Menu
2020-02-14T07:32:41-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
encontro com empresários

Fiesp diz que Guedes vai enviar a reforma tributária em até duas semanas

Entidade promoveu encontro de empresários com o ministro. Segundo a Fiesp, Guedes ainda afirmou que quer “reindustrializar o Brasil”

14 de fevereiro de 2020
7:32
O ministro da Economia, Paulo Guedes, faz palestra de encerramento do Seminário de Abertura do Legislativo de 2020
O ministro da Economia, Paulo Guedes, faz palestra de encerramento do Seminário de Abertura do Legislativo de 2020 - Imagem: Wilson Dias/Agência Brasil

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) afirmou em nota enviada à imprensa que o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que enviará à Câmara, em até duas semanas, a primeira etapa da reforma tributária. A entidade promoveu um almoço entre o ministro e empresários.

A primeira etapa da reforma inclui a criação do IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que unificará o PIS e Cofins no plano federal. Segundo a nota, Guedes prometeu que, em seguida, o governo encaminhará aos parlamentares propostas para o Imposto de Renda e o Imposto Seletivo.

A reforma tributária foi o tema que ocupou a maior parte do almoço, que contou com a presença do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e 20 executivos de algumas das principais empresas em atuação no País, como o presidente da GM para a região do Mercosul, Carlos Zarlenga; o presidente do Conselho de Administração da Suzano, David Feffer; e o presidente do Conselho de Administração da Riachuelo, Flávio Rocha.

"O peso excessivo hoje é na indústria, temos de encontrar o equilíbrio, que seja bom para o conjunto da economia. Temos de calibrar muito bem a alíquota do IVA, ela tem de dar conta da arrecadação, mas não pode inibir investimentos", disse Guedes aos empresários, de acordo com a Fiesp.

"A ideia geral é simplificar. Não pode haver aumento de carga tributária. O que nós queremos é o oposto, é baixar os impostos. Este é um objetivo colocado pelo presidente Jair Bolsonaro", disse.

'Reindustrializar o Brasil'

No encontro, que durou duas horas, Guedes declarou, logo no início, que pretende "reindustrializar o Brasil". Ele listou as medidas que o governo tem tomando para isso, como "o choque de energia barata".

Guedes deu destaque ao gás natural, que, segundo a nota da Fiesp, deve cair até 40% em relação ao início do governo Bolsonaro.

O ministro também mencionou "o choque de logística", com concessões de rodovias, ferrovias e o aumento de competição na navegação de cabotagem. Além disso, afirmou que os juros, em níveis mais baixos, resultam em mais investimentos. A taxa básica de juros, a Selic, está em 4,25%, mínima histórica.

De acordo com a Fiesp, os empresários elogiaram a condução da política econômica do governo e a atuação de Guedes à frente do Ministério.

Questões pontuais relativas a cada um dos setores representados foram colocadas para o ministro, que, segundo a federação, demonstrou boa vontade em analisá-las. "É muito importante ouvir diretamente dos empresários os pontos que consideram relevantes para o debate", disse o ministro.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

em Minas Gerais

Notre Dame Intermédica compra Grupo Serpram por R$ 170 milhões

Aquisição marca avanço da empresa em Minas Gerais; mais cedo, companhia anunciou compra de outra empresa, no Sul do País

forte expansão

Unidas reporta lucro líquido de R$ 124 milhões, alta de 44,4% e melhor da história

Empresa registrou uma forte retomada no segmento de Terceirização de Frotas, que apresentou recordes de contratação

desinvestimentos

Compass apresenta proposta para adquirir participação da Petrobras na Gaspetro

Empresa, que chegou a desistir de abrir capital, não revelou valor pela fatia; processo é mais um desinvestimento da Petrobras, que desembarca de vez da companhia

Dinheiro na conta

Santander pagará R$ 1 bilhão em juros sobre capital próprio

O valor líquido por ação será de R$ 0,10859906709 por ON, com retenção de IR na fonte.

PLANOS

Agora parte do BTG, Necton vai em busca de pequenos investidores

Corretora pretende lançar iniciativas e produtos para a base dos investidores, para quem tem entre R$ 10 mil e R$ 15 mil aportados no mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies