🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
ENTRE SECAS E TERREMOTOS

Mudanças climáticas geram prejuízo mundial de US$ 45 bilhões no 1T24 — e Brasil não conseguiu escapar

Das perdas vistas entre janeiro e março, apenas US$ 17 bilhões em prejuízos eram segurados, segundo dados do relatório da Aon

Camille Lima
Camille Lima
6 de junho de 2024
20:01 - atualizado às 15:49
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas - Imagem: Getty Images / Canva Pro

O mundo vivencia um dos momentos mais críticos da história no quesito mudanças climáticas. Enquanto o Brasil enfrentou uma das piores secas dos últimos anos, o Japão registrou fortes terremotos e o Chile viu uma sequência de incêndios florestais. 

Combinados, os eventos climáticos e desastres naturais geraram um prejuízo econômico global de US$ 45 bilhões — equivalente a cerca de R$ 236,16 bilhões, no câmbio atual — no primeiro trimestre de 2024, segundo dados do relatório da  empresa de gerenciamento de riscos Aon.

A cifra pode espantar à primeira vista, mas surpreendentemente esse montante já chegou a ser (bem) maior. 

No mesmo período do ano passado, a quantia atingiu a marca dos US$ 149 bilhões (R$ 781,94 bilhões) — quase duas vezes maior do que a vista no primeiro trimestre deste ano. 

Se compararmos com os três primeiros meses do século XXI como um todo, o número atual também é 23,7% menor em relação à média de US$ 59 bilhões do período.

Mas das perdas vistas nos três primeiros meses de 2024, aproximadamente 64% esteve fora da cobertura dos seguros, segundo o relatório. 

Ou seja, apenas US$ 17 bilhões em prejuízos eram segurados — e, em boa parte, devido ao aumento da cobertura dos seguros contra fortes tempestades, especialmente nos Estados Unidos, após eventos climáticos na Ásia. 

Prejuízo com o terremoto no Japão

E por falar na Ásia-Pacífico, a região foi responsável pela maior parcela das perdas econômicas globais, com uma estimativa preliminar de US$ 20 bilhões, segundo o relatório.

O montante foi impulsionado pelo terremoto na península de Noto, no Japão, que liderou os incidentes climáticos com maiores perdas. Os tremores aconteceram em 1 de janeiro e resultaram em perdas estimadas em US$ 17,6 bilhões pelo governo.

Além do terremoto, os incêndios florestais no Chile em fevereiro causaram perdas econômicas estimadas em cerca de US$ 1 bilhão.

Para o restante deste ano, a expectativa é que a temporada de furacões no Atlântico Norte seja “extremamente ativa”, segundo a Aon, com um número elevado de furacões devido às anomalias nas temperaturas dos oceanos e ao desenvolvimento do fenômeno climático La Niña. 

Esperado para chegar no segundo semestre de 2024, esse fenômeno normalmente tende a baixar a temperatura global, causando condições mais úmidas em algumas regiões e condições mais secas em algumas partes da América do Sul.

Além disso, o fenômeno também tende a contribuir para uma temporada de furacões mais violenta no Atlântico. 

“Isso tem implicações diretas para a segurança das comunidades costeiras e para a indústria de seguros”, afirmou a Aon. 

 O prejuízo brasileiro com as mudanças climáticas

Enquanto isso, no Brasil, algumas regiões enfrentam uma das piores secas dos últimos anos no primeiro trimestre, agravada pelos efeitos do El Niño — que elevou as temperaturas no país.

A situação climática resultou em perdas econômicas estimadas em US$ 1,3 bilhão entre janeiro e março de 2024. 

A seca impactou severamente a agricultura e o abastecimento de água ao longo do país no período.

Além da seca, entre fevereiro e março, o Brasil ainda vivenciou fortes chuvas, inundações e deslizamentos de terra. 

Com as inundações em São Paulo, as perdas econômicas chegaram a US$ 120 milhões. Enquanto isso, em Minas Gerais, o prejuízo somou US$ 25 milhões.

Compartilhe

BOMBOU NO SD

Ações da BYD ‘esnobadas’ por Warren Buffett, como reverter a usucapião e a fuga dos milionários: confira os destaques do Seu Dinheiro na semana

23 de junho de 2024 - 11:05

A notícia de que o megainvestidor vendeu quase US$ 40 milhões em ações da montadora chinesa despertou o interesse dos leitores

Loterias

30 novos milionários em apenas um dia: sortudo e dois bolões levam mais de R$ 76 milhões cada na Quina de São João, enquanto Lotofácil tem ganhador único

23 de junho de 2024 - 8:33

O prêmio do concurso especial da Quina foi recorde neste ano, ultrapassando os R$ 229 milhões, e será dividido entre 29 apostadores

BC NA MIRA DO GOVERNO

Lula volta a soltar farpas contra Campos Neto e cita “nervosismo especulativo” com dólar

21 de junho de 2024 - 18:29

Presidente também chamou o líder do Banco Central de “adversário político”

DINHEIRO NO BOLSO

Receita Federal abre consulta ao segundo lote da restituição do Imposto de Renda; veja como acessar

21 de junho de 2024 - 9:09

Mais de 5,75 milhões de brasileiros serão beneficiados no segundo lote da restituição do Imposto de Renda. Contribuintes do Rio Grande do Sul fazem parte da lista de prioridades

LOTERIAS

Mega-Sena acumula e Lotofácil tem 3 ganhadores, mas só se fala na Quina de São João

21 de junho de 2024 - 5:37

Ganhadores da Lotofácil estão bem espalhados pelo Brasil; prêmio da Mega-Sena vai a R$ 86 milhões; Quina de São João corre amanhã

FUTEBOL

Brasil x Argentina: qual é a seleção mais valiosa? A resposta pode surpreender; veja os dias dos jogos da seleção na Copa América

20 de junho de 2024 - 16:12

A Copa América de 2024 começa hoje nos Estados Unidos, mas a estreia do Brasil está programada apenas para a próxima segunda-feira

LOTERIAS

Ainda não jogou na Quina de São João? Corre que ainda dá tempo; veja como apostar

20 de junho de 2024 - 5:52

Enquanto a Quina de São João se aproxima, a Lotofácil continua justificando a fama de loteria menos difícil do Brasil

SEM BOLA DIVIDIDA NO BC

Campos Neto interrompe cortes na Selic: em decisão unânime, Copom mantém a taxa básica de juros em 10,5% ao ano

19 de junho de 2024 - 18:39

A decisão vem em linha com as expectativas do mercado, que já esperava a manutenção após a deterioração do cenário fiscal brasileiro e as incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos

LOTERIAS

Enquanto a Mega-Sena acumula de novo, a Lotofácil faz o primeiro milionário da semana

19 de junho de 2024 - 5:43

Uma pessoa ganhou sozinha na Lotofácil e o prêmio da Mega-Sena está agora em R$ 60 milhões; enquanto isso, a Caixa Econômica Federal se prepara para sortear a Quina de São João

AVANÇO OU RETROCESSO?

O Banco Central vai virar empresa pública? Senado discute a autonomia financeira do BC — veja o que pensam especialistas 

18 de junho de 2024 - 19:10

Audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi realizada nesta terça-feira (18) com a presença de economistas e ex-presidentes do BC

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar