Menu
2020-08-19T17:03:43-03:00
Ricardo Gozzi
Mercados hoje

Ibovespa acentua queda e dólar vai às máximas da sessão após ata do Fed

B3 seguia na contramão dos mercados internacionais pela 3ª sessão seguida até ata do Fed pesar sobre os negócios de forma generalizada

19 de agosto de 2020
10:44 - atualizado às 17:03
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa acentuou a queda e o dólar atingiu as máximas da sessão desta quarta-feira depois da divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve Bank (o banco central norte-americano).

Depois de abrir em alta acompanhando a retomada do otimismo no exterior, o principal índice do mercado brasileiro de ações passou a cair logo nos primeiros minutos de pregão e assim persiste desde então, refletindo temores locais com o possível rompimento do teto de gastos.

A divulgação da ata do Fed arrastou os principais índices da bolsa de Nova York para o território negativo. Consequentemente, o Ibovespa acentuou o declínio. Por volta das 16h40, o Ibovespa operava em queda de 1%, aos 101.059 pontos, perto das mínimas da sessão.

Na ata, o Fed cortou as projeções para o crescimento econômico dos EUA no que resta do ano, acrescentando que a "natureza incomum" da pandemia do novo coronavírus dificulta a análise dos fatores de risco à economia.

Enquanto isso, em mais um dia de agenda vazia no cenário local, os investidores aguardavam o resultado de uma reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, à espera de notícias sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2021.

O principal temor entre os investidores é que a proposta orçamentária, que precisa ser entregue pelo governo ao Congresso até o fim do mês, sinalize algum rompimento do teto de gastos.

Também estava no radar o encontro de Maia com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e representantes da Febraban na busca por uma solução que resulte na redução das astronômicas taxas de juros cobradas por instituições financeiras nas linhas de cheque especial e rotativo do cartão de crédito.

Dólar e juro

Já o dólar disparou e passou a renovar sucessivamente as máximas da sessão tanto no Brasil quanto no exterior logo depois da divulgação da ata da mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve Bank (Fed, o banco central norte-americano).

A moeda norte-americana já operava acima da marca de R$ 5,50 desde o início da tarde desta quarta-feira em meio a persistentes temores com relação ao teto de gastos no Brasil às vésperas da apresentação da proposta de orçamento do governo para 2021.

Depois da divulgação da ata, o dólar passou a subir tanto ante moedas fortes quanto a divisas de países emergentes em meio à sinalização de riscos à recuperação econômica norte-americana em meio à pandemia do novo coronavírus.

Com isso, o dólar visita a faixa dos R$ 5,50 pela terceira vez esta semana e retorna aos níveis mais elevados ante o real desde 22 de maio, chegando à marca de R$ 5,5380 na máxima do dia.

Por volta das 16h40, a moeda norte-americana subia 1,25%, cotada a R$ 5,5352.

Já os contratos de juros futuros, depois de abrirem em queda, passaram a subir depois de o dólar ter acelerado a alta até encerrarem próximos das máximas da sessão.

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,690% para 2,780%;
  • Janeiro/2023: de 3,880% para 4,000%;
  • Janeiro/2025: de 5,680% para 5,830%;
  • Janeiro/2027: de 6,700% para 6,850%.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

A vingança das sardinhas

Podia ser o título de um filme de terror, mas está mais para uma história de superação. No jargão do mercado financeiro, sardinhas são os pequenos investidores — pessoas físicas como eu e você. No mar revolto da bolsa de valores, as sardinhas costumam virar presas fáceis para os grandes investidores — ou tubarões, como […]

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies