Menu
2020-02-21T11:53:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
um risco no radar

Por coronavírus, Arábia Saudita avalia romper aliança com a Rússia no setor de petróleo

Os dois lados têm colaborado desde dezembro de 2016 para tentar equilibrar a oferta global, em meio a um salto na oferta do xisto vinda dos EUA

21 de fevereiro de 2020
11:53
Bandeira nacional da Arábia Saudita
Imagem: Shutterstock

O governo da Arábia Saudita avalia romper uma aliança de quatro anos no setor de petróleo com a Rússia, no momento em que o surto de coronavírus contribui para uma queda na demanda global pela commodity, segundo pessoas ligadas ao assunto.

O reino saudita, o Kuwait e os Emirados Árabes — que juntos representam mais da metade da capacidade da produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) — realizam conversas nesta semana para discutir um possível corte conjunto na produção de até 300 mil barris por dia (bpd), segundo as fontes.

O surto de coronavírus criou fissuras na parceria entre a Opep, liderada pelos sauditas, e a Rússia. Os dois lados têm colaborado desde dezembro de 2016 para tentar equilibrar a oferta global, em meio a um salto na oferta do xisto vinda dos Estados Unidos.

Se os sauditas, o Kuwait e os Emirados Árabes romperem com Moscou, a dissensão poderia enfraquecer mais a capacidade da Opep influenciar os preços do óleo.

As novas tensões ocorrem antes de uma reunião do grupo em Viena em março. A ideia inicial era que o encontro servisse para forjar um consenso sobre quanto enviar ao mercado — que já enfrenta um quadro de excesso de oferta de petróleo.

Durante uma reunião de emergência mais cedo neste mês, a Rússia rejeitou a pressão saudita para reforçar o corte existente na produção de petróleo dos aliados em 600 mil bpd.

Delegados russos avaliaram que a atividade das empresas na China se recuperava e que o impacto do vírus na demanda por petróleo deve ser limitado. Já a Arábia Saudita diz que o efeito do vírus deve ser avaliado e que pode ser necessária uma resposta a isso, segundo fontes.

*Com Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

em meio à crise

Em reunião com empresários, Bolsonaro defende vacinação e diz não ter preocupação com CPI da Covid

Presidente e ministros participaram de uma videoconferência com o grupo que reúne os 50 maiores grupos privados do País

seu dinheiro na sua noite

Ação da Moura Dubeux caiu 50% desde o IPO. Ficou barata?

O ano de 2020 começou promissor para a economia brasileira e com boas perspectivas para a chegada de novas empresas à bolsa. A temporada de IPOs se iniciou nos primeiros dias de fevereiro, com a estreia da construtora Mitre, seguida da empresa de tecnologia Locaweb. Mais para meados do mês, vimos a abertura de capital […]

ampliação de sortimentos

Lojas Americanas compra Imaginarium e prevê aumentar marcas próprias

Companhia anunciou aquisição do Grupo Uni.co, mas não revelou valores; com negócio, Americanas avança sobre varejo especializado em franquias

FECHAMENTO

Mercado olha desconfiado para Orçamento e Ibovespa acompanha queda do exterior; dólar fica estável

Com a agenda de indicadores esvaziada e a véspera de feriado, os investidores acabaram optando pela cautela

Prioridade na Casa

Câmara aprova requerimento de urgência sobre projeto de privatização dos Correios

A medida permite que a proposta “fure” a fila de votação de projetos e pode agilizar o processo de desestatização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies