Menu
2019-10-14T14:31:53-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na expectativa

Redução de juros mudará profundamente o mercado, diz Guardia

Ex-ministro da Fazenda comentou que o investidor estrangeiro ainda está esperando a conclusão da reforma da Previdência para ter um pouco mais de conforto por aqui

21 de agosto de 2019
14:11 - atualizado às 14:31
Eduardo Guardia, ministro da Fazenda
Ex-ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. - Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente do BTG Pactual Asset Management e ex-ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, avaliou que o ambiente de juros mais baixos provocará mudanças profundas no mercado financeiro nacional.

Segundo ele, entre essas mudanças estariam a busca por ativos de renda variável e maior apetite por risco entre os investidores. Guardia exemplificou com o novo patamar de 100 mil pontos do Ibovespa, que foi alcançado mesmo com a forte retirada de recursos por parte dos investidores estrangeiros.

"Quem sustentou a alta do Ibovespa foi o investidor local", destacou nesta quarta-feira, 21, durante palestra realizada na abertura do fórum sobre fundos de investimentos imobiliários (FIIs) realizado pelo GRI Club.

Esperando a Previdência

Guardia comentou que o investidor estrangeiro ainda está esperando a conclusão da reforma da Previdência para ter um pouco mais de "conforto" na sua decisão de investimento na economia brasileira.

"O investidor local saiu na frente. Mas se o Brasil seguir o rumo que tomou nos últimos três anos, tenho certeza que os investidores estrangeiros vão vir", estimou, referindo-se à agenda de reformas estruturais colocada em andamento nesse período.

O líder do banco de investimentos também disse que as várias modalidades de investimento do mercado imobiliário, desde imóveis até aplicações financeiras, se tornaram opções de maior rentabilidade no cenário de juros menores.

"Já começamos a ver notícias positivas para o setor imobiliário. O investidor não tem alternativa. Ele precisa aumentar prazo e tomar risco para ganhar rentabilidade", observou.

Em relação ao setor de fundos de investimentos imobiliários (FIIs), que já conta com mais de 360 mil investidores em bolsa, Guardia disse ver espaço para mais crescimento.

O ex-ministro também indicou não esperar que a reforma tributária em andamento culmine na retirada imediata da isenção de impostos sobre o pagamento de dividendos de FIIs. A sua expectativa é que a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, se concentre em outros temas prioritários.

"Não acredito que tenha mudança exclusiva para FIIs. Se houver alguma mudança, seria no contexto de todos os produtos isentos", citou. "Minha aposta hoje é que ele (o governo) vai focar, e não mexer em tudo ao mesmo tempo, nem que vá tomar alguma medida específica para FIIs", estimou.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Fundos de investimento

Ney Miyamoto deixa equipe de gestão da Alaska

Fundador e um dos executivos mais experientes da equipe da Alaska, Miyamoto permanece como sócio e investidor dos fundos da casa

Vai pedir música no Fantástico

CVM abre terceiro processo administrativo desde início da crise na Petrobras

O sistema da CVM não indica a apuração de eventuais operações atípicas com papéis da petroleira no período recente.

No banco de reservas

Brasil deixa time das 10 maiores economias

O País deverá fechar o ano como a 12ª maior economia em termos de valor do PIB, ultrapassado por Canadá, Coreia do Sul e Rússia.

Mercado de capitais

CVM libera bancos para fazerem empréstimos “travestidos” de debêntures

Financiamento via debêntures conta com algumas vantagens em relação ao empréstimo tradicional, como a alíquota zero de IOF

Crise

Venda de veículos cai 16,7% e tem pior fevereiro em 3 anos, diz Fenabrave

Desde 2018, quando foram vendidos 156,9 mil veículos no segundo mês do ano, o setor não tinha um fevereiro tão fraco.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies