Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-05-28T09:35:14-03:00
Estadão Conteúdo
Salgado!

IGP-M acelera a 4,10% em maio; em 12 meses, tem a maior taxa desde o Plano Real

Cinco das oito classes de despesa componentes do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) registraram acréscimo em suas taxas em maio

28 de maio de 2021
9:35
inflação IPCA
Imagem: Shutterstock

O Índice Geral de Preços (IGP-M) acelerou fortemente em maio, a 4,10%, de 1,51% em abril, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira (28). No ano, o indicador alcançou 14,39% e avançou a 37,04% em 12 meses, de 32,02% até abril. Essa taxa é a maior desde o Plano Real, superando o acumulado de 32,97% de abril de 2003.

Na abertura do IGP-M de maio, houve aceleração em todos os índices. A mais significativa ocorreu no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M), de 1,84% para 5,23%. Em 12 meses, o IPA já alcança 50,21% de encarecimento. O Índice de Preço ao Consumidor (IPC-M) avançou de 0,44% para 0,61%, chegando a 7,36% no acumulado em 12 meses até maio. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) passou de 0,95% para 1,80%, com 14,62% em 12 meses.

Cinco das oito classes de despesa componentes do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) registraram acréscimo em suas taxas em maio. A principal contribuição foi de Habitação, de 0,39% para 1,16%, com destaque para tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 0,06% em abril para 4,38% em maio, principalmente devido ao acionamento da bandeira vermelha 1.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Vestuário (-0,03% para 0,45%), influenciado por roupas (0,01% para 0,57%); Educação, Leitura e Recreação (-0,76% para -0,59%), com boneca (-0,30% para 1,40%); Alimentação (0,19% para 0,31%), pressionado por hortaliças e legumes (-4,29% para 0,43%); e Comunicação (0,36% para 0,67%), com destaque para combo de telefonia, internet e TV por assinatura (0,72% para 1,35%).

Em contrapartida, registraram desaceleração os grupos Transportes (1,03% para 0,75%), beneficiado por gasolina (3,03% para 1,03%); Saúde e Cuidados Pessoais (0,99% para 0,89%), com artigos de higiene e cuidado pessoal (1,33% para 0,09%); e Despesas Diversas (0,37% para 0,19%), influenciado por serviços bancários (0,36% para 0,10%).

Influências individuais

Segundo a FGV, os itens que mais contribuíram para aceleração do IPC-M em maio foram, além de energia elétrica e gasolina, plano e seguro de saúde (0,83% para 0,84%), condomínio residencial (0,39% para 1,10%) e automóvel novo (1,06% para 0,94%).

As principais influências individuais de baixa foram passagem aérea (-6,57% para -6,98%), mamão papaia (5,34% para -13,05%), manga (11,83% para -13,19%), banana-prata (-2,39% para -5,65%) banana-nanica (-9,80% para -12,16%).

IPAs

A aceleração de 1,84% para 5,23% do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) foi a grande responsável pelo avanço significativo do IGP-M entre abril e maio. No mês, tanto o IPA agropecuário quanto o industrial pressionaram fortemente, com taxas superiores a 5,00%.

Os produtos agropecuários ganharam força de 1,75% para 5,17% e os industriais, de 1,88% para 5,25%. Em 12 meses, o aumento do IPA está na casa de 50%. A taxa é de 50,21% para o índice geral, 56,68% para o agropecuário e 47,81% nos itens industriais.

"Os preços de commodities importantes voltaram a pressionar a inflação ao produtor. Em maio, o IPA avançou 5,23%, sob forte influência dos aumentos registrados para minério de ferro (de -1,23% para 20,64%), cana-de-açúcar (de 3,43% para 18,65%) e milho (de 8,70% para 10,48%). Essas três commodities responderam por 62,9% do resultado do IPA", explica André Braz, coordenador dos Índices de Preços.

Com pontuado por Braz, a alta mais significativa entre os estágios de produção ocorreu em Matérias-Primas Brutas, que registrou aumento de dois dígitos em maio. A aceleração foi de 1,28% em abril para 10,15% neste mês. Além do minério de ferro e da cana de açúcar, a FGV também destaca a soja em grão (1,23% para 3,74%). Em sentido oposto, a instituição cita os itens bovinos (3,09% para 0,41%), leite in natura (2,08% para 1,24%) e laranja (-1,78% para -4,16%.

O ritmo de alta de Bens Finais também se elevou entre abril e maio, de 1,11% para 1,59%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 2,03% para 2,98%, no mesmo período.

Já os Bens Intermediários tiveram algum alívio no mês, de 3,16% para 2,59%. Neste caso, o principal responsável foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo porcentual passou de 5,08% para 0,06%.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

CARNE FORTE

Marfrig sobe mais de 5% hoje, mas ainda deve saltar 60% nos próximos meses, projeta Bank of America

O Bank of America recalculou as projeções financeiras para o próximo ano e vê a empresa lucrando muito mais do que o previsto no cálculo anterior

DESTAQUES DO DIA

Varejo abaixo do esperado derruba Magazine Luiza (MGLU3), mas companhias aéreas sobem forte com vacinas eficazes contra a ômicron

Enquanto o Magalu recua mais de 8%, as empresas do setor aéreo aproveitam para engatar uma recuperação

bitcoin (BTC) hoje

O rali de fim de ano do bitcoin (BTC) derrapou. E você, novato em criptomoeda, pode ser o culpado

O movimento de queda do bitcoin das últimas semanas veio dos novos investidores em cripto, chamados de short-term holders, segundo a Glassnode

DE OLHOS BEM FECHADOS

O IPO do cheque em branco chega ao Brasil: Alvarez & Marsal quer fazer oferta pública para lançar Spac na B3

Modalidade existe há mais de 20 anos nos EUA, mas ainda é inédita no Brasil; entenda como funciona

EXILE ON WALL STREET

Ele ainda vai te trazer boas lembranças: o Tesouro Direto em seu ano de ouro para a rentabilidade

Conheça o Super Renda Fixa, que apresenta as melhores oportunidades para investir na modalidade, seja nos títulos do Tesouro ou nos de emissores privados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies