Menu
2020-02-13T17:14:47-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
mercados agora

Dólar vira e cai a R$ 4,33 após atuação do BC; Ibovespa recua, de olho no coronavírus

Moeda americana começou o dia em alta e bateu os R$ 4,38, mas recuou após o BC convocar um leilão de swap cambial; o Ibovespa opera em baixa, atento ao surto de coronavírus

13 de fevereiro de 2020
10:47 - atualizado às 17:14
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O dólar à vista começou a sessão desta quinta-feira (13) estressado, dando sinais de que buscaria mais recordes. A fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, somada ao clima de tensão no exterior por causa do coronavírus, levaram a moeda americana a R$ 4,38 — nível que chamou o Banco Central (BC) para o jogo.

A autoridade monetária cedeu à pressão e convocou um leilão extraordinário de swap cambial, no valor de US$ 1 bilhão — o que, na prática, significa a injeção de dinheiro novo no mercado. Somente após a movimentação do BC é que o dólar virou de trajetória e passou a cair, fechando a sessão em baixa de 0,39%, a R$ 4,3339, interrompendo a sequência de cinco altas seguidas.

Com isso, o mercado brasileiro de câmbio foi na contramão de seus pares: divisas como o rublo russo, o peso chileno e o rand sul-africano se desvalorizaram na comparação com o dólar, em meio ao clima de maior preocupação e aversão ao risco visto no exterior.

Essa cautela também afeta diretamente as bolsas globais, que vinham numa toada positiva nos últimos dias. Os índices da Ásia e da Europa fecharam em queda, enquanto as bolsas dos EUA ficam perto do zero a zero, sem força para continuar subindo

Nesse cenário, o Ibovespa acaba sendo puxado ao campo negativo:por volta de 17h10, o índice operava em baixa de 0,93%, aos 115.590,90 pontos — na mínima, foi aos 114.800,64 pontos (-1,61%).

Tensão com o coronavírus

O grande foco de apreensão entre os investidores é o salto no número de contaminados pelo coronavírus no mundo. Ontem, os dados oficiais davam conta de cerca de 45 mil pessoas infectadas, mas, hoje, esse número já está acima de 60 mil.

Os óbitos também aumentaram subitamente: agora, são mais de 1.300 pessoas mortas em função da doença — até ontem, eram pouco mais de mil.

Esse aumento expressivo joga por terra a percepção de que o surto de coronavírus estava perdendo força, e que, consequentemente, os impactos da doença à economia global seriam diminutos. Com esses números em mente, os investidores voltam a assumir uma postura mais defensiva, saindo das bolsas e aumentando a demanda por dólares.

O mercado doméstico de câmbio, assim, consegue destoar do exterior graças à atuação do Banco Central, trazendo alívio à disparada da moeda americana por aqui.

Mal estar

"Todo mundo indo pra Disneylândia. Empregada doméstica indo para a Disneylândia. Uma festa danada"

Paulo Guedes, ministro da Economia

A declaração, obviamente, gerou imenso mal estar em Brasilia — o ministro referia-se ao nível mais elevado do dólar, ao defender que combinação entre juros em queda e desvalorização do real era positiva e que, no passado, a moeda americana mais barata trazia consequências negativas ao país.

Imediatamente, houve uma enorme repercussão negativa nas redes sociais — no Twitter, os assuntos "Paulo Guedes" e "Caco Antibes" estavam entre os mais discutidos pelos usuários brasileiros. Vale lembrar que, na semana passada, Guedes já havia gerado polêmica ao chamar servidores públicos de 'parasitas'.

Juros em alta

As curvas de juros fecharam em alta nesta quinta-feira, devolvendo parte das baixas acumuladas nos últimos dias. Veja abaixo como ficaram os principais DIs hoje:

  • Janeiro/2021: de 4,22% para 4,26%;
  • Janeiro/2023: de 5,37% para 5,40%;
  • Janeiro/2025: de 6,03% para 6,07%;
  • Janeiro/2027: de 6,39% para 6,44%.

Suzano se recupera

As ações ON da Suzano (SUZB3) sobem 3,70% e aparecem entre os destaques positivos do Ibovespa, com o mercado reagindo positivamente ao balanço da companhia no quarto trimestre de 2019.

A companhia reportou lucro líquido de R$ 1,2 bilhões nos três últimos meses do ano passado, uma queda de 61% na base anual — o resultado, no entanto, representa uma reversão em relação às perdas de R$ 3,46 bilhões registradas no terceiro trimestre de 2019.

O dado que agradou os investidores, no entanto, foi a redução nos estoques de celulose, que superou as expectativas dos analistas e abriu a possibilidade de uma dinâmica de preços mais favorável em 2020.

Top 5

Veja as cinco ações de melhor desempenho do Ibovespa no momento:

  • Usiminas PNA (USIM5): +4,36%
  • Marfrig ON (MRFG3): +3,90%
  • Suzano ON (SUZB3): +3,70%
  • BTG Pactual units (BPAC11): +2,64%
  • Cia Hering ON (HGTX3): +2,49%

Confira também as maiores quedas do índice:

  • Ecorodovias ON (ECOR3): -3,01%
  • Rumo ON (RAIL3): -2,86%
  • Santander Brasil units (SANB11): -2,60%
  • Braskem PNA (BRKM5): -2,57%
  • Fleury ON (FLRY3): -2,52%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements