Menu
2019-11-05T19:01:12+00:00
Revendo conceitos

BNDES anuncia mudança na política de atuação no mercado de capitais

Novo normativo deverá permitir uma aceleração das vendas da carteira de participações do banco de fomento

5 de novembro de 2019
19:01
BNDES
Imagem: Shutterstock

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou mudanças em sua Política de Atuação em Mercado de Capitais, após divergências entre a diretoria da instituição de fomento e técnicos da área responsável pela gestão da carteira de participações acionárias culminarem com a saída do diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto, André Laloni, em meados de outubro.

O novo normativo deverá permitir uma aceleração das vendas da carteira de participações do BNDES. A BNDESPar, empresa de participações do banco, está entre os maiores investidores institucionais do País, com R$ 106,9 bilhões apenas em ações de grandes companhias, conforme os dados do segundo trimestre.

"Com os ajustes, o Banco fortalece a governança de suas operações em renda variável, ficando mais alinhado às práticas de mercado. O aperfeiçoamento na política foi construído em conjunto e passou por todos os colegiados do BNDES, incluindo os comitês técnicos, a diretoria e os conselhos", diz uma nota divulgada pelo banco de fomento.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A nova política ampliou as metodologias disponíveis para fixar o "valor justo" e as faixas de preços adequadas para compra e venda de ações. O normativo anterior previa que, preferencialmente, deveria se utilizar o método do "fluxo de caixa descontado" para precificar ativos. A nova política permite à área técnica utilizar quatro metodologias: além do fluxo de caixa descontado, as opções são a avaliação por múltiplos de mercado; métodos baseados em preços de mercado para ativos líquidos; e o valor patrimonial.

Nas operações envolvendo participações acionárias que estejam avaliadas acima de R$ 1 bilhão, "deverão ser utilizados métodos de forma combinada".

"A precificação dos ativos se dará a partir de um conjunto mais robusto de informações, pois é baseada em diferentes metodologias, todas elas referendadas pela legislação de mercado de capitais", diz a nota do BNDES. As operações envolvendo participações acima de R$ 1 bilhão também deverão passar por aprovação dos conselhos de administração - não só do BNDES, mas também da BNDESPar, a empresa de participações do banco.

Outra mudança é que a nova política reduzirá o limite do indicador "VaR" ("value at risk", indicador que aponta a variação do valor de uma carteira de ações em um único dia). O VaR da carteira do BNDES é considerado elevado. Sua redução exigirá, ao longo do tempo, uma redução acelerada do tamanho da carteira do banco de fomento.

Segundo o BNDES, a nova política também prevê "maior flexibilidade" nas formas de vender as participações. O normativo dará maior respaldo para que a área técnica opte por "oferta pública, venda em pregão em bolsa de valores, fusões e aquisições, exercícios de direitos contratuais ou legais e operações de balcão". A opção entre vender ações em ofertas públicas ou nos pregões da bolsa, pela "mesa de operações" do banco, foi um dos pontos de divergência entre a diretoria e a área técnica.

Como revelou há um mês o Estadão/Broadcast, desde setembro, a relação entre a diretoria e técnicos da área responsável pela gestão da carteira estava marcada por tensões e divergências em torno da melhor forma de acelerar as vendas, uma das metas colocadas ainda para este ano pelo presidente Gustavo Montezano. Ao longo de outubro, as tensões foram subindo de tom até que levaram à exoneração de Laloni.

Receios de serem responsabilizados, no futuro, por operações que possam vir a ser consideradas como prejudiciais ao BNDES seriam o principal motivo por trás da resistência da área técnica do banco em tomar decisões que não encontrem respaldo integral em normativos internos. A aprovação das novas regras, confirmada nesta terça-feira, é um movimento para atender a essa demanda por parte dos técnicos.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

SUGESTÃO DE LEITURA

Estou interessada nesta criptomoeda…

Da lista de 12 criptomoedas citadas pela Helana Margarido, uma delas deve entrar em um ótimo ponto de compra nos próximos dias

Acusações de corrupção

Ex-presidente da Braskem é preso em Nova York

José Carlos Grubisich foi acusado de conspiração por violar uma lei de corrupção estrangeira dos EUA e por conspiração para lavagem de dinheiro

Próxima fase

CCJ da Câmara aprova PEC da 2ª instância

Por 50 votos a 12, comissão admitiu a proposta que abre caminho para prender condenados após a segunda instância

Ricos e famosos

Saiba como 5 celebridades entraram no clube dos bilionários

Nos últimos anos o grupo dos bilionários passou a contar com nomes bem conhecidos do público. Dois deles passaram a fazer parte da lista em 2019

Dinheiro entrando

Carlos Slim Domit anuncia plano de investimento de R$ 30 bilhões no Brasil em 3 anos

Aporte de recursos será feito para ampliar a infraestrutura necessária para o desenvolvimento de novos serviços e de armazenamento em nuvem

De cara nova

BNDES elege dois conselheiros e informa que poderá devolver até R$ 200 bilhões ao Tesouro até 2022

Marcelo Serfaty e Marcelo Sampaio foram eleitos para o Conselho de Administração do banco de fomento em Assembleia Geral Extraordinária

Esclarecendo

Campos Neto: Se câmbio contaminar inflação, atuação será via taxa de juros

Presidente do BC, Roberto Campos Neto, diz que foi mal interpretado e faz esclarecimento sobre relação do dólar com inflação e resposta do BC

Juros bancários

BC vai divulgar novo plano para mudar cheque especial ainda neste ano

Em audiência na Câmara dos Deputados, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que é preciso fazer uma “reengenharia” do cheque especial

É dólar que sai

Fluxo cambial total em novembro até dia 14 é negativo em US$ 1,1 bilhão

Banco Central também informou que, no ano, o fluxo cambial até 14 de novembro ficou negativo em US$ 22,628 bilhões

Impeachment de Trump

Embaixador dos EUA na UE confirma que Trump pressionou Ucrânia a investigar democratas

O diplomata Gordon Sondland implicou ainda outros membros da alta administração do governo em audiência sobre o processo de impeachment do presidente

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements