Menu
2020-05-20T12:07:57-03:00
De olho na indústria

Índice de evolução da produção cai de forma intensa em abril, diz CNI

CNI explica que a interrupção das vendas resultou numa resposta “intensa e imediata” na produção, de forma que não houve elevação indesejada de estoques

20 de maio de 2020
12:07
máscara indústria coronavírus
Imagem: shutterstock

Os efeitos da crise causada pelo novo coronavírus se intensificaram no desempenho da indústria em abril, aponta a pesquisa Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI). No mês, os índices de nível de produção e de número de empregados registraram as quedas mais intensas da série mensal.

A evolução da produção ficou em 26 pontos em abril, ante os 33,3 pontos registrado em março - quando o índice já tinha apresentado forte contração - aumentando a distância negativa da linha divisória dos 50 pontos. Pela metodologia da pesquisa, valores acima de 50 pontos indicam aumento da produção e abaixo, queda da produção.

"A queda de intensidade e disseminação recordes de abril se dá após o recorde anterior, apurado em março", aponta a CNI. O índice de evolução da produção em abril de 2019 ficou em 49,6 pontos.

Já o índice de evolução do número de empregados registrou 38,2 pontos, ante 44,6 de março. Em abril de 2019, o dado era de 48,8 pontos.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) também apresentou quedas drásticas, com recuo de nove pontos percentuais ante março. A UCI ficou em 49% no mês passado. Ou seja, mais da metade da capacidade instalada das empresas está ociosa. No mesmo período de 2019, a UCI atingiu 66%. O índice de UCI efetiva em relação ao usual, que procura medir o quão a atividade industrial está aquecida, recuou para 23,9 pontos em abril.

"O índice acumula recuo de 21,4 pontos nos últimos três meses e atinge, em abril, novo piso histórico. Assim, mostra atividade excepcionalmente baixa", afirma a pesquisa.

A entidade também aponta que os estoques se reduziram e mantiveram-se no nível planejado pela indústria. A CNI explica que a interrupção das vendas resultou numa resposta "intensa e imediata" na produção, de forma que não houve elevação indesejada de estoques.

O índice de evolução dos estoques ficou em 48,2 pontos em abril. "Já o índice de nível de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 49,8 pontos, ou seja, mostra estoques no nível planejado pela indústria", diz.

Pessimismo

Segundo a pesquisa, a maioria dos índices de expectativas registrou melhora em maio. Mesmo assim, os números seguem negativos. O índice de expectativa de demanda, por exemplo, subiu 3,2 pontos, para 35,1. Apesar da ligeira melhora, o dado ainda fica bem abaixo da linha divisória de 50 pontos.

"Ou seja, a expectativa é de queda na demanda", aponta a CNI.

Já o índice de expectativa de número de empregados cresceu 2,9 pontos, para 38,1 em maio.

Ainda segundo o entidade, o índice de intenção de investir praticamente não se alterou em maio, após a forte queda de abril. "O indicador havia recuado de 58,3 pontos em março, para 36,7 pontos, em abril e agora encontra-se em 36,9 pontos", registra.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Retomando a pauta

Votação do marco do saneamento deve ser retomada no Senado

O novo marco do saneamento — projeto que facilita a atuação da iniciativa privada no setor — tende a voltar à pauta no Senado em julho

Atrasou demais

Conselho diz que não há tempo hábil para privatizar Cedae

Um estudo aponta que a Cedae, a companhia de água e esgoto do Rio de Janeiro, deverá parar nas mãos do governo federal por falta de tempo para conclusão do processo de privatização

Pouco atraente

Participação do Brasil na carteira do investidor estrangeiro cai a 0,3%

Os diversos riscos associados à alocação de recursos no Brasil fizeram o peso do Brasil na carteira dos investidores estrangeiros — a incerteza política e a fraqueza econômica aparecem como importantes fatores

SEU DINHEIRO NO SÁBADO

MAIS LIDAS: Crise? Que crise?

O recente rali da bolsa pegou todo mundo de surpresa — e, não à toa, a matéria elencando cinco razões que explicam essa onda de otimismo foi a mais lida do Seu Dinheiro nesta semana

Crise setorial

Indústria deve deixar de vender mais de 1,3 milhão de veículos neste ano

A crise do coronavírus afetou as linhas de produção de veículos e também diminuiu as vendas em todo o país. Como resultado, o setor prevê uma queda de 40% no total vendido no ano

Seu mentor de investimentos

Um filme de terror: inflação volta a ter destaque no cenário brasileiro

Ivan Sant’Anna faz um paralelo entre a inflação galopante do fim dos anos 80 e o atual cenário de virtual estabilidade na variação dos preços — e mostra preocupação com o comportamento do mercado nesse novo panorama

Recuperação na bolsa

Até onde vai o Ibovespa? Para a XP, o índice voltará aos 112 mil pontos ao fim de 2020

A XP Investimentos revisou para cima sua projeção para o Ibovespa ao fim de 2020, passando de 94 mil pontos para 112 mil pontos — um patamar que implica num potencial de alta de mais de 18% em relação aos níveis atuais da bolsa

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo

Quando as coisas mudam tão drasticamente quanto nos últimos meses, pode ser difícil perceber, mas esses momentos criam as maiores oportunidades.

Dados atualizados

Mortes por coronavírus no Brasil vão a 34.973; infectados são 643.766

Na quinta-feira, havia 34.021 mortes registradas, segundo o Ministério da Saúde. O balanço diário totalizava 614.941 infectados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements