🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Onde investir durante o apocalipse? Conheça a nova reserva de valor da Faria Lima

Haja pandemia, haja guerra, haja eleições em outubro. A tendência é o bitcoin se comportar menos como um ativo de risco e mais como uma reserva de valor

4 de agosto de 2022
10:10
Reserva de Emergência - Boia Salva Vidas - Dinheiro
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A correlação entre a potência das impressoras dos bancos centrais e a perda do poder de compra da população é um dogma da economia.

Quanto maior o exagero de um banco central na quantidade de dinheiro em circulação, tanto pior será a inflação com a qual sua moeda sofre.

Esse dogma enfrentou um desafio que durou anos, principalmente no mundo desenvolvido.

Razões para o não-apocalipse

Depois da crise econômica de 2008, Fed e BCE (os bancos centrais americano e europeu) adotaram uma política expansionista, mas não se observou o apocalipse monetário correspondente.

Isso aconteceu por três razões que, em alguma medida, anularam alguns efeitos da impressora:

  • Demográfica: o envelhecimento da população afeta força de trabalho e crescimento
  • Tecnológica: a tecnologia nos torna mais produtivos
  • Globalização: as cadeias produtivas ficaram mais eficientes

Pandemia e doutrina de caráter indiscutível

Então veio a pandemia e o dogma provou que faz jus a sua definição de “doutrina de caráter indiscutível”.

Com as cadeias produtivas abaladas pelos fechamentos impostos pelas autoridades, os equilíbrios entre ofertas e demandas mudaram.

Enquanto isso, os bancos centrais que haviam conseguido um improvável conforto expansionista, aumentaram o ritmo da impressora.

Impactos da guerra na economia

Como se uma pandemia fosse pouco, veio a invasão da Ucrânia pela Rússia, em um conflito que envolve dois dos maiores produtores de petróleo do mundo e uma potência energética.

De um lado, estímulos. De outro, várias e duradouras restrições de oferta. O resultado é que agora estamos todos encarando o dragão da inflação de novo (essa dinâmica foi magistralmente explicada pelo Rodrigo Azevedo, da Ibiuna, no episódio do Market Makers desta semana. Clique aqui e veja).

Bom, mas e meu bolso com isso?

Em um contexto como esse, o investidor tem três alternativas. A primeira delas é dar seu dinheiro a um gestor como o Rodrigo Azevedo, cujo fundo Ibiuna Hedge STH, que está aberto para captação.

A segunda é se proteger do Banco Central emprestando dinheiro para o governo, com um título indexado ao IPCA.

A terceira é um pouco mais disruptiva e exige mais estômago: bitcoin. Sim, eu sei que o bitcoin caiu de quase US$ 65 mil para US$ 19 mil em menos de um ano, mas essa proteção reside na lógica do bitcoin, que não permite mudança em sua política monetária.

A Faria Lima e o bitcoin como reserva de valor

O bitcoin foi construído de modo a ser minerado até a quantidade máxima de 21 milhões de moedas, em ritmo decrescente de geração.

Haja pandemia, haja guerra, haja eleições em outubro. Conforme o mercado financeiro for entendendo isso, como já está acontecendo, a tendência é o bitcoin se comportar menos como um ativo de risco e mais como uma reserva de valor justamente porque lá não existe um banqueiro central. É tudo no código.

Como o episódio dessa semana do Criptoverso mostra, a Faria Lima já está entendendo isso (clique aqui para assistir). Entendo que essa não é uma tese trivial e que está sujeita a riscos, principalmente regulatórios.

Não me resta dúvida, no entanto, de que completamente os criptoativos hoje é teimosia. Basta ver o que os bancos centrais estão fazendo.

Abraços,
Renato Santiago

Compartilhe

MARKET MAKERS

Não deixe a próxima Amazon passar: Entenda por que não basta analisar apenas o lucro de uma empresa

13 de setembro de 2022 - 10:06

O caso da Amazon é emblemático e mostra que aquele que apenas olhou para o lucro e o P/L como estimativa de valor certamente deixou a oportunidade passar

MARKET MAKERS

IRB Brasil (IRBR3): Será que Luiz Barsi perdeu a mão nos investimentos?

8 de setembro de 2022 - 8:55

Quando investidores que não sabem o que estão fazendo copiam operações de um investidor de sucesso e veem seu patrimônio encolher, a tendência é ceder ao pânico e vender tudo

MARKET MAKERS

Não compre uma ação só porque ela está barata! Descubra 10 atributos de uma empresa de qualidade

6 de setembro de 2022 - 9:54

Comprar uma ação simplesmente porque ela está barata é um argumento tão frágil quanto deixar de comprar uma empresa porque ela está “cara”; entenda

MARKET MAKERS

Precisamos falar sobre indicadores antecedentes: Saiba como analisar os índices antes de investir

1 de setembro de 2022 - 14:09

Com o avanço da tecnologia, cada vez mais fundos de investimentos estão utilizando esses indicadores em seus modelos — e talvez a correlação esteja caindo

MARKET MAKERS

Entenda por que você não deve acompanhar só quem possui teses de investimento iguais às suas

30 de agosto de 2022 - 9:17

Parte fundamental do estudo de uma ação é entender não só a cabeça de quem tem uma tese que vá em linha com a sua, mas também a de quem pensa o contrário

MARKET MAKERS

O efeito Dunning-Kruger no mercado financeiro

25 de agosto de 2022 - 12:37

Quando comecei a investir no mercado financeiro, vivi o efeito Dunning-Kruger até entender que as coisas não eram tão simples e óbvias como pareciam

MARKET MAKERS

Chegou a hora de ser ganancioso: Saiba por que você deve aproveitar para comprar ações agora

23 de agosto de 2022 - 9:44

O medo de perder dinheiro e a ganância são forças que guiam a maior parte das decisões de investimento, e é preciso disciplina para não cair na narrativa dos que ganham dinheiro vendendo o caos em tempos difíceis

MARKET MAKERS

Quer vender um fundo? Confira dicas e novidades úteis para investimentos nesta indústria

18 de agosto de 2022 - 9:21

Testarei um formato de “Colunista dos Fundos”, trazendo algumas novidades úteis (para mim, pelo menos) sobre a indústria de fundos, só que contadas quase como pílulas

MARKET MAKERS

O dilema da empresa XYZ: Entenda como o Magazine Luiza e a Via competem com novos concorrentes no e-commerce

16 de agosto de 2022 - 9:12

Barreiras de entrada são a força competitiva mais importante em um negócio. Na busca pela criação de barreiras, empresas como Magazine Luiza, Via Varejo, Americanas e Mercado Livre têm acirrado a disputa no setor

MARKET MAKERS — CRIPTOVERSO

Mercado de DeFis caiu mais do que as criptomoedas, mas este especialista vê oportunidade de mais de US$ 15 trilhões daqui para frente; entenda

11 de agosto de 2022 - 13:45

As DeFis chegaram para abalar o universo digital e chegaram a animar bancos centenários como o Société Générale

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar