Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-02T20:21:07-03:00
Estadão Conteúdo
presidente também elogiou Caixa Econômica

Não podemos continuar por muito tempo com auxílio, diz Bolsonaro

Bolsonaro também voltou a elogiar o presidente da Caixa, Pedro Guimarães pela queda de juros do cheque especial

2 de julho de 2020
20:21
Jair Bolsonaro
Imagem: Isac Nóbrega/Presidência da República

Em live nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo não poderá estender ainda mais o auxílio emergencial, que terá duas parcelas adicionais. O presidente explicou que o auxílio está sendo financiado com o aumento da dívida brasileira, e aproveitou para pedir novamente a governadores e prefeitos que reabram os comércios.

"A gente não pode continuar muito tempo, são R$ 50 bilhões por mês. Não é dinheiro que está sobrando, estamos nos endividando por isso daí. A gente apela aos governadores e prefeitos para que, logicamente com responsabilidade, comecem a abrir o comércio e botar a economia para funcionar de fato", disse Bolsonaro.

Também participou da live o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Ele afirmou que o banco estatal trabalha para definir o calendário de pagamento das parcelas adicionais do auxílio emergencial e falou que "na média, as pessoas estão ganhando R$ 900, porque os líderes de família estão ganhando R$ 1.200". De acordo com Guimarães, o auxílio tem impacto positivo maior no interior do Brasil, "Norte e Nordeste em especial".

Elogios à Caixa

Bolsonaro também voltou a elogiar o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em live no Facebook nesta quinta-feira, 2, pela queda de juros do cheque especial.

"Acabamos de reduzir de novo para 1,8% ao mês", afirmou Guimarães. "Nunca vi nada parecido", disse.

"Esperava que viesse de um banco privado e veio de um banco público", disse Bolsonaro. Ele voltou a dizer também que não entende nada de economia. "E quero continuar não entendendo de economia", disse.

Participam da live, além de Guimarães, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e o secretário da Pesca, Jorge Seif. O presidente da Embratur, Gilson Machado, também está presente e iniciou a transmissão tocando sanfona.

Bolsonaro disse que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, deveria estar presente, mas está no Rio de Janeiro em evento.

Durante a transmissão, Marinho comemorou a aprovação do novo marco do saneamento pelo Congresso. "Temos de comemorar porque finalmente desde 2016 se arrastava a discussão desse marco. Temos 100 milhões de pessoas sem cobertura", disse Marinho.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOTA DE PESAR

Quem foi Armando Klabin, responsável por conduzir companhia ao ramo de embalagens

Presidente do conselho de administração da Klabin faleceu ontem, no Rio de Janeiro, aos 89 anos

Coluna do jojo

Bolsa hoje: as idas e vindas da taxa de juros

Confira os principais destaques que movimentam os mercados no Brasil e no exterior

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em alta após ‘Super Quarta’ e dólar recua; saiba o que movimenta a bolsa hoje

A ‘Super Quarta’ trouxe um novo capítulo para o tapering e movimentar os negócios, mas os juros no Brasil devem ter impacto limitado no pregão de hoje

O melhor do seu dinheiro

A prova de fogo dos investimentos em renda fixa, Bolsas depois da ‘Super Quarta’ e outros destaques que mexem com seu dinheiro

Antes de pensar em ficar rico com investimentos, é preciso pensar no dia de amanhã. Então é fundamental reservar uma parcela do seu patrimônio para constituir uma reserva de emergência. Trata-se daquele dinheiro que você pode resgatar a qualquer momento para um caso de necessidade. Por isso mesmo, deve ficar em aplicações conservadoras e com […]

Efeitos da pandemia

Câmara aprova isenção de Imposto de Renda para pessoas com sequelas pela covid-19

Caso o projeto seja sancionado, caberá ao Ministério da Saúde estabelecer os critérios de caracterização, bem como as condições para a manutenção dos benefícios

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies