Menu
2020-02-08T10:41:17-03:00
Estadão Conteúdo
Efeito do coronavírus

J.P. Morgan reduz projeção de crescimento do PIB do Brasil em 2020

A estimativa do banco norte-americano de alta do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020 baixou de 2% para 1,9%, mas aumentou para 2021

8 de fevereiro de 2020
10:53 - atualizado às 10:41
PIB

O J.P. Morgan cortou a projeção de crescimento para o Brasil neste ano, com a piora das perspectivas para a economia da China por conta da rápida disseminação da epidemia do coronavírus.

A estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020 baixou de 2% para 1,9%. Já em 2021, o banco americano elevou a estimativa de 2,2% para 2,4%.

A recuperação mais lenta da atividade e a queda dos preços internacionais das commodities provocadas pela economia chinesa mais fraca devem reduzir a pressão na inflação.

Por isso, o banco também cortou as estimativas do IPCA de 2020, de 3,7% para 3,4%, influenciado principalmente por preços mais comportados esperados para alimentos e gasolina.

O JP observa que quase 30% das exportações brasileiras vão para a China, por isso o impacto negativo da perda de fôlego da atividade econômica do país asiático.

Ontem, o banco anunciou corte de sua projeção de crescimento do PIB chinês no primeiro trimestre, de 4,9% para 1,0%, por causa do surto de coronavírus enfrentado pelo país. A estimativa para todo o ano de 2020 caiu de 5,8% para 5,4%.

Por conta do fluxo importante de comércio entre os dois países, o JP estima que para cada um ponto porcentual de declínio no crescimento da China, a expansão do PIB do Brasil se reduz em 0,2 a 0,3 ponto porcentual, normalmente com um trimestre de atraso entre os eventos na China e o impacto aqui.

Mas no caso do coronavírus, por conta dos efeitos repentinos no país asiático, o impacto na economia brasileira será sentido já neste trimestre.

O impacto negativo do coronavírus deve ser concentrado na primeira metade do ano. Por isso, o JP cortou a estimativa de alta do PIB brasileiro do primeiro semestre em 0,6%. A expectativa é que na segunda metade do ano a atividade ganhe fôlego.

Por isso, o banco elevou a estimativa de PIB do segundo semestre em 0,5%. Mas essa melhora não será suficiente para evitar uma redução da estimativa de crescimento de todo o ano de 2020, observa o banco em relatório.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mercados hoje

Bolsas sobem em Nova York após dois dias de queda, mas petróleo pressiona índice de empresas brasileiras

Otimismo com retomada da economia norte-americana impulsiona bolsas. A maior surpresa do dia é o Nasdaq, que sobe mesmo com o peso das ações da Netflix

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies