🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
BALANÇO

Lucro da AES Brasil (AESB3) cai no 4T23, mas Ebitda supera projeções e endividamento começa a cair

Em meio às especulações sobre uma possível mudança no controle, AES Brasil teve lucro líquido de R$ 112,3 milhões no quarto trimestre, queda de 18%

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
27 de fevereiro de 2024
9:01 - atualizado às 9:02
AES Brasil (AESB3)
AES Brasil (AESB3) - Imagem: Reprodução

Em meio às especulações sobre uma possível mudança no controle, a AES Brasil (AESB3) anunciou seus resultados na noite desta segunda-feira (26). O lucro líquido somou R$ 112,3 milhões no quarto trimestre do ano passado, queda de 18% em base anual de comparação.

Apesar da queda nos últimos três meses do ano, a empresa de geração de energias renováveis teve lucro de R$ 333,3 milhões no acumulado de 2023, alta de 4,1% em relação a 2022.

Um dos destaques do resultado foi o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). O indicador que o mercado usa como medida da capacidade de geração de caixa somou R$ 511,1 milhões no quarto trimestre, um aumento de 42%.

"O Ebitda da AES superou nossas estimativas principalmente pelas melhores margens causadas pela maior geração hídrica e melhores resultados de comercialização", escreveram os analistas do JP Morgan, em relatório.

Com o avanço, a margem Ebitda alcançou 52,5% no quarto trimestre, crescimento de 5,2 pontos porcentuais em relação a igual intervalo do ano anterior.

AES Brasil (AESB3): dívida começa a pesar menos

Uma das principais preocupações em relação à empresa controlada pelo grupo norte-americano AES é o endividamento. Tanto que os controladores estão desde o ano passado em busca de um sócio que injete dinheiro novo na companhia.

Mais recentemente saíram notícias de que o grupo norte-americano pode deixar o país. Lembrando que a AES Brasil também tem no quadro de acionistas relevantes o BNDES e o investidor Luis Barsi Filho.

Enquanto o futuro societário segue indefinido, a AES Brasil deu alguns passos operacionais importantes. O grupo encerrou o ano com uma dívida líquida de R$ 9 bilhões, equivalente a 5,31 vezes o Ebitda. Trata-se de uma redução de 0,30 ponto percentual no trimestre e de 0,21 ponto em 12 meses.

"O último trimestre de 2023 marca o início do ciclo de desalavancagem da companhia, impulsionado pela conclusão da fase de alto investimento na construção de 1,0 GW de capacidade instalada e pelo início da operação desses projetos", escreveu a AES Brasil, no relatório que acompanhou o balanço.

No trimestre, a geração bruta de energia totalizou 1.495,3 gigawatts-hora (GWh), elevação de 98,4%. No ano, as usinas da empresa produziram 4.903,5 GWh, crescimento de 107,9%.

Investimentos e dividendos

Por outro lado, a AES Brasil segue com um cronograma pesado de investimentos. Entre os anos de 2024 e 2028, o grupo planeja investir aproximadamente R$ 1,3 bilhão, acima das projeções dos analistas do JP Morgan.

Por fim, a AES pretende distribuir R$ 44,9 milhões em dividendos sobre os resultados de 2023. O valor equivale a 55,0% do lucro líquido ajustado, ainda de acordo com a companhia.

LEIA TAMBÉM:

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

DADOS OPERACIONAIS

Quem foi bem e quem foi mal entre as construtoras listadas na B3 nas prévias de resultados do 1T24

17 de abril de 2024 - 6:07

Incorporadoras se aproveitaram do cenário favorável para lançar mais empreendimentos neste começo de ano; saiba quem se destacou, na visão dos analistas

RELATÓRIO OPERACIONAL

Vale (VALE3): alta na produção de minério, vendas fortes e preços baixos — o que você precisa saber sobre a mineradora no 1T24

16 de abril de 2024 - 19:35

O momento conturbado envolvendo indicações do governo e cobranças bilionárias ainda pesa sobre a Vale, cujas ações acumulam perdas no ano

NO BOLSO DO INVESTIDOR

Dona da Vivo (VIVT3) vai depositar até R$ 380 milhões na conta dos acionistas; confira os prazos para receber os JCP da Telefônica 

16 de abril de 2024 - 19:22

O montante corresponde a R$ 0,19545 por ação VIVT3. Saiba quem terá direito aos proventos e quando acontecerá o pagamento

Recuperação judicial

Americanas (AMER3) divulga resultado parcial das escolhas de pagamento feitas pelos credores; veja quanto deve receber cada grupo

16 de abril de 2024 - 19:12

No seu plano de recuperação judicial, a Americanas estabeleceu que seus credores deveriam optar como receber seus créditos devidos

A VAREJISTA DE R$ 23 BILHÕES

Mercado Livre (MELI34) “dobra a aposta” com investimento bilionário e contratações após deixar Magalu e Casas Bahia para trás

16 de abril de 2024 - 17:51

A companhia também informou a contratação de mais de 6,5 mil pessoas no Brasil, chegando a um quadro total de quase 30 mil funcionários; saiba mais

PRÉVIA OPERACIONAL

MRV (MRVE3) quebra recorde de vendas no Brasil, mas ainda queima milhões em caixa nos EUA

15 de abril de 2024 - 18:33

Na Resia, incorporadora norte-americana da MRV, há uma regra de ouro: não queimar caixa em 2024. Mas a diretriz ainda não foi refletida nos resultados do 1T24

Ranking

O Galaxy desbanca o iPhone: Apple (AAPL34) perde liderança global de smartphones no 1T24

15 de abril de 2024 - 18:17

Embora o setor esteja em crescimento, a gigante de tecnologia apresentou uma queda de quase 10% nas remessas de iPhone no primeiro trimestre do ano

NA CARTEIRA

JP Morgan tira BRF (BRFS3) da geladeira: ações da dona da Sadia e Perdigão disparam na B3 com recomendação de compra 

15 de abril de 2024 - 10:38

Analistas do banco norte-americano veem BRF barata mesmo após disparada de 173% em 12 meses na B3

FALHA NO ACELERADOR

Mais problemas para Elon Musk? Ações da Tesla caem mais de 1% com notícia sobre demissão em massa e falhas no Cybertruck 

15 de abril de 2024 - 10:10

Montadora do bilionário deve demitir cerca de 10% da sua força de trabalho global, o equivalente a pouco mais de 14 mil pessoas, segundo notícia da Reuters

A PARTIR DE 2025

Saiba como a maior produtora de alumínio do país pretende reduzir emissões em até 30% — parte da resposta: com um investimento de R$ 1,6 bilhão

13 de abril de 2024 - 13:13

A multinacional norueguesa Hydro do ramo de alumínio projeta reduzir em cerca de um terço a intensidade de emissão de dióxido de carbono (CO2) nas operações brasileiras a partir de 2025.  A controladora das maiores operações de alumina e alumínio primário no Brasil diz que a previsão é que a meta seja alcançada após a […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies