Menu
2020-08-28T20:27:08-03:00
Estadão Conteúdo
diga lá, ministro

É a política que define o ritmo das reformas, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira, 28, que a economia brasileira está deixando a crise da pandemia para trás e reafirmou o compromisso do governo com as reformas para a retomada ser sustentável

28 de agosto de 2020
20:27
Paulo Guedes, ministro da Economia
Imagem: Anderson Riedel/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira, 28, que a economia brasileira está deixando a crise da pandemia para trás e reafirmou o compromisso do governo com as reformas para a retomada ser sustentável. Ponderou, contudo, que a política é quem dita o ritmo das medidas econômicas.

Durante participação em conferência virtual do Instituto Aço Brasil, Guedes, que no auge da crise costumava dizer que os sinais vitais da economia seguiam funcionando, frisou que esses sinais foram reativados.

"No ano que vem, vamos ter tudo com mais intensidade", afirmou o titular da Economia. Durante sua fala, Guedes defendeu a desvinculação do orçamento, ao se queixar que o governo é pressionado entre um teto e um piso que não para de subir, numa referência a investimentos mínimos obrigatórios. Ele cobrou um pacto federativo que devolva o controle financeiro do País e reafirmou a ideia de retomar a agenda de privatizações.

Nesse contexto, citou Eletrobras, Correios, PPSA e Docas, após repetir que sua equipe trabalha para anunciar três ou quatro grandes privatizações.

"Mas é a política que define o ritmo das reformas", ponderou Guedes. "A essência da política é decidir para onde vão os recursos públicos", disse, sem deixar de observar, contudo, que o presidente "dá todo apoio às reformas".

Durante boa parte de seu discurso, Guedes reforçou o compromisso, que ele diz ser o mesmo do presidente Jair Bolsonaro, de respeito às regras fiscais e ao controle dos gastos no pós-pandemia. "Não podemos rolar a dívida em bola de neve e hipotecar o futuro de filhos e netos."

Ele também aproveitou para ressaltar indicadores que sugerem aquecimento da atividade econômica, em especial a recuperação de 1 milhão de empregos perdidos durante a pandemia, e sinais de retomada em "V". "Começou a retomada, os sinais são de aceleração econômica."

O ministro lembrou que, apesar do impacto da crise, o Brasil não sofreu um grande choque externo, citando que, enquanto as exportações para Argentina, Estados Unidos e Europa caíram, houve aumento dos embarques para a China.

Também destacou o agronegócio, decisivo, comentou Guedes, para manter tanto as exportações quanto as prateleiras cheias nos supermercados.

Além de mencionar o apoio do presidente, Guedes disse que o Congresso é reformista ao lembrar da aprovação do marco do saneamento.

Segundo ele, a reforma tributária, em comissão mista no Congresso, deve destravar o horizonte de investimentos. Em paralelo, garantiu, ao tratar da reforma administrativa, que o presidente vê o governo pronto para avançar nesta direção.

Na avaliação do ministro, o País está furando o que chamou de primeira onda da pandemia.

"Vamos atravessar a segunda onda. Já observamos o ano que vem de forma totalmente diferente", comentou durante o evento promovido pela indústria siderúrgica.

O ministro tratou ainda de rebater as criticas à sua ideia de criar um imposto sobre transações eletrônicas, garantindo que só haverá imposto novo se forem extintos outros cinco ou oito.

Quanto ao Renda Brasil, programa que, segundo ele, está em estudos finais, adiantou que nenhuma ferramenta será lançada se for insustentável.

Indústria

Guedes disse que a indústria pode esperar câmbio alto, juro baixo e impostos menores para 2021. Ele reiterou que o governo vai propor a tributação dos lucros e dividendos. "Queremos que os juros continuem baixos para que os investimentos possam ocorrer", afirmou. "A indústria pode esperar câmbio forte, juro baixo e impostos diminuindo."

O ministro disse que o governo pretende ainda atacar o custo-Brasil e reduzir o custo da energia e de logística. "Quem pagar dividendo vai pagar mais imposto. Quem reinvestir vai pagar menos imposto. Essa engrenagem cria empregos", afirmou.

Sobre o último resultado do Caged, com saldo positivo de 131 mil empregos em julho, o ministro disse que isso é prova de que a economia está se recuperando em "V". O ministro disse ainda ser "inegável" que o governo melhorou sua articulação política no Congresso e que está com uma base mais forte.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies