🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Carolina Gama
APROVADO!

Quem é Caio Mário Paes de Andrade, o quarto presidente da Petrobras (PETR4) no governo Bolsonaro — e o que ele vai enfrentar

A indicação recebeu luz verde do conselho de administração da estatal nesta segunda-feira (27); mandato vai até 13 de abril de 2023

Carolina Gama
27 de junho de 2022
14:17 - atualizado às 15:29
Caio Paes de Andrade, indicado a presidência da Petrobras (PETR3;PETR4)
Caio Mário Paes de Andrade, presidente da Petrobras - Imagem: Montagem / Divulgação

O conselho de administração da Petrobras (PETR4) aprovou nesta segunda-feira (27) Caio Mário Paes de Andrade como presidente-executivo da estatal por sete votos a três. Mas quem é ele?

Paes de Andrade é formado em Comunicação Social pela Universidade Paulista e tem cursos de pós-graduação em administração pelas norte-americanas Harvard University e Duke University. 

Com passagens por empresas de tecnologia da informação, ele migrou para a administração pública em 2019, quando assumiu a presidência do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Em agosto de 2020, Paes de Andrade assumiu o cargo de secretário especial de desburocratização do Ministério da Economia. 

Ele também é membro do Conselho de Administração da Embrapa e da Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), estatal que administra o óleo lucro da União em campos produtores do pré-sal. Aí reside seu único contato mais claro com o setor de óleo e gás.

Paes de Andrade: uma indicação polêmica

Não bastasse todo embate entre o governo e a Petrobras (PETR4) em torno do aumento de preço dos combustíveis, a indicação de Paes de Andrade ainda deve enfrentar outros obstáculos. 

De acordo com fontes ouvidas pelo Broadcast, o currículo de Paes de Andrade não atenderia os requisitos do cargo. 

Além de não ter nenhuma relação com o setor de atuação da empresa que vai comandar, a formação do executivo também não atendeu às exigências da Petrobras, já que ele não teria concluído uma pós-graduação que consta na documentação.

Os desafios à frente da Petrobras (PETR4)

Paes de Andrade será o quarto presidente da Petrobras (PETR4) no governo Bolsonaro e terá pela frente o desafio de lidar com a pressão federal em relação ao aumento dos combustíveis e à política de preços da estatal, regida por um estatuto. 

Ele substituirá José Mauro Ferreira Coelho, que renunciou ao comando da empresa na segunda-feira (20) em meio, justamente, a essa queda de braço.

Crítico dos reajustes e atrás nas pesquisas de intenção de voto com vistas às eleições de outubro, Bolsonaro vem tentando mexer na direção da Petrobras na esperança de que os executivos evitem repassar a alta dos preços dos petróleo no mercado internacional. 

A política de preços, entretanto, é prerrogativa de uma empresa que tem no governo federal seu sócio majoritário, com amplo controle sobre o conselho de administração.

A intervenção nos preços dos combustíveis, porém, é vetada pelo estatuto da Petrobras, a menos que a estatal seja ressarcida pela União.

Nos últimos meses, a paridade com os preços internacionais do petróleo levou a empresa a promover uma série de reajustes.

O mais recente desses reajustes ocorreu durante o feriado de Corpus Christi. O preço médio de venda de gasolina para as distribuidoras subiu 5,2%. Já o do diesel aumentou 14,2%.

Ainda tem a CPI da Petrobras (PETR4) pela frente

A queda de braço entre o governo e a Petrobras (PETR4) em torno do aumento dos combustíveis não é o único desafio de Paes de Andrade no comando da estatal.

Depois do reajuste anunciado pela empresa no feriado, Bolsonaro propôs a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os seguidos reajustes.

Depois do anúncio do reajuste, o presidente disse ter conversado com o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas-PR), e com o presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL), para abrir uma CPI.

Bolsonaro e Lira chegaram a sugerir, inclusive, que a forte queda das ações da Petrobras no dia do reajuste mais recente deveu-se ao aumento dos preços. Segundo analistas de mercado, porém, os motivos foram os persistentes ruídos políticos e a queda do petróleo nos mercados internacionais.

O presidente tem defendido a instauração da CPI para investigar a formação de preços de combustíveis.

Desde 2016, a companhia segue os preços internacionais, já que importa petróleo para suprir a demanda interna. A política foi implementada durante o governo Michel Temer.

No início de junho, a Petrobras chegou a lançar um site exclusivamente dedicado a explicar como funciona sua atual política de preços.

Compartilhe

SUBIU NO TELHADO

Petrobras (PETR4): a fala do CEO sobre dividendos que derruba as ações da estatal hoje na B3

28 de fevereiro de 2024 - 14:47

Em entrevista à Bloomberg, Jean Paul Prates defendeu que a Petrobras tenha “cautela” na distribuição de dividendos; ações reagem em forte queda

PROBLEMAS NOS HOTÉIS?

Por que os dividendos do fundo imobiliário HTMX11 tiveram um corte brusco em fevereiro? Confira a explicação da gestão

28 de fevereiro de 2024 - 12:17

O fundo de hotéis comunicou, no início do mês, que pagaria R$ 0,86 por cota aos investidores, contra R$ 3,25 em janeiro.

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai a 130 mil pontos, pressionado pela desvalorização de Petrobras (PETR4) após falas de Prates sobre dividendos; dólar sobe a R$ 4,96

28 de fevereiro de 2024 - 7:24

RESUMO DO DIA: O Ibovespa opera em queda nesta quarta-feira (28), acompanhando a maior cautela das bolsas internacionais após indicadores considerados negativos nos Estados Unidos. O dólar, por sua vez, avança aos R$ 4,96 no mercado à vista. Os investidores reagem à segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano, que mostrou um crescimento abaixo […]

PORTFÓLIO DE GIGANTES

XPML11 fecha acordo com empresa da B3 e pagará mais de R$ 1,8 bilhão por ‘pacotão’ de shoppings centers

27 de fevereiro de 2024 - 18:41

O fundo imobiliário assinou um memorando para ficar com participações detidas pela Syn Prop & Tech em seis shoppings centers

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa fecha em alta e sustenta os 131 mil pontos, ajudado por Vale (VALE3) e IPCA-15 abaixo do esperado; dólar recua a R$ 4,93

27 de fevereiro de 2024 - 7:14

RESUMO DO DIA: Diversos tons de verde tingiram a sessão da bolsa brasileira nesta terça-feira (27), que conseguiu escapar do ritmo de cautela do exterior e atingiu os 131 mil pontos. Por aqui, o foco dos investidores esteve no IPCA-15, que subiu em fevereiro, mas menos do que estimavam os analistas de mercado. A prévia […]

FIIs HOJE

Os dividendos deste fundo imobiliário saltaram mais de 1200% após venda de ativo e devem seguir em alta no semestre, mas o FII já tem data para acabar

26 de fevereiro de 2024 - 15:39

O FII em questão distribuiu R$ 0,41 por cota para seus pouco mais de 2.400 cotistas neste mês, contra cerca de R$ 0,03 em janeiro

SAIBA MAIS SOBRE O NEGÓCIO

Fundo imobiliário TRXF11 troca oito lojas por três, mas vai lucrar mais de R$ 100 milhões com a transação e reduzir dívidas

26 de fevereiro de 2024 - 11:23

O FII fechou um acordo para vender oito imóveis atualmente locados para o Assaí e o GPA e comprar três lojas cuja inquilina é a Decathlon

MAIS DINHEIRO NO BOLSO

Nubank: cofundadora e executivos embolsam R$ 60 milhões em nova venda de ações

26 de fevereiro de 2024 - 10:01

Cris Junqueira vendeu o equivalente a US$ 8,450 milhões (R$ 42 milhões) em ações do Nubank após resultado do quarto trimestre do banco digital

MERCADOS HOJE

Bolsas hoje: Ibovespa fecha em leve alta, ajudado pela valorização da Petrobras (PETR4); dólar recua a R$ 4,98

26 de fevereiro de 2024 - 7:37

RESUMO DO DIA: A bolsa brasileira conseguiu escapar do tom de cautela do exterior e encerrou a segunda-feira (26) no campo positivo. Lá fora, os mercados financeiros globais terminaram o dia mistos.  O Ibovespa fechou o pregão em leve alta de 0,15%, aos 129.609 pontos. Já o dólar recuou 0,23%, cotado a R$ 4,9815 no […]

FINALMENTE

Um rombo ainda maior para Lemann: Americanas (AMER3) reporta aumento da dívida, prejuízo bilionário e vendas em queda

26 de fevereiro de 2024 - 7:25

Vendas nos canais digitais da Americanas despencaram 79,2% — e um dos motivos foi a perda de credibilidade da varejista

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies