🔴 META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM 2 OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
SD ENTREVISTA

Moura Dubeux (MDNE3) quase triplica de valor na B3, amplia vendas no 1T24 e CEO diz quando deve pagar dividendos

A alta é apoiada pelo ciclo de queda dos juros e pelos resultados sólidos apresentados pela empresa, que é líder de mercado no Nordeste

Larissa Vitória
Larissa Vitória
10 de abril de 2024
6:11 - atualizado às 10:27
Fotografia de Diego Villar, CEO da Moura Dubeux
Diego Villar está na Moura Dubeux há mais de 12 anos e ocupa o cargo de CEO desde 2019 - Imagem: Divulgação

Com um salto de mais de 192% nos últimos 12 meses, as ações da Moura Dubeux (MDNE3) registram a segunda maior alta entre os pares listados na B3. O desempenho da incorporadora com foco no Nordeste desbancou inclusive gigantes das outras regiões com um histórico mais longo na bolsa e muito mais capitalizadas.

A alta é apoiada pelo ciclo de queda dos juros — que melhora as perspectivas e condições para toda a construção civil — e pelos resultados sólidos apresentados pela empresa, que é líder do setor na região onde atua.

Na prévia do primeiro trimestre de 2024, por exemplo, a companhia reportou alta nos principais indicadores operacionais. Os lançamentos cresceram 39,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior e alcançaram um Valor Geral de Vendas líquido de R$ 346,7 milhões.

Já na comparação com o trimestre imediatamente anterior, houve queda de 22,7%. Mas, de acordo com o CEO da Moura Dubeux, Diego Villar, essa desaceleração faz parte de uma estratégia que não é novidade na empresa.

“Sempre começamos o ano de forma otimista, mas com uma dose significativa de cautela. Aumentamos mais essa exposição no segundo trimestre, mas o maior volume sempre acontece, na média, a partir do terceiro trimestre”, afirmou Villar ao Seu Dinheiro.

15 trimestres de VSO acima dos 40% na Moura Dubeux (MDNE3)

Outro destaque das prévias foram as vendas líquidas, que registraram um volume superior ao lançado pela companhia no período. Foram R$ 372 milhões no primeiro trimestre, um crescimento de 14% ante o 1T23.

Diogo Barral, diretor de relação com os investidores da construtora, ressalta que a velocidade de vendas (VSO) manteve-se em patamar superior aos 40% pelo 15º trimestre consecutivo.

O indicador — calculado por meio da razão entre a quantidade de unidades comercializadas e a oferta disponível no período — é importante para o setor imobiliário pois mostra se a absorção dos empreendimentos lançados por uma construtora está dentro do previsto.

“Como o pessoal no eixo Rio-São Paulo está mais afastado, não consegue entender tão de perto a dinâmica local, mas os nossos números mostram que o mercado imobiliário do Nordeste está bem resiliente”, diz Barral, relembrando que a Moura Dubeux detém um market share de 25% nas praças em que opera — incluindo sete das nove capitais da região.

ONDE INVESTIR EM ABRIL: VEJA OS MELHORES INVESTIMENTOS NA BOLSA - AÇÕES, FUNDOS IMOBILIÁRIOS E BDRS

Moura Dubeux (MDNE3) deve começar a pagar dividendos em 2025

Mas, mesmo com a performance sólida impulsionando um salto de quase 200% no mercado acionário, os papéis da Moura Dubeux ainda não alcançaram o patamar observado na abertura de capital. 

Vale relembrar que a construtora veio a mercado em 2020, levantando R$ 1,25 bilhão com as ações a R$ 19 cada. Considerando o preço de fechamento de ontem, a cotação atual ainda representa uma queda de quase 25% ante o IPO.

Para Diego Villar, falta apenas um fator para que a companhia feche definitivamente essa distância e volte àquele nível: “Falta o pagamento de dividendos. E logo logo vamos iniciar as distribuições, provavelmente a partir do primeiro trimestre de 2025.”

Compartilhe

A FARRA VAI ACABAR?

A Inteligência Artificial (IA) alçou Wall Street a novos recordes — mas os investidores estão preparados se a bolha estourar?

18 de junho de 2024 - 9:39

O surgimento de empresas de ponta no ramo de inteligência artificial conseguiu driblar — ainda que momentaneamente — o mau humor decorrente das altas taxas de juros por lá

MAIS UM CAPÍTULO DA NOVELA

Petrobras (PETR4): dividendos comprometidos… de novo? O pagamento de R$ 19,8 bilhões à Receita que pode cortar a remuneração extra aos acionistas

17 de junho de 2024 - 20:09

Cálculos da própria estatal mostram que o impacto após os efeitos tributários será de R$ 11,87 bilhões no lucro líquido do segundo trimestre de 2024

É TUDO CULPA DA IA

Nem Japão, nem Cingapura: o país asiático que está se tornando a nova potência em data centers e já atraiu bilhões de big techs como Google e Microsoft

17 de junho de 2024 - 20:00

Uma cidade com quase 800 mil habitantes se tornou um dos principais destinos dos investimentos bilionários de grandes empresas de tecnologia em centros de dados

ATENÇÃO, ACIONISTA!

Dividendos e JCP: Itaúsa anuncia provento bilionário e Cemig (CMIG4) marca data do pagamento; confira os detalhes

17 de junho de 2024 - 19:15

O valor total de Juros sobre Capital Próprio e dividendos a ser pago pelas duas empresas ultrapassa R$ 3 bilhões

TECH EM FOCO

A bateria do iPhone finalmente vai melhorar? Fornecedora da Apple desenvolve bateria revolucionária — e segura —, que promete armazenar mais energia

17 de junho de 2024 - 18:29

As chamadas solid-state battery são consideradas a nova fronteira da tecnologia, ao menos no ramo de capacitância

AS RAINHAS DOS PROVENTOS

Dinheiro no bolso: As 7 ações que prometem pagar os melhores dividendos na visão do Itaú BBA

17 de junho de 2024 - 17:00

O Índice Dividendos (IDIV) do banco, que superou o Ibovespa, tem empresas de serviços públicos essenciais e de construção entre os setores de destaque

BATALHA DAS CONSTRUTORAS

Meus dividendos, minha vida: Bank of America escolhe ação favorita entre Cury (CURY3) e Direcional (DIRR3) e prevê proventos robustos para a top pick

17 de junho de 2024 - 16:35

O banco atualizou seus números para incorporar o crescimento recente do programa habitacional e o otimismo dos analistas com as construtoras de baixa renda

PAPEL QUE RELUZ

Ouro nas alturas: Metal precioso já subiu 15% em 2024 e valorização abre oportunidade para se tornar sócio desta gigante da mineração

17 de junho de 2024 - 16:16

Segundo o BTG Pactual, este é o “tão esperado ponto ideal” para quem quer se tornar sócio desta mineradora canadense; descubra qual é o papel

DIREITOS TRABALHISTAS

Vale (VALE3) consegue aval da Justiça para sair da “lista suja” do trabalho escravo — pelo menos por enquanto

17 de junho de 2024 - 10:16

A mineradora foi incluída no cadastro de trabalho escravo devido a uma situação ocorrida em fevereiro de 2015 com uma de suas contratadas em Minas Gerais; entenda a situação

PAPÉIS NO VERMELHO

Ficou barato? Cogna (COGN3) lança programa de recompra após ações perderem metade do valor na B3

17 de junho de 2024 - 9:59

De olho na maximização do retorno dos acionistas, a companhia de educação decidiu tirar 44,2 milhões de papéis de circulação do mercado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar