🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
CONVERSA COM DIRETOR

Fundo de criptomoedas por R$ 0,01: executivo explica estratégia da gestora do Banco do Brasil (BBAS3) para disponibilizar produto para público amplo

Entre outras mudanças ocorridas na gestão do fundo, Mário Perrone, diretor comercial e de produtos da gestora, contou para o Seu Dinheiro o motivo

Renan Sousa
Renan Sousa
27 de maio de 2024
6:01 - atualizado às 5:49
Mário Perrone, diretor comercial e de produtos da BB Asset
Mário Perrone, diretor comercial e de produtos da BB Asset - Imagem: Divulgação

Há pouco mais de uma semana, a gestora do Banco do Brasil (BBAS3), a BB Asset, anunciou a mudança no fundo BB Multimercado Criptoativos Full LP FIC FI, focado em investimentos em criptomoedas.

Antes, o fundo era destinado apenas para investidores qualificados — isto é, aqueles que possuem mais de R$ 1 milhão investidos ou tenham alguma certificação aceita pela CVM — com aplicação inicial de R$ 1 mil. Agora, o produto é disponibilizado para o público amplo por apenas R$ 0,01.

Entre outras mudanças ocorridas no fundo, Mário Perrone, diretor comercial e de produtos da BB Asset, contou ao Seu Dinheiro o motivo para tal mudança.

Recentemente, a gestora  atingiu R$ 1,6 trilhão em ativos sob gestão, se consolidando como a maior gestora brasileira com uma parcela de 20% do mercado. 

Ele explica que houve uma demanda crescente pelo mercado de criptomoedas, o que gerou uma procura por produtos relacionados a esse setor. “Tivemos diversas captações importantes desde o lançamento [do fundo], em fevereiro de 2022”, explica ele.

De acordo com informações de abril, o BB Multimercado Criptoativos chegou a quase US$ 40 milhões de patrimônio nos últimos 12 meses.

Fonte: relatório do Banco do Brasil

Além disso, a mudança na legislação, também ajudou na tomada de decisão.

A mudança passou a permitir que fundos com 100% do patrimônio investido no exterior fossem disponibilizados para todos os investidores. Do mesmo modo, o estabelecimento de um marco regulatório local auxiliou no aumento da demanda. 

No passado, os fundos brasileiros precisavam investir em outros fundos no exterior, o que acabava encarecendo ainda mais a operação. Com a mudança, os produtos tenderam a ficar mais acessíveis.

Como competir com outros fundos?

Recentemente, os Estados Unidos aprovaram seus primeiros fundos de índice (ETFs, em inglês) em criptomoedas. Já no Brasil, há uma série de produtos do tipo, tanto de fundos negociados em bolsa quanto fora delas.

Para competir nesse mercado, Perrone comenta que aposta na confiabilidade do ecossistema do Banco do Brasil para atrair os clientes.

“Muitos clientes desejam investir mas tem dúvidas e o fundo é uma solução para simplificar a jornada do cliente dentro do banco, começando, inclusive, pelo preço”, diz ele, sobre a alocação mínima de um centavo.

Ele explica que a jornada para um cliente investir por meio de uma exchange de cripto ainda é complexa para maioria das pessoas.

Gestão dinâmica de ativos

Além disso, o produto tem uma gestão dinâmica. A intenção é acompanhar as idas e vindas desse mercado, conhecido pela intensa volatilidade.

Ele explica que, atualmente, o fundo é majoritariamente alocado em bitcoin (BTC), mas já teve uma grande parcela em ativos de maior risco, como aqueles relacionados ao mercado de finanças descentralizadas (DeFi).

“Nós enxergamos que a taxa de 2% ao ano mais somada com a taxa sobre o desempenho do bitcoin como competitiva”, explica ele.

De acordo com dados de abril, o fundo acumulou retornos de 64,02% nos últimos 12 meses, correspondendo a 519% do CDI, índice brasileiro de referência. No acumulado de 2024, a alta é de 35,19%, 994% do CDI.

Compartilhe

CRIPTOMOEDAS HOJE

Sabe quem não saiu do ar com a pane cibernética? O bitcoin (BTC), que aproveitou para subir para os US$ 66 mil hoje

19 de julho de 2024 - 15:15

Verdade seja dita, desde a criação do bitcoin em 3 de janeiro de 2009, a maior criptomoeda do mundo ficou online 99,99% do tempo

DESCOMPRESSÃO

Bitcoin (BTC) avança para os US$ 62 mil: veja os dois eventos que fizeram os preços da maior criptomoeda do mundo ‘respirar’ hoje

15 de julho de 2024 - 8:48

Um dos fatores que contribuíram para um alívio nos preços do bitcoin e das demais criptomoedas do mundo foi o fim das transferências do governo da Alemanha

CRIPTOMOEDAS HOJE

Por que o atentado contra Trump ajudou o bitcoin (BTC) recuperar o patamar de US$ 60 mil

14 de julho de 2024 - 10:03

Depois de patinar no início de julho, bitcoin (BTC) mostrou uma recuperação mais firme após o atentado de sábado contra Trump

É A VOLTA DO RALI

Bitcoin (BTC) salta e busca os US$ 59 mil após inflação dos EUA vir menor que o esperado; veja criptomoedas que sobem hoje

11 de julho de 2024 - 10:33

Imediatamente após os dados de inflação, os mercados já precificaram em cerca de 87% de chance de o Fed começar a cortar as taxas em sua próxima reunião, em setembro

CRIPTOMOEDAS HOJE

Até onde vai o preço do bitcoin (BTC)? Queda pode colocar criptomoeda no nível de US$ 50 mil, mesmo com expectativas positivas para 2024

8 de julho de 2024 - 12:12

Apesar das perspectivas de curto prazo serem negativas, analistas ouvidos pela reportagem apontam que, em um horizonte maior, o bitcoin tende a se valorizar

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) começa semana com desconto de 6% após perdas recentes; entre as criptomoedas, Notcoin (NOT) salta 50% hoje 

7 de julho de 2024 - 11:49

O Notcoin começou como um jogo que se tornou viral entre os usuários do app de mensagens Telegram

EM QUEDA LIVRE

Bitcoin (BTC) perde suporte e chega aos US$ 54 mil; criptomoedas derretem em meio à crise da gestora Mt. Gox

5 de julho de 2024 - 9:41

Gestora que entrou em falência há dez anos realizará pagamentos aos credores neste mês; distribuição de bitcoins no mercado pressionam os preços das criptomoedas nesta sexta-feira (5)

DESCE?

Bitcoin (BTC) cai e testa suporte de US$ 57 mil com vencimento de contratos somando mais de US$ 340 milhões

4 de julho de 2024 - 7:27

Além disso, a ausência de negócios em Nova York em virtude do feriado de independência dos EUA tende a trazer volatilidade aos negócios

ONDE INVESTIR NO 2º SEMESTRE

Bitcoin (BTC) vai renovar máximas históricas de novo? Analistas veem criptomoedas apenas no início de um ciclo de novas altas

4 de julho de 2024 - 6:15

Conheça também três setores e três moedas virtuais que podem se valorizar no segundo semestre de 2024

REAL DIGITAL

Um jabuti no Drex: Congresso usa PEC da autonomia do BC para preservar cartórios dos impactos do real digital

3 de julho de 2024 - 9:43

Jabuti que limita uso do real digital para reduzir burocracia foi inserido na PEC da autonomia do BC durante tramitação na CCJ do Senado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar