🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
Anticompetitivos

Bradesco, Cielo e Banco do Brasil pagarão R$ 33,8 milhões por fim de processo no Cade

Investigação sobre discriminação de lojas que não utilizam maquininhas da Cielo chegou a um fim milionário

Estadão Conteúdo
19 de setembro de 2018
17:15 - atualizado às 22:34
Pagamento
Instituições são investigadas por discriminar lojistas que usam maquininhas concorrentes da CieloImagem: Shutterstock

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) firmou acordo com a Cielo e suas controladoras Bradesco e Banco do Brasil e encerrará processo que investiga condutas anticompetitivas adotadas pelas empresas. Pelo acordo, elas pagarão um total de R$ 33,8 milhões e se comprometeram a cessar as práticas irregulares.

As instituições são investigadas por discriminar lojistas que usam as maquininhas concorrentes da Cielo. Entre as práticas denunciadas está a não antecipação de crédito com base nos recebíveis para clientes de outras credenciadoras - o que, para muitos lojistas, é essencial para manutenção de suas atividades -, a cobrança de taxas maiores desses clientes e a venda casada de contratos da credenciadora e de serviços dos bancos, como a abertura de contas.

A maior multa será paga pela Cielo, de R$ 29,7 milhões. O Bradesco pagará R$ 2,23 milhões e o BB, R$ 1,94 milhão. Trata-se do maior montante já pago por empresas em investigação de conduta unilateral, que ocorre quando uma empresa impõe barreiras a concorrentes no mercado. "O acordo permitirá um ambiente de maior liberdade de negociações entre clientes, credenciadoras e bancos", afirmou o presidente do Cade, Alexandre Barreto.

O conselheiro João Paulo Resende votou contra a homologação do acordo e fez duras críticas ao Cade por firmar acordos na casa de milhões com bancos que faturam bilhões e que "reiteradamente adotam condutas anticompetitivas". "Estamos diante de um altíssimo nível de reincidência por parte de bancos e credenciadoras. Estamos falando dos agentes de maior poder econômico do Brasil, empresas com altíssimo faturamento. Os valores estão muito aquém da capacidade dissuasória", afirmou.

Outros conselheiros também criticaram o valor e mostraram preocupação com as reiteradas irregularidades apresentadas no setor, apesar de terem votado a favor dos acordos. O inquérito contra bancos e credenciadoras foi instaurado em 2016. Em julho, o Itaú e sua controlada Credicard também firmaram acordo no mesmo processo com o Cade e pagaram R$ 21 milhões.

Cielo, Elo, Itaú e Redecard já haviam firmado acordo com o Cade em outro processo que investiga acordos de exclusividade entre bandeiras e credenciadoras de cartão de crédito.

Compartilhe

ATENÇÃO, ACIONISTA!

Dividendos e JCP: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento de R$ 781 milhões em proventos; confira prazos

26 de agosto de 2022 - 18:54

A distribuição do montante será feita em antecipação ao terceiro trimestre de 2022, de acordo com informações do próprio banco

Market Makers

Banco do Brasil (BBAS3) está ‘ridiculamente barato’, diz Sara Delfim, da Dahlia

25 de agosto de 2022 - 18:00

Analista e sócia-fundadora da Dahlia Capital, Sara Delfim retorna ao Market Makers ao lado de Ciro Aliperti, da SFA Investimentos, para detalhar suas teses de investimento

Hora de comprar

Ação do Banco do Brasil (BBAS3) ainda está barata e Itaú BBA revisa preço-alvo para cima

23 de agosto de 2022 - 11:40

Destaque da temporada de balanços, o Banco do Brasil conta com recomendação de compra de suas ações da ampla maioria dos analistas

MENOS LUCRO

Lula fala em enquadrar Banco do Brasil (BBAS3) e quer lucro menor que concorrentes privados

17 de agosto de 2022 - 17:09

Líder nas pesquisas, Lula disse que, em um eventual novo governo, irá “orientar” o Banco do Brasil; ações BBAS3 fecham em queda

BOMBOU NAS REDES

Banco do Brasil ‘vence’ Bradesco em rentabilidade e ações disparam 53% no ano — estatal ainda pagará R$ 2 bilhões em dividendos e analista alerta: BBAS3 supera Nubank (NUBR33)

15 de agosto de 2022 - 13:49

Após resultados fortíssimos no segundo trimestre, as ações do Banco Brasil estão em disparada. Descubra se vale a pena comprar os papéis

SEXTOU COM O RUY

Investir em estatal vale a pena? Uma reflexão sobre como o Banco do Brasil (BBAS3) subverteu as máximas dos manuais de investimentos

12 de agosto de 2022 - 5:57

Banco do Brasil (BBAS3) negocia com múltiplos baixos demais para a qualidade dos resultados que tem apresentado e ainda guarda um bom potencial de valorização

MISSÃO CUMPRIDA

Banco do Brasil tem lucro de R$ 7,8 bilhões no 2T22 e cumpre promessa de se equiparar a bancos privados em rentabilidade

10 de agosto de 2022 - 19:12

Lucro do Banco do Brasil aumentou 54,8% em relação ao mesmo período de 2021 e rentabilidade sobre o patrimônio líquido superou a do Bradesco

BALANÇO

BB Seguridade tem salto no lucro e anuncia data para pagar dividendos; banco recomenda compra de BBSE3

8 de agosto de 2022 - 12:06

A holding de seguros do Banco do Brasil lucrou R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre e vai distribuir mais de R$ 2 bilhões em dividendos no dia 29 de agosto

A NATA DA B3

Suzano (SUZB3) ou Klabin (KLBN11): veja qual empresa de papel é a ação mais recomendada para julho — e confira as principais indicações das corretoras

5 de julho de 2022 - 7:03

O candidato ideal para substituir o plástico e atrair um mercado que valoriza cada vez mais a agenda ESG é o principal produto da ação mais recomendada para julho

SEGURO AGRO É POP?

Banco do Brasil (BBAS3) e BB Mapfre criam plataforma digital para o agronegócio

27 de junho de 2022 - 10:17

A Broto será focada na cadeia produtiva do setor, aproveitando a proximidade do Banco do Brasil (BBAS3) com o segmento

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies