Menu
2020-04-08T12:02:49-03:00
Estadão Conteúdo
de olho na crise

Bancos estão alinhados com auxílio emergencial, diz presidente da Caixa

Sobre os saques dos recursos, Guimarães afirmou que a Caixa estima que menos de 1% dos beneficiários precisem dessa via, uma vez que quem não tem internet ou celular pode usar o de outra pessoa próxima

8 de abril de 2020
12:01 - atualizado às 12:02
Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal
Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal - Imagem: Fotoka/Divulgação

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou, em entrevista à Globonews, que o cronograma para saques do auxílio emergencial "provavelmente" deve ser anunciado nesta quinta-feira, 9. "Estamos discutindo internamente, a data seria semana que vem, mas provavelmente anunciaremos amanhã esse cronograma de recebimento na boca do caixa, nos ATMs [caixas eletrônicos] ou nas lotéricas."

Questionado sobre o pagamento de dívidas em outros bancos com esse dinheiro e sobre um entendimento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) com o governo de que as contas que receberiam esses recursos poderiam ser casadas com as contas que têm essas pendências, Guimarães explicou que a Caixa não fará isso, mas que os bancos privados estão "alinhados".

"Do ponto de vista legal e normativo, é uma prerrogativa do Banco Central, Roberto Campos Neto, presidente do BC, que é meu amigo há muito tempo, é uma discussão dele. Mas não há nenhum tipo de dúvida: Bradesco, Itaú e Santander estão alinhados, querem ajudar. O entendimento é claro: esse dinheiro é para um momento emergencial, independentemente de qualquer dívida da população de cheque especial ou cartão de crédito", disse Guimarães.

O presidente da Caixa ainda disse que 99,9% desses recursos estarão nos cincos grandes bancos, e que há nenhum risco. "Febraban é uma instituição muito séria e alinhada."

Sobre os saques dos recursos, Guimarães afirmou que a Caixa estima que menos de 1% dos beneficiários precisem dessa via, uma vez que quem não tem internet ou celular pode usar o de outra pessoa próxima que não vá receber o auxílio para fazer o cadastro no banco e usar o aplicativo Caixa Tem.

Segundo ele, só na terça-feira, 7, o sistema teve cerca de 115 milhões de acessos, sendo que 20 milhões já fizeram o cadastro. A expectativa, explicou ele, era de 10 milhões de cadastros.

O presidente do banco também destacou que a Caixa está em mais de 5.500 municípios, e que essa capilaridade permite um bom relacionamento com prefeituras e Câmaras de Vereadores, facilitando a chegada dos recursos para todos os beneficiários.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

decisão judicial

Justiça ordena religação de internet do governo do RJ; Oi alega inadimplência

Empresa acusa o governo do Estado de ter uma dívida com a empresa desde 2017 – hoje ela está em R$ 300 milhões

promessa de ipo

Locaweb compra ConnectPlug por R$ 18 milhões e avança em segmento de alimentação

Empresa comprada começou em food services mas hoje também atende outros segmentos, com foco em pequenas e médias empresas

seu dinheiro na sua noite

Mais fácil falar que fazer

Hoje foi um daqueles dias em que as falas dos detentores do poder no cenário doméstico até repercutiram no mercado, mas foram sobrepostas pelos fatos e pelo que aconteceu no exterior. O mercado local começou o dia animado com as apresentações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no badalado evento […]

perspectivas

Para Verde e SPX, auxílio emergencial por mais três meses não é preocupante

Luis Stuhlberger e Rogério Xavier dizem que a medida pode ser necessária, caso a vacinação demore demais; ambos veem 2021 positivo para os mercados

FECHAMENTO

Aceno liberal do governo não convence e bolsa fecha o dia no vermelho; na contramão, dólar cai mais de 3%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, mas o mercado espera ações mais concretas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies