Menu
2019-07-21T10:34:10-03:00
Estadão Conteúdo
AIRBNB

“Não vamos aceitar alegações de concorrência desleal”, diz Leonardo Tristão

No ano passado, o impacto econômico do serviço – que inclui refeições, passeios e outros gastos que os turistas fazem além da hospedagem – foi de R$7,7 bilhões, alta de 92% em relação a 2017

21 de julho de 2019
10:34
Celular acessa o Airbnb
Airbnb: em 2018, a empresa registrou 3,7 milhões de hospedagens no País - Imagem: Shutterstock

Leonardo Tristão é veterano das gigantes de tecnologia no Brasil: já passou pelo Google e liderou o Facebook. Há quatro anos comanda o serviço de turismo Airbnb - foi sob sua batuta que a empresa se tornou, por exemplo, parceira dos Jogos Olímpicos do Rio. Em 2018, a empresa registrou 3,7 milhões de hospedagens no País, alta de 640% na comparação com a temporada do evento esportivo.

No ano passado, o impacto econômico do serviço - que inclui refeições, passeios e outros gastos que os turistas fazem além da hospedagem - foi de R$7,7 bilhões, alta de 92% em relação a 2017.

Na entrevista a seguir, Tristão discute temas como crise econômica, ameaças de regulação e a preparação da empresa para abrir capital. "Não vamos aceitar alegações de concorrência desleal nem de que não pagamos impostos", afirmou.

O sr. ajudou empresas como Google e Facebook a entrar no Brasil. Agora, está há quatro anos no Airbnb. Qual é o balanço?

Quando entrei, o objetivo era colocar o Airbnb no mapa. Sempre acreditei no potencial do brasileiro para experimentar novas tecnologias. Tivemos marcos: nos Jogos Olímpicos, conseguimos que 80 mil pessoas tivessem hospedagem. Os anfitriões entenderam que podiam gerar riquezas com seus imóveis ou quartos fechados. Hoje, 69% dos anfitriões no Brasil dizem que a renda do Airbnb os ajuda a manter o imóvel. Já o turista entendeu que podia viajar, mesmo na crise. Fechamos 2018 com 3,7 milhões de chegadas. Em 2016, foram 500 mil estadias.

O crescimento do Airbnb seria tão grande sem a crise?

É difícil dizer. Sem a crise, haveria mais dinheiro circulando. Por outro lado, em uma pesquisa recente, 27% dos nossos viajantes disseram que não teriam viajado ou não teriam ficado tanto tempo se não fosse a opção do Airbnb.

O que o Brasil representa hoje para o Airbnb?

Não posso revelar números por conta da preparação para a abertura de capital. Mas nesse estudo recente que fizemos, mensuramos que o Airbnb gerou R$ 7,7 bilhões em impacto econômico no País em 2018. É o 13.º lugar entre os 191 países onde estamos. Ao todo, o Airbnb gerou US$ 100 bilhões em impacto no mundo todo. Agora, queremos entender como podemos pulverizar esse impacto pelas cidades do Brasil, além dos grandes destinos turísticos.

Nos últimos tempos, discute-se a regulação do Airbnb, em nível federal e municipal.

A regulamentação não pode olhar o passado, mas sim o futuro. No Brasil, nossa atividade é legal e se enquadra na lei do inquilinato. Cresci com meus pais alugando casas de praia no verão. Qual a diferença de fazer isso pela internet? Ajudamos a organizar e demos escala e segurança para as partes. Tradicionalmente, negócios estabelecidos tentam criar barreiras. Não vamos aceitar alegações de concorrência desleal ou de que não pagamos impostos.

No Brasil, muitos anfitriões optam por colocar seus imóveis na mão de administradores. Isso não vai contra o conceito da plataforma?

Não é ruim. Percebemos que, em muitas casos, as pessoas querem hospedar, mas não têm tempo para fazer a entrega de chaves. Para nós, os empreendedores de acomodação ajudam anfitriões a tornar disponíveis seus espaços. Isso não significa que não exista troca de experiências entre hóspede e anfitrião. É uma evolução natural do negócio.

O que a abertura de capital deve significar para o usuário?

Aqui no Brasil, não há impacto diferenciado. Já vivi isso em outros carnavais e sei que o segredo é continuar tocando o negócio independentemente dos fatores externos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Já sabe quais os melhores investimentos até o fim do ano? Baixe de graça nosso eBook exclusivo com as melhores dicas.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

LUTO

Morre presidente da Samsung, aos 78 anos

Lee Kun-hee foi responsável por transformar a companhia em um dos maiores conglomerados do mundo

INFLAÇÃO

Custo alto deve se manter até 2021 no material de construção

Superaquecimento de itens é reflexo de distorção entre oferta e demanda, diz pesquisadora da FGV

“efeito de três pontos”

O [mau] comportamento dos mercados: as semelhanças entre a trajetória do câmbio e de uma bola de basquete

O câmbio vai oscilar ao gosto das notícias – das guerras comerciais à falta de agenda econômica do governo federal. Mas existe um estranho – e ainda pouco compreendido – “efeito de três pontos”.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies