e aproveitar – uma mudança estrutural que tem acontecido no mercado financeiro brasileiro.

Preço/Lucros na renda fixa

Podemos facilmente adaptar o modelo de avaliação por múltiplos de ações para a Renda Fixa, quer ver?

Em 2016, a Taxa Selic rondava os 14% ao ano e cada R$ 100 reais investidos em uma LFT renderia R$ 14 reais no final do ano.

Podemos tratar o rendimento como um lucro e, com base naquela continha que aprendemos na semana passada, concluímos que esse título estava negociando a 7,1 vezes lucros em 2016.

Ou seja, você demoraria 7 anos para reaver o investimento realizado nelas e sem correr qualquer risco.

Nada mal, considerando que o próprio Ibovespa tem negociado bem acima de 10 vezes preço/lucros nos últimos anos e ainda carrega o risco de se investir em ações.

Acabou-se o que era doce

Mas se você está a par das últimas notícias do mercado, já deve ter visto que o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic para 2% ao ano na semana passada.

Fonte: Banco Central do Brasil

Neste momento, o mesmo investimento de R$ 100 em um título LFT vai render para o seu bolso R$ 2 no fim de um ano.

Isso significa o mesmo que pagar 50 vezes lucros em um ativo.

Não quer tomar risco? Então vai ter que esperar até 2070 para receber o dinheiro investido de volta. "No pain, no gain."

Mudança de paradigma

É por esse motivo que, em poucos anos, o Brasil passou de paraíso dos rentistas – aqueles que ganhavam um bom dinheiro sem precisar se arriscar – para um país onde investir em ações não só faz sentido, como passa a ser necessário para qualquer um que busca garantir tranquilidade financeira no longo prazo.

Não é à toa que a indústria de investimentos virou de pernas para o ar desde o início dos cortes de juros, em outubro de 2016.

A alocação média dos fundos em renda variável (ações, opções, fundos imobiliários, etc) tem subido bastante.

E uma enxurrada de pessoas físicas têm tirado o dinheiro da poupança e do Tesouro Direto em busca de investimentos com maior rentabilidade na bolsa.

Fonte: B3

As maiores beneficiadas

Com o fim da aberração da Taxa Selic "negociando" a 7x lucros, a maior vencedora é a própria economia brasileira.

Em um país onde a renda fixa sem risco traz mais retorno que ações, por que alguém vai correr o risco de comprar ações ou abrir uma empresa?

Não existe o menor incentivo!

No entanto, agora que a taxa básica de juros está em níveis decentes, mais gente está disposta a investir em ações ou abrir empresas, mais dinheiro as companhias terão para investir, mais empregos serão gerados e quem ganha é o país.

Também podemos aproveitar esse movimento como investidores. Como você já deve ter notado, as ações da B3 serão uma das grandes beneficiadas dessa mudança estrutural, com mais gente migrando para a bolsa e mais fundos investindo em ações – ambos os processos ajudando os resultados da companhia por vários anos.

Mas há outras oportunidades que devem aproveitar o momento atual pra apresentar uma valorização ainda maior, como é o caso da empresa que Max Bohm identificou na série As Melhores Ações da Bolsa.

Segundo o Max, ela tem tudo para se transformar NA ação do segundo semestre, se beneficiando, inclusive, das eleições norte-americanas que acontecem em novembro.

Deixo aqui o convite caso queira conhecer a série que, além dessa sugestão, ainda traz outras 15 indicações para investir agora e começar a capturar a recuperação da bolsa.

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PROVENTO EM DÓLAR

Aura Minerals (AURA33) anuncia dividendos e programa de recompra de BDRs — veja o que muda para os acionistas

O pagamento chegará bem a tempo para o Natal dos investidores nacionais, mas para ter direito é preciso possuir os ativos em 9 de dezembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa perto de perder os 100 mil pontos, Petrobras na mira de Paulo Guedes e outros destaques do dia

A dinâmica dos mercados globais nos últimos dias lembra muito os primeiros momentos de incerteza que marcaram o início da pandemia do coronavírus, no início de 2020. A covid-19 não é mais uma doença desconhecida e as vacinas já estão disponíveis no mercado, mas a desigualdade na distribuição de imunizantes e a recusa de muitos […]

FECHAMENTO DO DIA

Racha no Senado e chegada de ômicron aos Estados Unidos levam o Ibovespa a renovar as mínimas do ano (mais uma vez); dólar sobe

Embora o dia tenha começado positivo para o Ibovespa e as demais bolsas globais, a variante ômicron e a dificuldade de aprovar a PEC dos precatórios azedaram os negócios

CRYPTO NEWS

Aprenda com o bitcoin: não perca o timing com a próxima promessa cripto

O mercado de criptomoedas tem colocado alguns sorrisos nos rostos de quem vem investindo nessa classe de ativos

RECEITAS EM ALTA

Acredite se quiser! Governo pode ter primeiro superávit primário desde 2013 ainda neste ano

A notícia surpreende num momento em que um dos maiores temores do mercado financeiro é justamente o descontrole das contas públicas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies