Menu
Indústria hoteleira

Rede Accor traz hotel de luxo Fairmont ao Rio

Franceses investem R$ 250 milhões em meio a uma das maiores crises já vividas pelo setor

17 de novembro de 2018
9:15
Fairmont Hotel
Fachada do Fairmont Hotel em San Francisco - Imagem: Wikimedia Commons

Em meio a uma das maiores crises já vividas pelo mercado hoteleiro no Rio de Janeiro, a rede francesa Accor, líder do setor no País, está fazendo uma de suas maiores apostas individuais dos últimos anos em solo carioca: um investimento de R$ 250 milhões que será a estreia da bandeira canadense Fairmont na América do Sul. A intenção da Accor é inaugurar até abril do ano que vem a unidade, que terá 400 quartos e será um "retrofit" de uma antiga unidade do hotel Sofitel do bairro de Copacabana.

O investimento parece ir na contramão do humor do mercado hoteleiro, que é ruim no Brasil todo, mas especialmente pessimista no Rio. "O mercado carioca passa por um momento terrível", define Diogo Canteras, sócio da Hotel Invest. "É uma tempestade perfeita, do ponto de vista da economia e da segurança." Como base de comparação, exemplifica Canteras, a demanda em São Paulo caiu 23% entre 2012 e 2017 - no mesmo período, a retração do Rio foi de mais de 40%.

Com a definição do cenário eleitoral e a previsão de inauguração em abril, o vice-presidente de hotéis de alto padrão e luxo da Accor na América do Sul, Philippe Trapp, espera que o segmento mostre, até lá, algum sinal positivo.

"Não achamos que vá voltar aos níveis de 2013, mas há espaço para recuperação. Já percebemos isso, mais em São Paulo do que no Rio", diz o executivo. Para captar o maior número de clientes possível, o Fairmont de Copacabana será apresentado como um "híbrido" de hotel de negócios e de turismo.

Alternativa

O objetivo de transformar o empreendimento em Fairmont, marca que a Accor herdou em uma aquisição bilionária feita em 2016, foi justamente ampliar a variedade de bandeiras de luxo da rede no Rio, que já tem uma unidade Sofitel. Trapp diz também que o tamanho do empreendimento - que terá 400 quartos, 700 metros quadrados de espaços para eventos e duas piscinas de grande porte - se assemelha mais à proposta do Fairmont do que à da Sofitel, que costuma ter atendimento mais "butique", em edifícios de menor porte.

O aporte de R$ 250 milhões veio da empresa de investimentos da própria rede, a Accor Invest. Em casos de empreendimentos mais modestos, é comum que a Accor trabalhe também com investidores locais. Entre as cidades da sul-americanas que podem ser candidatas a ter uma unidade da marca no futuro, Trapp cita São Paulo, Buenos Aires e Santiago. "É um hotel para grandes capitais."

Para separar as propostas de suas marcas de luxo, a Accor decidiu emprestar um ar "carioca" à atmosfera do Fairmont, da arquitetura - que será inspirada no Rio de Janeiro e na arte brasileira dos anos 1950 e 1960 -, passando pelo cardápio e pelo atendimento. O executivo explica que, enquanto a Sofitel tenta ser "a França fora da França", o Fairmont se adapta à cultura das localidades onde se instala.

Saídas

Um dos desafios do Fairmont serão os preços deprimidos nos hotéis de luxo do Rio - em alguns casos, o valor cobrado caiu 50% em cinco anos, segundo Canteras, da Hotel Invest. Antes de aumentar preços, diz o especialista, a cidade terá de recuperar os turistas que perdeu: hoje, na zona sul, a taxa média de ocupação dos quartos está em 50%. Na Barra da Tijuca, cerca de 70% dos quartos passam os dias vazios.

Do ponto de vista do turismo de negócios, Canteras vê o aumento dos royalties do petróleo, que poderão animar um pouco a combalida economia fluminense. Para recuperar o viajante a lazer, o sócio da Hotel Invest vê apenas uma saída de efeito mais imediato: a conquista do cliente paulistano. "Não há destino mais conveniente para quem mora em São Paulo." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Poder

Congresso impõe agenda própria a Bolsonaro

Já são seis as iniciativas traçadas pelo Congresso para garantir maior influência e poder político após o abandono do presidencialismo de coalizão

Aviação

Segundo NYT, outro jato da Boeing pode ter problemas de segurança: o 787 Dreamliner

Segundo reportagem do New York Times, na fábrica do 787 na Carolina do Sul são comuns os casos de resíduos metálicos e ferramentas esquecidos dentro de aeronaves, além de peças defeituosas instaladas; até chiclete segurando o acabamento de uma porta já foi encontrado

O LEMA DE SÃO TOMÉ

Por que os gringos estão com o pé atrás em relação ao Brasil e à bolsa?

Apesar de o Ibovespa acumular alta em 2019, o fluxo de recursos estrangeiros para a bolsa no mercado à vista está negativo. Com a reforma da Previdência avançando aos trancos e barrancos, os gringos estão como São Tomé: só acreditam vendo

Transparência

Guedes defende mesma transparência do Copom para política de preços da Petrobras

Em entrevista, ministro voltou a defender que a estatal é livre para definir os preços

Petróleo

ANP nega mais prazo à Petrobras; campos terrestres irão para oferta permanente

Agência reguladora negou mais prazo para a estatal apresentar um plano de desativação de campos terrestres que não estão em produção há mais de seis meses

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Siga o dinheiro

A vida dos milionários costuma fascinar as pessoas que ainda não chegaram e talvez nunca cheguem lá. Esse é o tipo de tema que costuma despertar as paixões humanas: admiração, inveja, raiva ou simplesmente a questão aspiracional. Quem não nasceu em uma família endinheirada certamente já pensou em como seria a sua vida se fosse […]

Atualização

Avianca cancela mais de 1.300 voos até dia 28

Guarulhos, Brasília e Galeão são os aeroportos mais prejudicados pelos cancelamentos. Já Congonhas e Santos Dumont parecem ter sido poupados

Piora nas contas

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018

Devido à deterioração das contas dos Estados e municípios, movimento de melhora das contas públicas pelo resultado oficial não aconteceu no estrutural, que apresentou piora no ano passado

Preço do diesel

Em áudio, Onyx diz que governo deu uma ‘trava na Petrobras’

Ministro da Casa Civil diz que os caminhoneiros podem ficar sossegados que o governo tem trabalhado para resolver o problema deles

Na mira de quem tem grana

Para que cidades os milionários estão se mudando?

Estudo mostra que Dubai, Los Angeles, Melbourne, Nova York, Sydney, Miami e São Francisco caíram nas graças dos endinheirados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu