2021-10-08T14:21:53-03:00
DENTRO DO TETO

Guedes minimiza alta da inflação, mas reconhece necessidade de aumento para os programas sociais

Com comida e energia mais caras, Guedes defendeu um aumento nos valores dos programas dentro do teto de gastos

8 de outubro de 2021
14:21

Apesar do acumulado em 12 meses do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ter atingido os 10,25% em setembro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (8) que a questão da inflação já está "endereçada".

Segundo Guedes, em um contexto de aceleração global da inflação, é "natural" que, num País onde os preços já costumam ter variação ao redor de 4%, o índice acabe subindo para algo "ao redor de 9%". Como justificativa, o ministro citou que nos Estados Unidos, onde a inflação costuma ser próxima de zero, a variação de preços beira os 5%.

Mas, apesar de minimizar a alta dos preços, Guedes reconheceu que será necessário aumentar o valor de programas sociais porque comida e energia ficaram mais caras na pandemia. Com um adendo: isso será feito mantendo a responsabilidade fiscal e o teto de gastos. "Os mercados se acalmarão quando entenderem que o compromisso fiscal não está em risco", comentou.

O ministro completou que a política fiscal está "no lugar" e a monetária fortalecida com a autonomia do BC. "Estamos desencadeando ondas de investimento privado com a aprovação de reformas", defendeu.

Autonomia do Banco Central

Para Guedes, a aprovação da autonomia formal do Banco Central também é uma medida essencial para conter a alta de preços. No mais recente ciclo de alta de juros, o Comitê de Política Monetária (Copom) levou a taxa básica de juros da mínima histórica de 2% para os atuais 6,25% ao ano.

"Vemos muitas reeleições em cima de exploração de ciclos econômicos, por meio do BC. Nós fizemos a despolitização do Banco Central", disse Guedes, participante nesta sexta-feira de evento promovido pelo Itaú BBA.

Mais participação no NDB

O ministro da Economia afirmou também que tem necessidade de aumentar a participação brasileira no New Development Bank (NDB) para fazer frente a empréstimos para um programa de "crescimento verde" a ser anunciado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, (COP-26), mas que encontra dificuldades por conta do teto de gastos. A conferência ocorrerá em novembro em Glasgow, na Escócia.

"Não posso transferir US$ 1 bilhão de um banco em Nova York para aumentar o capital do NBD. É uma conta financeira, só precisaria mudar de uma conta de um banco para o outro. Não posso fazer isso porque romperia o teto no Brasil. É patético", afirmou.

Em um segundo momento, o ministro disse que seriam necessários "US$ 2 ou US$ 3 bilhões" para a capitalização do chamado Banco dos Brics.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ECONOMIA X COVID

Economia monitora variante ômicron da covid-19, mas programas de auxílio dependem da PEC dos Precatórios; pasta evita falar em gastos fora do teto

Ministério da Economia evita falar em crédito extraordinário, como acontece nos casos de guerras ou calamidades públicas

Black Friday em números

Varejo cresce 6,3% na Black Friday e vê crescimento de lojas virtuais com e-commerce aquecido; confira dados

Apesar do aumento em relação à Black Friday de 2020, o patamar de faturamento do varejo foi 9,1% inferior ao registrado em 2019

Desdobramentos da crise

Presidente da Latam, Roberto Alvo diz que recusou oferta ‘incompleta’ e ‘insuficiente’ da Azul

O conteúdo dela é confidencial”, afirmou, em entrevista coletiva. Procurada, a Azul não quis comentar

Solana no MB

Exclusivo: Solana (SOL), 5ª maior criptomoeda do mundo, chega Mercado Bitcoin com alta de mais de 12.000% no ano

A quinta maior criptomoeda do mundo vem conquistando o mercado porque se coloca como uma blockchain alternativa ao ethereum (ETH)

Pandemia em curso

Variante ômicron da covid-19 já está em dez países, mas chefe da associação médica da África do Sul vê “sintomas médios” da doença em estudo preliminar

Até o fechamento desta matéria, não haviam informações sobre infecções por essa variante da covid-19 nas Américas