Menu
2019-06-05T12:06:08-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Venda na bolsa

Sócios do BTG Pactual podem colocar até R$ 3 bilhões no bolso com venda de ações em oferta

Volume ficou acima do inicialmente anunciado pelo banco, que era de R$ 2 bilhões. Só neste ano as ações do BTG dobraram de valor na bolsa

5 de junho de 2019
12:06
trading floor btg pactual

Os controladores do BTG Pactual podem colocar no bolso até R$ 3,026 bilhões com a oferta de certificados de ações (units) do banco (BPAC11) na bolsa.

O volume, que ficou acima dos R$ 2 bilhões anunciados inicialmente pelo banco, tem como base a cotação de fechamento dos papéis ontem (R$ 46,71) e a venda de todos os lotes previstos na oferta.

O anúncio dos detalhes da operação colocou pressão nas units do banco - que representam uma ação ON e duas PNA. Por volta das 11h50 desta quarta-feira, os papéis eram negociados em queda de 3,75%, cotadas a R$ 44,96. Confira também a nossa cobertura completa de mercados.

As ações que serão vendidas na oferta pertencem à BTG Pactual Holding, que reúne as ações dos principais sócios e detém hoje 76,5% do capital. Os controladores venderão os papéis em um bom momento. Só neste ano as ações dobraram de valor na bolsa.

O G7, grupo dos principais sócios do BTG, hoje é composto por apenas cinco integrantes: Roberto Sallouti, Renato Santos, Antonio Porto, Guilherme Paes e André Esteves.

Além deles, quem mais deve embolsar dinheiro com a oferta é Marcelo Kalim, que saiu para criar o banco digital C6 Bank, mas manteve suas ações.

Os sócios planejam vender 48 milhões de units na oferta, o equivalente a R$ 2,242 bilhões ao preço de ontem. Mas podem se desfazer de mais 16,8 milhões de papéis dependendo da demanda dos investidores. A definição do preço por ação acontece no próximo dia 11 de junho.

Nível 2 e varejo

O BTG anunciou a oferta de ações na semana passada, junto com o plano de criação de uma unidade para cuidar dos negócios digitais. O objetivo é conquistar a sexta posição entre os bancos de varejo no país.

Em entrevista na semana passada, o presidente do BTG, Roberto Sallouti, disse que a venda de ações atende a um pedido dos investidores por uma maior liquidez dos papéis na bolsa.

Além da oferta, o BTG vai aderir ao Nível 2 de governança corporativa da B3, outra demanda do mercado. A B3 já autorizou o banco a ter as units listadas no segmento com um percentual de ações em circulação de 21%, abaixo do mínimo exigido de 25%.

A oferta de ações é liderada pelo próprio BTG Pactual, além dos bancos Morgan Stanley, UBS e Bradesco BBI - sendo que este último atuará também como coordenador adicional, a fim de evitar potenciais conflitos de interesse.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies