🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Destaque do trimestre

Itaú lucra quase “dois Bradescos”, controla inadimplência e lidera rentabilidade entre bancos privados; ações sobem na B3

Sem surpresas, banco mostrou melhor gestão da carteira de crédito do que seus pares

Fachada de agência do Itaú
Fachada de agência do Itaú -

O Itaú Unibanco (ITUB4) justificou, mais uma vez, por que suas ações são as mais recomendadas para compra dentre os bancos privados. A instituição registrou lucro recorrente gerencial de R$ 8,4 bilhões no primeiro trimestre deste ano, praticamente o dobro do que o Bradesco (BBDC4) apresentou ao mercado na semana passada, R$ 4,280 bilhões. A cifra também é quase quatro vezes o lucro informado pelo Santander Brasil (SANB11) no período.

Mais do que o lucro em si, o balanço do Itaú mostrou que ele tem gerenciado com sabedoria sua carteira de crédito. Enquanto o Bradesco observou um salto de 0,8 ponto percentual na inadimplência no trimestre, para 5,1%, o Itaú manteve o indicador estável em 2,9%.

O Itaú conseguiu melhorar ainda mais a rentabilidade medida pelo retorno sobre o patrimônio (ROE), que avançou 0,3 ponto percentual no ano, chegando a 20,7%. O índice também subiu 1,4 ponto percentual na comparação com o quarto trimestre de 2022.

Com esse resultado, as ações do Itaú operam em alta na bolsa brasileira, chegando a subir mais de 1%.

Inadimplência no Itaú deve se manter estável

Se nos resultados passados o Itaú se mostra mais robusto que seus pares, o mesmo se aplica para as estimativas futuras. O Bradesco, mesmo com a forte piora da inadimplência, revelou que ela ainda não chegou no pico. Já o Itaú estima que a estabilidade observada no 1T23 deve se manter ao longo do resto do ano.

"A gente já vinha antecipando há alguns trimestres que a nossa expectativa era de que o atraso acima de 90 dias se estabilizaria no 1T23. Nossa capacidade de gestão de crédito baseada em atualização constante de dados tem dado resultado pela previsibilidade", afirmou o CEO do Itaú, Milton Maluhy, em coletiva de imprensa.

A inadimplência no Itaú ficou estável justamente no público que vem mostrando maiores dificuldades em cumprir com suas obrigações, as pessoas físicas. As micro, pequenas e médias empresas, que também estavam com as dívidas crescendo, conseguiram inverter a curva e mostraram queda.

Tesouraria incerta

Uma das poucas linhas do resultado do Itaú que vieram desfavoráveis foi a tesouraria, que reduziu 13,8% em relação ao quarto trimestre de 2022, para R$ 645 milhões. Apesar da queda, o resultado veio melhor do que os concorrentes, que ainda estão no negativo.

O número foi impactado principalmente pelo resultado na América Latina, enquanto no Brasil houve uma melhora em relação ao trimestre anterior.

"O que acontece na América Latina é fortemente explicado pelo Itaú Chile. No Chile, tanto a atividade de trading como de banking tiveram dificuldade de gerar resultado", afirmou Maluhy.

O CEO do Itaú destacou que, devido à alta inflação no Chile no ano passado, todos os bancos tiveram resultados fortes na margem com o mercado. Mas nesses primeiros três meses de 2023 a inflação chilena veio abaixo do esperado e teve um efeito importante.

Para o restante do ano, Maluhy destacou que o resultado da tesouraria é difícil de projetar, mas reforçou as estimativas do banco de chegar ao final de 2023 com um resultado entre R$ 2 e R$ 4 bilhões.

Compartilhe

ANTES DA PRIVATIZAÇÃO

Dividendos da Sabesp (SBSP3) no bolso: conselho aprova na política; saiba quando passa a valer

15 de junho de 2024 - 9:46

O documento com os termos da nova política de distribuição de resultados está disponível na área de relações com investidores do site da companhia, mas o Seu Dinheiro destacou os principais pontos para você

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos milionários: TIM (TIMS3) e Telefônica (VIVT3) anunciam mais de R$ 475 milhões em proventos; confira as datas

14 de junho de 2024 - 19:42

Distribuição de juros sobre o capital próprio será feita aos acionistas que estiverem na base acionária em junho

desastre climático

Tragédia no Rio Grande do Sul: Confira as perdas do varejo causadas pelas enchentes

14 de junho de 2024 - 18:03

Turismo no RS teve perdas de mais de R$ 1,3 bilhão durante o mês de maio, segundo a CNC

POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Ação da Ultrapar já caiu 15% em 2024 — e é hora de adicionar UGPA3 na carteira, segundo Citi 

14 de junho de 2024 - 17:26

Perspectiva positiva do banco para os papéis tem base em três pilares: rentabilidade da Ultragaz, maiores vendas da Ultracargo e concorrência saudável na indústria de distribuição de combustíveis

UNIÃO ESTÁVEL

Após criação de joint venture com Amil, Dasa (DASA3) diz que fusão “não é prioridade” neste momento

14 de junho de 2024 - 16:26

Em call com analistas do mercado, estavam o presidente da Dasa, Lício Tavares Angelo Cintra, e o diretor financeiro da empresa, André Covre Fechar

Mayday

Boeing investiga qualidade dos 787 Dreamliner ainda não entregues

14 de junho de 2024 - 14:46

Companhia descobriu que fixadores foram instalados incorretamente nas carrocerias dos jatos

ABRIU O APETITE

Ação da dona do McDonald´s na América Latina amarga queda de 28% em NY em 2024. É hora de abocanhar um pedaço?

14 de junho de 2024 - 13:22

Goldman Sachs prevê que os papéis da Arcos Dorados podem subir mais de 50% na Nyse em um ano; saiba o que fazer com as ações

Dinheiro na conta

Proventos milionários: B3 irá pagar quase meio bilhão de reais em dividendos e juros sobre capital próprio

14 de junho de 2024 - 12:23

Quem quiser receber uma parte dessa bolada tem até dia 18 de junho para comprar ações da companhia

FUSÕES E AQUISIÇÕES

Bom para saúde? Dasa (DASA3) e Amil selam parceria de serviços hospitalares e se tornam o segundo maior grupo de hospitais do país

14 de junho de 2024 - 8:11

O negócio é uma joint venture (empreendimento controlado em conjunto), da qual Amil e Dasa deterão 50% do capital cada

NOVO NEGÓCIO

Braskem (BRKM5) vende controle da Cetrel para GRI de olho no setor de resíduos industriais

13 de junho de 2024 - 19:47

Petroquímica passa a deter 49,9% da empresa de gestão de resíduos

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar