Menu
2020-10-16T20:38:39-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Em live

Guedes responde críticas e reafirma compromisso com reformas em live

Segundo Paulo Guedes, o governo vai honrar o compromisso de limitar os gastos públicos abaixo do teto – e isso pode levar ao fim do novo programa social, o Renda Cidadã.

16 de outubro de 2020
20:28 - atualizado às 20:38
Paulo Guedes, ministro da Economia
Imagem: Anderson Riedel/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, aproveitou a noite desta sexta-feira (16) para para rebater algumas críticas do mercado sobre a resposta do governo à pandemia. Em live promovida pela XP Investimentos, Guedes respondeu questões sobre os gastos do governo, a criação de um novo imposto sobre transações digitais e a agenda de reformas e privatizações.

O ministro da Economia afirmou que as privatizações andam em uma velocidade mais lenta que a esperada devido à paralisação causada pelo coronavírus e aspectos políticos.

Citando Correios, Eletrobras, PPSA e Porto de Santo, Guedes afirmou que o governo precisa de apenas quatro privatizações. "Disse que em 90 dias anunciaríamos quatro grandes privatizações. Isso não aconteceu. O que aconteceu? Política".

Sem rumo?

Guedes rebateu também as críticas lançadas ao governo sobre a atuação 'sem rumo' durante a pandemia. O ministro afirmou que o governo sempre teve um plano e estava preparado para a crise.

"Nós tínhamos um plano e seguimos o plano no meio da pandemia", disse Guedes ao listar as medidas emergenciais oferecidas pelo governo, como o auxílio emergencial e o programa de preservação de empregos.

Grande preocupação, o cenário fiscal também foi abordado pelo ministro. Segundo Paulo Guedes, o governo vai honrar o compromisso de limitar os gastos públicos abaixo do teto - e isso pode levar ao fim do novo programa social, o Renda Cidadã.

"Se não conseguirmos encontrar espaço para fazer um programa melhor, vamos voltar ao Bolsa Família. É melhor voltar ao Bolsa Família do que tentar fazer um movimento louco e insustentável", afirmou.

O ministro disse que o governo não vai ser populista e garantiu que o programa de renda mínima será fiscalmente sustentável, dentro da regra do teto de gastos e esse é um tema 'sem discussão'.

E as reformas?

Segundo o ministro da Economia, a agenda de reformas estão sendo retomadas, mas mais uma vez culpou o processo político pela demora, mas lembrou do apoio do Congresso nas pautas. "O tempo das reformas depende da política, mas temos que estar sempre propondo. O Congresso ajudou muito."

Nova CPMF

O ministro da Economia, afirmou ainda que não desistiu da ideia de lançar um imposto sobre transações digitais para desonerar a folha de pagamentos das empresas. No entanto, negou que se trate de uma 'nova CPMF', como o imposto vem sendo chamado

“Eu sou homem de desistir fácil das coisas? De jeito nenhum”, respondeu o ministro ao ser questionado se tinha desistido do novo imposto.

“Eu não me importo se o imposto é feio desde que ele funcione em criar novos empregos”, concluiu.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Rombo

Governo Central tem déficit de R$ 76,1 bilhões em setembro

O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 96,096 bilhões de agosto.

fechamento

Após sangria, Ibovespa acompanha Nova York e sobe 1,3%; juros recuam com Copom

Índice teve sessão de altos e baixos a princípio, mas acabou seguindo bolsas americanas e registrou maior alta em uma semana; Petrobras e Vale são destaques após balanços. Dólar marca leve ganho

plataforma de pagamentos

Em expansão, Locaweb propõe R$ 180 milhões pela empresa de tecnologia Vindi

Companhia tem até 5 de dezembro para aceitar a proposta – que, segundo a Locaweb, já foi aceita por acionistas que representam 79,33% da empresa

Para além dos shoppings

Multiplan vai retomar investimentos imobiliários em empresa separada, diz presidente da companhia

CEO José Isaac Peres disse, em teleconferência, que não pensa em abrir capital dessa eventual empresa segregada, e está otimista com o mercado imobiliário atual.

mundo em alerta

Brasil não deve ter segunda onda, mas governo tem instrumentos para enfrentá-la, diz Guedes

Ministro considerou que a única solução para a covid-19 é a vacina e alertou para a necessidade de avançar em reformas para que o governo tenha mais fôlego

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies