Menu
2019-05-28T18:10:39-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bancos

Quem manda é o crédito! Bradesco ganha mercado e ações são principal recomendação do BTG Pactual

Apesar do desempenho frustrante da economia, o avanço do Bradesco na concessão de financiamentos deve garantir bons resultados para o banco neste ano, segundo os analistas do BTG Pactual

28 de maio de 2019
11:52 - atualizado às 18:10
Bradesco Acelerando
Imagem: Montagem Andrei Morais / Estadão Conteúdo / Shutterstock

Quem quer dinheiro? Emprestado, é claro. Apesar do desempenho frustrante da economia, o avanço do Bradesco na concessão de financiamentos deve garantir bons resultados para o banco neste ano, segundo os analistas do BTG Pactual.

"O crédito ainda manda", escreveram os analistas em um relatório a clientes. O BTG recomenda a compra de ações dos bancões e tem os papéis do Bradesco (BBDC4) como favoritos (top pick) do setor.

Em um encontro na semana passada na sede do BTG, os executivos do Bradesco reiteraram que esperam cumprir todas as metas estabelecidas neste ano. A expectativa do banco é atingir o ponto médio da estimativa feita para o crescimento da carteira de crédito, que varia de 9% a 13%. Ou seja, o saldo dos financiamentos do Bradesco deve aumentar 11% em 2019.

"Uma economia mais fraca deveria, em tese, levar a um menor crescimento do crédito, mas o Bradesco não está desacelerando. De fato, o banco está ganhando participação de mercado", afirmam os analistas do BTG, que possuem recomendação de compra para as ações do banco, com preço-alvo de R$ 46,00. No pregão de ontem, os papéis fecharam cotados a R$ 34,75.

As ações do segundo maior banco brasileiro acumulam alta de 8,15% em 2019, em linha com o Ibovespa (7,94%). Mas no acumulado dos últimos 12 meses a valorização de 41% dos papéis do banco supera de longe os 20% do principal índice da bolsa. Confira também a nossa cobertura completa de mercados hoje.

Além de emprestar mais, o Bradesco deve se beneficiar do cenário de menor concorrência em meio à turbulência política, o ritmo lento da economia e o menor apetite da concorrência, de acordo com os analistas. Isso significa que o banco sofrerá menos pressão sobre os spreads, o que significa mais receita (e resultados) para os acionistas.

Maquininhas e investimentos

Se no crédito o céu é de brigadeiro para o Bradesco, o mesmo não se pode dizer nas receitas com serviços e tarifas. A decisão do Banco Central de limitar as taxas cobradas nas operações com cartão de débito e pressão da concorrência na chamada "guerra das maquininhas" afetaram o banco, que é um dos controladores da Cielo (CIEL3).

A queda da taxa básica de juros e a competição com as plataformas de investimento independentes também reduziram os ganhos com as taxas de administração dos fundos.

Mesmo assim, a expectativa dos executivos do banco é atingir o piso da projeção para o crescimento das receitas de serviços, que varia de 3% a 7%, segundo o BTG.

E o Next?

No encontro com os analistas do BTG, os executivos também detalharam a estratégia para o Next, o seu banco digital. Próximo a conquistar o primeiro milhão de clientes, o Next passará a operar de forma independente, mas valendo-se do conhecimento do Bradesco na concessão de crédito.

O objetivo final, porém, é fazer do Next a espinha dorsal de um potencial "SuperApp", aplicativos que reúnem vários serviços. "Acreditamos que é justo dizer que o Next deve ser visto como uma apólice de seguro do Bradesco para o futuro", escreveram os analistas do BTG.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Altas e baixas

Klabin, Eletrobras, Ultrapar e BR Distribuidora: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As units da Klabin (KLBN11) reagem positivamente à compra de ativos da IP Brasil, enquanto as ações da Eletrobras sobem após o balanço trimestral da companhia

recomendação

Magazine Luiza, Pão de Açúcar e Vivara são melhores opções do varejo, diz XP

Corretora divide as ações das empresas em duas categorias: ganhadoras de curto prazo – o que inclui serviços essenciais – e de longo prazo – varejistas com sólido caixa

período é de crise

GM propõe suspensão temporária de contratos e redução de salários, diz sindicato

Liberação dos funcionários foi uma reivindicação do sindicato, por meio de licença remunerada e sem redução dos salários.

diante da crise

Paradas, pequenas empresas não têm fôlego nem para um mês

Segundo especialistas, a maioria não tem fluxo de caixa suficiente para bancar um período longo sem receitas

Riscos

Metade das grandes empresas tem caixa para suportar até 3 meses sem receita

Metade das empresas de capital aberto tem recursos para aguentar até três meses sem faturar, segundo levantamento com 245 companhias

Horizonte negativo

Fitch revisa perspectiva do setor bancário do Brasil de estável para negativa

Segundo a Fitch, o choque macroeconômico global por causa da doença impõe “desafios de execução para todos os setores no Brasil”

nos bastidores

Em meio a crise, Hamilton Morão ganha apoio de militares

Vice foi o único dos generais quatro estrelas que despacham no palácio a se dissociar, em público, do discurso do presidente pelo fim da quarentena

Contra covid-19

UE aprova pacote francês de 1,2 bilhão de euros para empresas do país

UE aprovou nesta segunda-feira, 30, o pacote francês de 1,2 bilhões de euros para sustentar pequenas e médias empresas do país, em meio à pandemia

olho nas cifras

Contas do governo têm déficit de R$ 25,8 bilhões em fevereiro

Resultado é pior que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um déficit de R$ 20,53 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast

crise

Brasil é diferente, diz Bolsonaro ao evitar comentar isolamento nos EUA

Presidente dos EUA estendeu o isolamento social até o dia 30 de abril; Bolsonaro voltou a falar em liberar o comércio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements