Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
2021-04-29T17:32:51-03:00
SEXTOU COM RUY

Investir como Warren Buffett vai além de comprar ação barata na bolsa

O chamado value investing não necessariamente está restrito a ações com múltiplos baixos. Algumas companhias merecem os preços baixos porque são investimentos ruins e ponto final.

30 de abril de 2021
6:04 - atualizado às 17:32
Warren Buffett
O megainvestidor e bilionário Warren Buffett - Imagem: Wikimedia Commons

João, um português muito trabalhador que chegou ao Brasil na década de 1960, trouxe para cá as artes de panificação que a família já carregava por várias gerações. 

Não demorou muito para que a Estrela do Parque, nome escolhido para a sua padaria, caísse na graça dos moradores do bairro de uma pequena cidade no interior. 

O negócio cresceu muito nas décadas seguintes, mas estagnou quando os três filhos assumiram.

Eles não gostam muito do ramo e, na verdade, só estão tocando a padaria porque ela rende dividendos que possibilita a eles pagarem as contas todos os anos. 

O lucro vem caindo há algum tempo com a perda de clientes, mas ainda é suficiente, desde que eles não invistam muito em novos equipamentos ou em reformas – motivo pelo qual evitam ao máximo essas “perdas desnecessárias”. 

No entanto, um dos filhos se cansou dessa história de ser acionista de padaria e resolveu colocar a parte dele à venda pelo preço equivalente a apenas 10 vezes os lucros (decrescentes) do último ano. 

Crescimento

Menos de três anos atrás, uma outra padaria abriu na mesma rua: a Delícias do Parque. 

Quer dizer, não é bem uma padaria tradicional. A jovem Maria vem tentando replicar um modelo que viu na capital: um misto de padaria, com um salão que pode virar restaurante durante o dia e pizzaria à noite, e que vem caindo no gosto da clientela pela versatilidade. 

Os lucros têm crescido a um ritmo de 40% ao ano desde que abriu e Maria quer aproveitar a boa fase para investir em novos equipamentos e remodelar o ambiente para torná-lo ainda mais agradável.

O problema é que ela não dispõe dos recursos necessários. Por isso, decidiu aceitar um novo sócio, desde que ele comprasse a outra parte do negócio por um preço equivalente a 20 vezes os lucros do último ano. 

Você prefere ser acionista da primeira padaria, por apenas 10 vezes os lucros anuais, ou da segunda padaria, que está sendo vendida pelo dobro do múltiplo?

Definição de value investing 

O value investing – aquela escola de investimentos que influenciou Warren Buffett, Howard Marks, Peter Lynch e tantos outros superinvestidores – acabou tendo a sua filosofia muito distorcida com o passar dos anos. 

A definição clássica de value investing (ou, investimento em valor) é comprar empresas que estejam negociando com um bom desconto para a estimativa da soma dos seus fluxos de caixa futuros.

Mas projetar fluxos de caixa futuros não é uma tarefa fácil. Ao contrário: envolve conhecer a fundo a companhia, o setor, o management e tudo isso acaba complicando e muito a vida do investidor. 

Eu não sei muito bem quando começou a acontecer a distorção, mas desconfio que, para simplificar essa árdua tarefa, muita gente começou a definir o “value investing” como um mero exercício de comprar ações com múltiplos baratos.

É muito mais fácil: o sujeito abre qualquer plataforma com dados das companhias de capital aberto, faz um filtro das ações que negociam com múltiplos abaixo de 10 vezes os lucros anuais, escolhe aquelas com os menores valores e pronto, já pode se considerar o novo “Warren Buffett”. 

Armadilha de valor 

Nessa visão completamente distorcida, a padaria decadente dos herdeiros do português João seria um alvo perfeito para os value investors, mas eu tenho sérias dúvidas sobre se Warren Buffett se interessaria em comprar uma empresa com lucros em queda, redução de clientela e donos completamente desinteressados em investir no negócio.

Na verdade, como disse o próprio Howard Marks em um memo sobre o assunto no mês de janeiro, “apenas procurar por ações com baixos múltiplos pode te levar ao que chamamos de armadilhas de valor: companhias que parecem baratas mas não são, porque possuem fraquezas operacionais.”

Ou seja, o que Howard Marks argumenta em seu memo – e eu concordo plenamente – é que value investing não necessariamente está restrito a ações com múltiplos baixos. 

Algumas companhias merecem negociar a múltiplos baixos porque são investimentos ruins e ponto final.

Ninguém tem uma bola de cristal para saber o que vai acontecer nos próximos anos, mas mesmo negociando a 20 vezes lucros, a padaria da Maria me parece um investimento com muito mais capacidade de gerar valor ao acionista neste caso. Um value investor fiel às origens dessa escola escolheria a padaria de Maria para investir, mesmo com um múltiplo maior. 

Tech pode ser value? 

Além de seguir erradamente a filosofia de só comprar coisas com múltiplos baixos, muitos “value investors” também adoram falar que empresas de tecnologia são caras e se configuram como um enorme risco para os seguidores da escola de Graham e Buffett. 

Será que é assim mesmo? 

A Apple negocia hoje a múltiplos de preço/lucros estimados para 2021 próximo de 30 vezes. Não é baixo, mas os lucros crescem muito, a companhia tem marca forte, se aproveita de uma enorme barreira de entrada e de uma forte geração de caixa que a permite realizar pesados investimentos para aumentar ainda mais a sua liderança.

No conceito de que “value investing” é comprar ação com múltiplo baixo, a Apple pode ser uma escolha ruim, mas sob a ótica de que uma ação de valor é aquela capaz de gerar muito mais valor para o acionista no futuro do que o preço pelo qual ela pode ser comprada hoje, então a Apple é, sim, uma ação de valor. 

O que Buffett, o maior value investor do mundo, acha de tudo isso? Deve gostar bastante, porque a Berkshire Hathaway, seu veículo de investimentos, é a segunda maior acionista da Apple. 

Na minha visão, outros dois casos muito parecidos são o Google e a Amazon – é por esses motivos, também, que eu mesmo tenho ações dessas três companhias e não pretendo vendê-las tão cedo.

Alinhamento de astros

Não é muito frequente, mas em algumas ocasiões os astros se alinham e companhias com perspectivas muito favoráveis e em bons momentos operacionais calham de permanecer negociando com múltiplos muito baixos até que sejam devidamente reconhecidas e reprecificadas pelo mercado. 

Uma ação negociada na bolsa brasileira por menos de 5 vezes os lucros esperados para 2021 está passando justamente por essa situação.

Não é à toa que o Max Bohm vem chamando ela de “a ação mais barata do mundo”, que além de oferecer uma ótima relação de risco vs retorno, ainda deve aproveitar os excelentes resultados operacionais para pagar um dividendo brutal neste ano. 

Se quiser conferir esta oportunidade única, deixo aqui o convite

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Reduzindo a participação

CSN começa a se desfazer de suas ações da Usiminas

Aproveitando o bom momento do setor siderúrgico na bolsa, a CSN vendeu mais de 50 milhões de ações preferenciais da Usiminas

O melhor do Seu Dinheiro

A limonada da bolsa e do dólar, as ações mais indicadas do mês e outros destaques da semana

A semana que passou tinha tudo para ser bem azeda para os investidores. No cardápio de notícias dos últimos dias tivemos: A alta da taxa básica de juros e a sinalização de que novos ajustes vêm por aí; Muito barulho político com a CPI da Covid; O projeto da reforma tributária de volta à estaca […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies