Menu
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Taxa Zero

O ‘efeito XP’ e o que ele significa para seus investimentos

Bancos de varejo seguem tendências de corretoras independentes e zeram taxa para investir no Tesouro Direto

19 de setembro de 2018
7:51 - atualizado às 16:32
Bancos de varejo seguem tendências de corretoras independentes e zeram taxaImagem: Shutterstock

Os grandes bancos chegaram à conclusão de que também precisam zerar as taxas de algumas aplicações. O chamado 'efeito XP' é a tendência iniciada pelas corretoras independentes em zerar as taxas dos investimentos em Tesouro Direto, o que mexeu com os varejistas para que eles façam o mesmo.

Passando a tesoura

O Itaú e o Bradesco já passaram a tesoura nas tarifas, enquanto o Banco do Brasil deve anunciar seus planos de fazer o mesmo em breve. As informações são da coluna "Broadcast", do "Estadão". Em comunicado, o Santander anunciou hoje que também estenderia a isenção das taxas a todos os clientes.

Menos da metade 

Hoje, das 59 instituições financeiras habilitadas para operar com o Tesouro Direto, apenas 24 não cobram taxa dos clientes. Mas há um ano, apenas um grupo de 15 empresas faziam parte da lista. O cenário dos juros baixos é um dos fatores que mais motiva os bancos a seguirem pelo mesmo caminho, ainda segundo o Estadão.

Comentários
Leia também
Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu