Menu
2020-02-29T14:08:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
sinal amarelo

Coronavírus é risco para PIB brasileiro, dia Rabobank

Instituição manteve projeção de crescimento de 2% neste ano, mas cortou estimativa para o próximo ano

29 de fevereiro de 2020
13:48 - atualizado às 14:08
Coronavírus
Imagem: Shutterstock

O surto de coronavírus é um risco negativo para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, segundo o Rabobank, embora a instituição mantenha sua projeção para o crescimento da economia brasileira neste ano em 2%. No entanto, para 2021, o banco cortou sua previsão para a alta de PIB brasileiro de 3% para 2,5%.

O Rabobank afirma que "o componente atual dos dados de sentimento econômico e do mercado de trabalho" sustenta a expectativa de um avanço de 2% do PIB neste ano, mas que há riscos para essa previsão "quando analisamos o componente da confiança na economia".

"Especialmente no final do ano, isso poderia deixar uma base menor para o crescimento de 2021", acrescenta a instituição financeira.

Segundo o banco holandês, a velocidade com que o coronavírus está se espalhando "hipnotizou os mercados e desencadeou outra aversão a risco nesta semana".

Na visão do Rabobank, apesar da desvalorização do real, que fechou cotado a R$ 4,4785 ontem , em novo recorde nominal, o hiato do produto "permanece grande" e não deve haver uma pressão inflacionária no país.

A instituição ressalta que, na próxima semana, os mercados financeiros "ficarão de olho" no resultado do PIB do Brasil no quarto trimestre de 2019. O banco prevê um crescimento de 0,7% entre outubro e dezembro, na comparação trimestral, e uma alta de 1,2% do indicador em 2019, em relação ao ano anterior.

"Apesar do ganho marginal, o cenário subjacente ainda é de uma recuperação pós-recessão muito gradual, com obstáculos cíclicos e estruturais impactando a economia brasileira", analisa o Rabobank.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

sob pressão

Inflação e redução do auxílio emergencial já derrubam vendas nos supermercados

Em outubro, a prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15) atingiu 0,94%. O resultado é mais que o dobro da inflação registrada em setembro e a maior alta para o mês em 25 anos

efeito pandemia

Setor público tem déficit primário de R$ 64,559 bi em setembro, diz BC

Em função da pandemia, cujos efeitos econômicos se intensificaram em março, o governo federal e os governos regionais passaram a enfrentar um cenário de forte retração das receitas e aumento dos gastos públicos.

AINDA RUIM

Taxa de desemprego atinge 14,4% no trimestre até agosto, a maior desde 2012

País registrou 13,794 milhões de desempregados no período, aumento de 8,5%

VAREJO COMPETITIVO

Fast Shop aposta em conceito ‘luxo’ contra gigantes

Segundo presidente da empresa, expansão em 2020 deve ser de 15% a 20%, elevando a receita do negócio para próximo (ou além) de R$ 5 bilhões

Exile on Wall Street

Tempos modernos, vícios antigos

A indústria ainda tem muito a evoluir no sentido de democratizar produtos eficientes e boas práticas que permitam ao investidor comum internacionalizar sua carteira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies