Menu
2020-12-07T09:38:05-03:00
Estadão Conteúdo
De olho na inflação

IGP-DI de novembro sobe 2,64% ante 3,68% em outubro e vai a 24,28% em 12 meses

O resultado do indicador ficou abaixo da mediana de 2,81% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast, cujo intervalo ia de 2,40% a 3,20%.

7 de dezembro de 2020
9:38
mercado / inflação
Imagem: Shutterstock

O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou a alta a 2,64% em novembro, após um avanço de 3,68% em outubro, divulgou nesta segunda-feira, 7, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado do indicador ficou abaixo da mediana de 2,81% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast, cujo intervalo ia de 2,40% a 3,20%.

Com o resultado, o IGP-DI acumulou uma elevação de 22,16% no ano.

Em 12 meses, a taxa ficou em 24,28% (ante 22,12% até outubro).

Abertura

A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI. O IPA-DI, que representa o atacado, teve elevação de 3,31% em novembro ante uma alta de 4,86% em outubro.

O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, subiu 0,94% em novembro, após o avanço de 0,65% em outubro.

Já o INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, teve elevação de 1,28% em novembro, depois da alta de 1,73% em outubro.

O período de coleta de preços para o índice de novembro foi do dia 1º ao dia 30 do mês.

Agropecuários e Industriais

Os preços dos produtos agropecuários no atacado subiram 6,39% em novembro, depois de uma alta de 9,51% em outubro, dentro do IGP-DI, informou a FGV. Já os produtos industriais avançaram 1,99% em novembro, ante aumento de 2,99% em outubro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 2,61% em novembro, ante um avanço de 2,95% em outubro.

Os preços dos bens intermediários subiram 3,38% em novembro, após aumentarem 4,43% em outubro. Os preços das matérias-primas brutas registraram elevação de 3,80% em novembro, depois do avanço de 6,78% em outubro.

Núcleo do IPC-DI

O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna (IPC-DI) de novembro subiu 0,21%, após a elevação de 0,17% registrada em outubro, conforme a FGV.

O núcleo do IPC-DI é usado para mensurar tendências e calculado a partir da exclusão das principais quedas e das mais expressivas altas de preços no varejo.

Ainda de acordo com a FGV, o núcleo acumulou uma elevação 2,57% no ano e alta de 2,94% em 12 meses.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

FII DO MÊS

Os melhores fundos imobiliários para investir em maio, segundo 10 corretoras

O fundo preferido das corretoras no mês está exposto ao segmento de supermercados, hipermercados e atacarejos e engatou duas vitórias consecutivas em nosso ranking

O melhor do Seu Dinheiro

A Pedra Filosofal do mercado financeiro e mais destaques da noite

O minério de ferro converteu-se na pedra filosofal dos mercados: tudo o que toca, vira ouro — como as ações da Vale e das siderúrgicas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mercado Financeiro e a Pedra Filosofal

De certa maneira, o mercado financeiro está cheio de alquimistas: tentam transformar dinheiro em mais dinheiro. Ações, câmbio, títulos de renda fixa, fundos imobiliários — no fim, o objetivo dos investidores é multiplicar o patrimônio. O problema é que não há fórmula mágica. Nem sempre as poções funcionam; na verdade, é relativamente comum que o […]

FECHAMENTO

Commodities dão força extra e bolsa fecha o dia em alta firme enquanto NY fica no vermelho

Com o exterior negativo, restou ao setor de commodities e energia salvar o Ibovespa da cautela. O dólar à vista aproveitou e teve um dia de leve queda

Oferta de ações

Softbank deve participar do IPO da Dotz, dizem fontes

Mesmo com a participação do fundo japonês e da presença de dois investidores-âncora, a demanda pelas ações da Dotz no IPO ainda está apertada, segundo fontes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies