Menu
2019-01-08T16:19:36-02:00
Estadão Conteúdo
Após declarações polêmicas

Presidente da Caixa nega alta de juros no crédito imobiliário para a classe média

Declaração de Pedro Guimarães vai contra fala feita nesta segunda-feira, em que afirmou que “quem é classe média tem de pagar mais”

8 de janeiro de 2019
16:19
Pedro Guimaraes, presidente da Caixa Econômica Federal
Guimarães esclareceu que sua afirmação sobre juros foi uma constatação matemáticaImagem: Clauber Cleber Caetano/PR

O novo presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, negou nesta terça-feira, 8, que o banco vá aumentar os juros do crédito imobiliário para a classe média. Na segunda-feira, na cerimônia de posse dos novos titulares dos bancos públicos, em Brasília, ele afirmou que "quem é classe média tem de pagar mais". "Ou vai buscar no Santander, Bradesco, Itaú. Na Caixa, vai pagar um juro maior que o do Minha Casa, certamente, porque vai ser um juro de mercado". Segundo Guimarães, porém, a declaração foi reproduzida de forma distorcida pelos veículos de imprensa.

Após participar da cerimônia de transmissão de cargo do novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, no Rio, Guimarães esclareceu que sua afirmação foi uma constatação matemática, já que o menor juro do mercado no crédito imobiliário é o do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Guimarães qualificou a forma como suas declarações foram publicadas de "desonestidade intelectual" e disse que não é "correto matematicamente" comparar o crédito imobiliário do MCMV com o crédito para a classe média. "É óbvio que o juro para a classe média, que não é o MCMV, por definição matemática, é maior. Aí, vocês (a imprensa) trocaram o que falei para dar manchete. Agora, matematicamente, o MCMV para pobre é menor. Foi o que falei", disse Guimarães.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mais uma opção

Empresa protocola na Anvisa pedido para uso emergencial da Sputnik V

Neste domingo, Anvisa se reunirá para tratar de pedidos para uso de vacinas CoronaVac e a da AstraZeneca/Oxford

Seguro obrigatório

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela Caixa

Banco agora é o responsável pela gestão dos recursos do seguro e pelo pagamento das indenizações. A medida começa a valer a partir desta segunda-feira

Sinal verde

Bolsonaro não deve mais barrar a Huawei no leilão do 5G no Brasil

Segundo fontes do Palácio do Planalto e do setor de telecomunicações, o banimento da empresa chinesa provocaria um custo bilionário com a troca dos equipamentos

Impasse

Guedes monta operação ‘apara arestas’ para manter Brandão à frente do Banco do Brasil

Por enquanto, o presidente do BB está no “limbo” na avaliação de funcionários do próprio banco, sem uma manifestação pública do presidente e de Guedes

IPO

Espaçolaser pode arrecadar até R$ 3 bilhões em estreia na B3

Maior rede de clínicas de depilação do País lançou ontem sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies