Menu
2020-01-08T16:19:06-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
BANCOS DIGITAIS

Número de bancos digitais no Brasil cresce 147% entre os anos de 2017 e 2018

Apesar de o crescimento, as instituições financeiras tradicionais ainda são vistas como mais confiáveis pelos brasileiros

8 de janeiro de 2020
16:19
shutterstock_1552988954
Imagem: Shutterstock

Não é de hoje que o número de bancos digitais vem crescendo no País. Apenas entre os anos de 2017 e 2018, esse valor saltou 147%. É isso o que mostra a pesquisa "A revolução dos bancos digitais 2020", divulgada hoje (8) e que foi encomendada pelo boostLAB, o hub de negócios do BTG Pactual para empresas tech.

E um dos principais atrativos dos bancos digitais está no crédito. Para 54% dos entrevistados, a isenção de anuidade e juros, além de taxas mais baixas em relação aos bancos tradicionais é vista como um dos principais atrativos para usuários de cartões de crédito de fintechs e bancos digitais.

Na sequência, 49% dos participantes apontaram a vantagem de resolver tudo pelo celular sem burocracias como um dos pontos mais positivos dos bancos digitais.

Já a aprovação mais rápida e menos burocrática de crédito foi vista como uma vantagem para 41% das pessoas ouvidas pela pesquisa.

Maior espaço

E os principais players digitais vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado. O Nubank, por exemplo, já tem possui quase 20 milhões de clientes e consegue fazer com que a sua base cresça a um ritmo médio de 50 mil novos cadastros por dia.

E ele quer crescer ainda mais. Não é à toa que anunciou no começo desta semana um acordo para contratar a equipe de projetos da consultoria PlataformaTec e reforçar seu time de engenharia de software e especialista em metologias ágeis.

O Inter, por sua vez, também está a todo vapor. No fim de dezembro do ano passado, a companhia anunciou que atingiu a marca de 4 milhões de clientes de sua conta digital sem tarifas.

Hoje, o banco abre 13 mil novas contas por dia útil, cerca de mil a mais do que no terceiro trimestre do ano passado.

A instituição espera crescer ainda mais depois de ter lançado um super app no fim do ano passado. Ele funciona como um marketplace que vai além dos serviços financeiros e que pode representar uma nova fonte de receita para o banco.

E os bons ventos têm animado os investidores. Em um ano, os papéis do banco (BIDI4) subiram mais de 165%. Apenas em janeiro, as ações apresentam valorização de 11,54%.

Quesito confiança

Apesar de o crescimento dos bancos digitais no Brasil, as instituições financeiras tradicionais ainda dominam o mercado e são vistas como mais confiáveis pelos brasileiros, segundo constatou a pesquisa.

Para 63% dos entrevistados, a primeira opção na hora de confiar seus dados financeiros está nos bancos tradicionais. Apenas 12% dos participantes disseram que preferem os bancos digitais.

E quando o assunto são as fintechs, o percentual de confiança é ainda menor. Somente 6% dos entrevistados responderam que dão preferência a esses tipo de empresas.

Mas o problema não está no uso de meios digitais para efetuar as operações. A pesquisa mostrou que as transações digitais têm ganhado cada vez mais adeptos até mesmo nos bancos tradicionais.

Entre os anos de 2017 e 2018, as transações digitais aumentaram 32,69%, no total. Hoje, 60% das operações são feitas on-line, sendo que 40% via celular e 60% via internet banking

Porém, o número de transações via celular vem crescendo. O estudo apontou ainda que o valor saltou de 1,7 milhão para 3 milhões no mesmo período - o que representa uma expansão de 76%. 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

às compras

Duratex compra 100% da Viva Decora e aprofunda digital

Empresa é uma plataforma de “inspiração para decoração e reforma de interiores”, que conta com uma base de mais de 120 mil arquitetos e designers cadastrados

algumas linhas

Banco do Brasil e Itaú Unibanco anunciam corte de juros acompanhando a Selic

Os dois bancos vão reduzir os custos de algumas linhas para pessoas físicas e empresas, a partir da próxima segunda-feira

Balanços

Lucro do Banco do Brasil cai 25,3% no segundo trimestre com baixa contábil de R$ 1,3 bilhão

Resultado de R$ 3,311 bilhões do BB no segundo trimestre ficou abaixo da projeção dos analistas, que apontava para um lucro de R$ 3,574 bilhões

Exclusivo SD Premium

As ações campeãs para o mês de agosto, segundo 13 corretoras

As empresas de perfil campeão estão prontas para surfar a retomada econômica – mesmo que ela demore mais um pouco para chegar. Confira a seleção dos analistas

covid no brasil

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Atualmente, 741.180 pacientes estão em acompanhamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements