Menu
2019-04-07T14:24:41-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Após três meses

Governo Bolsonaro é desaprovado por 30% da população, diz Datafolha

Outros 33% classificaram a gestão como “regular”; 32% avaliaram como “ótima ou boa”

7 de abril de 2019
10:19 - atualizado às 14:24
Jair Bolsonaro, presidente da República
Segundo o Datafolha, é o pior início de gestão para um presidente em primeiro mandato desde a redemocratização - Imagem: Flickr/Palácio do Planalto

Após três meses de governo, Jair Bolsonaro tem a pior avaliação entre os presidentes eleitos para um primeiro mandato desde o fim do regime militar, de acordo com levantamento Datafolha. As informações foram divulgadas neste domingo pelo jornal Folha de S. Paulo.

A pesquisa, feita com 2.086 pessoas em 130 municípios, indica que 30% da população considera o governo de Bolsonaro como "ruim ou péssimo". 33% classificaram o presidente como "regular", e outros 32% como "ótimo ou bom" — 4% não souberam opinar. O levantamento tem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Segundo o Datafolha, tais índices são os piores para um presidente em primeiro mandato desde a redemocratização, em 1985. Após três meses no poder, Fernando Collor era avaliado como "ótimo ou bom" por 36% dos brasileiros, enquanto outros 19% consideravam-no "ruim ou péssimo".

Fernando Henrique Cardoso, em 1995, chegou a 39% de aprovação após o primeiro trimestre de governo, com 16% de desaprovação. O governo Lula, em 2003, era classificado como "ótimo ou bom" por 43% da população após os primeiros três meses de mandato, com 10% de avaliações "ruim ou péssimo".

Por fim, o início da gestão Dilma Rousseff em 2011 foi o que obteve as melhores avaliações entre os presidentes em primeiro mandato. De acordo com o Datafolha, 47% dos brasileiros consideravam a petista como "ótima ou boa" no primeiro trimestre do governo, contra apenas 7% de "ruim ou péssima".

Na última sexta-feira, um levantamento XP/Ipespe mostrou queda na taxa de aprovação do governo Bolsonaro. O percentual de entrevistas que considera a gestão atual como "ótima ou boa" caiu de 37% para 35%, dentro da margem de erro, mas abaixo dos 40% vistos nas pesquisas feitas em janeiro e fevereiro.

Expectativa

O Datafolha também questionou os entrevistados a respeito das expectativas em relação ao governo Bolsonaro. 59% disseram acreditar que atual gestão fará um governo "ótimo ou bom", abaixo dos 65% registrados antes da posse.

O levantamento publicado hoje pela Folha de S. Paulo também mostra que 16% da população tem hoje uma perspectiva "regular" para a atual gestão, ante 17% antes do início do governo. Por fim, 23% afirmaram ter expectativa "ruim ou péssima" — antes da posse, esse índice era de 12%.

Mourão

A pesquisa Datafolha ainda mostra que o vice-presidente Hamilton Mourão possui reprovação menor que a de Bolsonaro, passados três meses de governo.

Segundo os resultados publicados pela Folha de S. Paulo, 18% dos entrevistados consideraram Mourão "ruim ou péssimo". Outros 32% avaliaram o vice-presidente como "regular", mesmo índice de pessoas que o classificaram como "ótimo ou bom". No entanto, 59% dos entrevistados não souberam dizer quem era o vice-presidente da República. Somente 37% acertaram o nome dele, enquanto 4% erraram o nome de Mourão.

Resposta do presidente

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro manifestou-se a respeito dos resultados da pesquisa Datafolha:

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Custo bilionário

Governo prevê a contratação de quase 51 mil servidores no orçamento de 2021

A partir de 2022, o custo anualizado do governo para manter essas novas despesas sobe para R$ 4,5 bilhões.

SÓ ELOGIOS

O bom, o ótimo e a Weg: BofA eleva preço-alvo das ações a R$ 90

Para analistas, empresa tem tudo para manter os resultados em patamares alto, justificando valor de mercado caro

MAIS UMA

Dona da Puket e da Imaginarium quer listar ações na bolsa

Uni.co, controladora das marcas, pretende utilizar recursos para expandir operações e vender participação do fundo Squadra

Desemprego

Brasil perdeu 382,5 mil empresas em 5 anos de saldos negativos, diz IBGE

Em cinco anos de dificuldades e fechamentos de empreendimentos, 2,9 milhões de trabalhadores perderam seus postos de trabalho

SUSPEITAS

Sede da Qualicorp é alvo de operação da Polícia Federal

Medida foi tomada no âmbito da Operação Triuno, que investiga suspeitos de lucrar ilegalmente com simulação de prestações de serviços e fornecimento de produtos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies