🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero com especialização em Macroeconomia e Finanças (FGV) e pós-graduação em Mercado Financeiro e de Capitais (PUC-Minas). Com passagens pelo portal R7, revista IstoÉ e os jornais DCI, Agora SP (Grupo Folha), Estadão e Valor Econômico, também trabalhou na comunicação estratégica de gestoras do mercado financeiro.
TEMPO REAL

Eleições 2022: Eduardo Leite (PSDB) derrota Onyx Lorenzoni (PL) e é eleito governador do Rio Grande do Sul

Disputa entre Eduardo Leite (PSDB) — que quase ficou fora do segundo turno — e Onyx Lorenzoni (PL) foi apertada

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
30 de outubro de 2022
16:06 - atualizado às 22:47
Eduardo Leite
Eduardo Leite (PSDB) - Imagem: Governo do Rio Grande do Sul

Após se afastar do cargo em março deste ano para tentar concorrer à Presidência da República sem sucesso, o atual governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), foi eleito em uma disputa apertada contra Onyx Lorenzoni (PL).

Com 100% das urnas apuradas, Leite se elegeu com 57,12% dos votos válidos, contra 42,88% do adversário. No primeiro turno, Onyx ficou na frente com 2.382.026 votos válidos (37,50%), enquanto o seu concorrente teve 1.702.815 votos (26,81%) — e quase não conseguiu chegar ao segundo lugar, já que Edegar Pretto (PT) ficou de fora da disputa por uma diferença de pouco mais de 2 mil votos.

Aqui também foi colocado à prova um fato curioso sobre o estado gaúcho: é o único que nunca reelegeu um governador no país. E, mesmo assim, o fez de maneira um pouco diferente, já que houve saída do cargo antes da reeleição.

Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite, 37 anos, é bacharel em direito e, antes de ser eleito governador do Rio Grande do Sul em 2018, foi prefeito da cidade de Pelotas de 2013 a 2017, onde também foi vereador.

Hoje, após a expressiva queda de representatividade de seu partido, o PSDB, no cenário nacional, é apontado como uma das lideranças capazes de dar sobrevida e renovação à sigla. Apesar disso, perdeu as prévias tucanas para o ex-governador de São Paulo, João Doria, em uma intensa batalha para ver quem seria candidato à Presidência neste ano.

Mas, poucos meses após Leite deixar a disputa, Doria também não foi capaz de angariar apoio para sua candidatura e o PSDB acabou sem candidato ao Planalto neste ano. Com isso, Eduardo Leite decidiu tentar retomar seu posto como governador, aconselhado por outros membros de seu partido com mais experiência na política. O caminho é claro — Brasília pode não vir agora, mas ele não esconde seu desejo de que esse dia chegue.

Como foi a campanha no Rio Grande do Sul

A campanha gaúcha foi marcada pelas críticas à gestão de Eduardo Leite, um novato no cargo e que lá em 2018 se dizia contra a reeleição — algo que rendeu ataques desde cedo.

Em um dos momentos mais polêmicos e mal vistos pelos eleitores, Onyx Lorenzoni falou que o povo gostaria de ter "um governador e uma primeira-dama de verdade". A declaração foi vista como homofóbica, já que Leite se assumiu gay em 2021.

Isso ajudou o candidato a receber mais apoio, tanto de personalidades quanto de políticos, inclusive de outros partidos. O episódio ajudou Leite a recuperar espaço nas pesquisas.

No último debate antes do segundo turno, ambos trocaram acusações de corrupção e um vídeo viralizou nas redes. Nele, Lorenzoni se recusa a responder as perguntas de Leite por repetidas vezes, enquanto o tucano tentava saber qual a alternativa do opositor para o atual regime de recuperação fiscal do estado.

Na disputa presidencial, Leite apoiou Simone Tebet (MDB) durante o primeiro turno, mas preferiu ficar neutro no segundo — apesar de ter recebido apoio do PT na decisão.

Já Onyx Lorenzoni, enquanto ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL), sempre apoiou sua candidatura à reeleição.

De acordo com o levantamento Ipec/RBS mais recente, Eduardo Leite hoje conta com 56% dos votos válidos, enquanto Onyx Lorenzoni tem 44%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos para mais ou para menos.

Quem é Eduardo Leite

Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite nasceu em Pelotas (RS) em 10 de março de 1985. Com 37 anos, é um dos políticos mais jovens da cena nacional. É formado em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e mestre em Gestão Pública pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Também estudou políticas públicas na Universidade de Columbia, em Nova York, nos Estados Unidos.

É filho de um advogado e de uma professora e hoje uma de suas principais defesas é a educação.

Sem esconder que seu grande sonho é o Palácio do Planalto, levar o Palácio do Piratini neste ano é um passo essencial para que o candidato dê passos mais largos — e para a sobrevivência de seu partido.

Ao lado de Romeu Zema (Novo) é um dos nomes mais cotados para concorrer à Presidência da República em 2026. Leite aproveita, inclusive, para se posicionar como contrário ao atual cenário de polarização política, tentando emplacar seu nome como uma possível via para tempos mais pacíficos.

Quem é Onyx Lorenzoni

O também gaúcho Onyx Lorenzoni nasceu em 3 de outubro de 1954 em Porto Alegre. Com 68 anos, acumula cinco mandatos consecutivos como deputado estadual e federal, além de uma formação como veterinário.

Fiel apoiador do presidente Jair Bolsonaro desde a candidatura, ele ocupou um total de quatro ministérios desde o início do atual governo: Casa Civil, Cidadania, Secretaria-Geral da Presidência da República e Trabalho e da Previdência.

Logo após a eleição de 2018, foi escolhido pelo então presidente Michel Temer para comandar o Gabinete da Transição Governamental.

O parlamentar começou sua vida política no PL, migrou para o PFL — partido herdeiro da Arena, que sustentou a ditadura militar no Brasil — e, por fim, acabou filiado ao DEM quando o PFL trocou de nome.

Ganhou projeção como opositor dos governos petistas em Brasília e sempre defendeu pautas de costumes, assim como uma economia mais liberal.

Conservador na política, liberal na economia, à direita no espectro político-ideológico, Onyx pautou sua atuação na vida pública pela defesa de bandeiras como a redução da carga tributária, o direito do cidadão à legítima defesa, a proteção da propriedade e o discurso anticorrupção. 

Lorenzoni tem quatro filhos e um deles seguiu os mesmos passos do pai — Rodrigo Lorenzoni, terceiro deputado estadual mais votado no Rio Grande do Sul no primeiro turno deste ano.

Compartilhe

PEC das Praias

Inconstitucional. É o que diz juiz do RN sobre taxa para terreno de marinha

11 de junho de 2024 - 16:04

Para o juiz, demarcação dos terrenos de marinha leva em conta informações do Brasil Imperial

GOVERNABILIDADE

Governo de Lula em perigo? Como a crise com o Congresso colocou a gestão do petista em situação “de risco”

10 de junho de 2024 - 18:02

Segundo levantamento, o I-Gov de Lula chegou ao pior patamar registrado ao longo do mandato, atingindo 40,4% em maio

DURANTE VIAGEM A PEQUIM

“O Brasil é a China dos Trópicos”: por que Alckmin usou uma frase criada há 65 anos para descrever a relação entre os dois países

7 de junho de 2024 - 16:33

Em visita a Pequim, o vice-presidente recorreu a uma frase criada pelo sociólogo Gilberto Freire para falar sobre o momento de parceria estratégica com a China

UM DRIBLE NO JABUTI

Vai ou não vai ter taxação das comprinhas da Shein, Shopee e AliExpress? Entenda de uma vez por todas o “jabuti” que será (ou não) votado no Senado hoje

5 de junho de 2024 - 10:27

O projeto de taxar as varejistas estrangeiras uniu parlamentares da oposição e da situação, que pedem uma alíquota de 20% sobre as compras feitas no exterior

ELEIÇÕES 2024

Com apoio de Lula, João Campos lidera intenções de voto no Recife; veja quem é o candidato de Bolsonaro na capital pernambucana

2 de junho de 2024 - 9:00

Além de Bolsonaro, Campos vai enfrentar candidatos apoiados pela governadora Raquel Lyra na disputa pela reeleição na prefeitura do Recife

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Quem é o melhor padrinho político na eleição para prefeitura de São Paulo? Eleitores de Lula e Bolsonaro reeditam disputa com Boulos e Nunes

1 de junho de 2024 - 16:47

Porém, o levantamento ainda indica que, seja quem for, o apoio dos protagonistas do pleito de 2022 não será capaz de transferir nem metade dos votos aos candidatos apoiados

COM A PALAVRA

Quem irá suceder a presidência na Câmara? Vice-presidente Alckmin elenca 4 “ótimos nomes” — e fala sobre eleições de 2026

1 de junho de 2024 - 14:12

A eleição acontecerá em fevereiro de 2025; como Lira já está em seu 2º mandato, não poderá concorrer novamente

BLUSINHAS MAIS CARAS

Foi pouco? Executivo diz que redução de 25% para 20% na taxação de compras internacionais em lojas como Shein, Shopee e AliExpress foi “diminuição injusta”

1 de junho de 2024 - 9:33

Apesar de diferente do ideal para os varejistas locais, a mudança ainda é favorável a eles, já que qualquer outro caminho seria mais vagaroso

COM A PALAVRA

Tarcísio copiou Haddad? Ministro afirma que ajuste fiscal do governo paulista é inspirado em plano da Fazenda

31 de maio de 2024 - 13:01

O ex-prefeito de São Paulo ainda disse que o trabalho de corte de gastos é contínuo

REVÉS NA CÂMARA

Congresso reedita disputa entre Lula e Bolsonaro e provoca derrota ao governo ao votar vetos presidenciais

29 de maio de 2024 - 11:12

Entre os reveses sofridos pelo Planalto estão a derrubada dos vetos presidenciais à “saidinha” de presos do regime semiaberto e vetos à LDO

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar