⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-14T16:36:11-03:00
Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
UM POUCO DOS DOIS

O trabalho no modelo híbrido virou realidade para a maioria dos brasileiros, mas não resolveu todos os problemas

Levantamento do Google aponta que 56% dos brasileiros já atuam no regime híbrido de forma definitiva e virou o formato favorito dos profissionais

14 de setembro de 2022
16:35 - atualizado às 16:36
modelo híbrido de trabalho
Imagem: Divulgação/Microsoft

Nem presencial e nem remoto. O modelo híbrido conquistou o seu espaço no mercado de trabalho e tornou-se o modelo definitivo para um pouco mais da metade dos brasileiros. 

O formato que alterna dias no conforto do lar e idas ao escritório é realidade para 56% dos profissionais, segundo o estudo “O Futuro do Trabalho no Brasil”, desenvolvido pelo Google Workspace em parceria com a consultoria IDC Brasil. 

Inicialmente adotado como transitório, o formato híbrido foi apontado como a melhor opção de trabalho para 73% dos entrevistados. Uma das explicações para isso é o senso de liberdade das pessoas que atuam nesse modelo. 

Além disso, cerca de 76% das pessoas que atuam no formato híbrido estão trabalhando de casa por dois ou três dias por semana. 

Contudo, o modelo único — remoto ou presencial — ainda é realidade para 44% das empresas brasileiras, sendo que 25% delas exigem a ida aos escritórios todos os dias úteis. 

O levantamento foi realizado entre abril e junho deste ano e contou com 1.258 entrevistas. 

Modelo híbrido: a mudança na percepção de liberdade

A alternância entre os dias de trabalho presencial e à distância trouxe à tona a temática da liberdade na carreira profissional, mas não só isso. 

Segundo o estudo, trabalhar dias alternados em casa e no escritório é considerado pelos trabalhadores como a chave para o equilíbrio profissional e pessoal. Essa percepção, porém, mudou em relação ao ano anterior. 

Em 2021, a possibilidade de mudar de ambiente de trabalho, ora em casa ora no escritório, era percebido como uma forma de “respiro”. Em outras palavras, a alternância ajudava os trabalhadores na sensação de poder se locomover após dias de isolamento impostos pela pandemia. 

Já neste ano, o modelo híbrido é visto de outra forma: o poder de escolha. Para os trabalhadores, escolher quais dias ir ao escritório ou cumprir a jornada diária em casa é entendido como uma opção que se adequa às suas necessidades e preferências. 

Importante na hora de escolher um emprego

Outra coisa que era inimaginável em tempos pré-pandemia era que o formato de trabalho se tornasse um fator decisório na escolha de um emprego. 

O estudo apontou que 36% dos profissionais buscam um emprego com modelo de trabalho que se alinhe às preferências pessoais que, em sua maioria, se encaixam no formato híbrido. 

Para 65% dos entrevistados que atuam no presencial somente mudariam de emprego para o formato que alterna idas à empresa e trabalho em casa. Para quem está no formato remoto, de forma integral, o número cai para 54%. 

Em geral, os trabalhadores brasileiros desejam empregos que possibilitem um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional (51%) e que possam construir um plano de carreira (49%). A questão salarial e benefícios também é considerável para 38% dos profissionais entrevistados. 

Modelo híbrido e seus benefícios em questão

A flexibilidade e a adaptação à mudança são alguns dos benefícios promovidos pelo “novo” modelo de trabalho

Para 81% dos entrevistados, a adoção ao híbrido aumentou a capacidade de se adaptarem rapidamente às mudanças que acontecem todos os dias, e 75% afirmam que ganharam mais bem-estar e saúde mental em decorrência deste formato de trabalho. 

Mas ainda há desafios… 

Apesar dos benefícios, o retorno ao escritório e as interações com os pares na jornada de trabalho são alguns desafios apontados pelo estudo. 

Segundo o levantamento, o “novo” formato de trabalho não resolve de uma vez o desafio de construir relações: 46% dos entrevistados sentem dificuldade em interagir com novos membros de um time e com pessoas de outras áreas da empresa. 

Por isso, 62% consideram essencial que novos colaboradores trabalhem mais dias do escritório durante a integração. 

Contudo, outros desafios também são enfrentados pelas empresas e trabalhadores no formato híbrido:  

  • Abraçar as particularidade de cada geração para que todos vivam a mesma experiência; 
  • Criar valor para os dias de ida ao escritório, deixando-os menos protocolar e mais atrativo; 
  • Integrar quem está chegando com que já está na empresa; 
  • Definir estratégias, mas que não tirem a autonomia das pessoas. 

VEJA TAMBÉM: 'QUERO FAZER HOME OFFICE E MEU CHEFE NÃO DEIXA': O QUE FAZER?

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

DESTAQUES DA BOLSA

Ações da MRV (MRVE3) despencam após suspensão da capitalização da Resia; veja os novos planos da construtora para a subsidiária norte-americana

7 de outubro de 2022 - 13:36

De acordo com a companhia, a operação só será retomada quando o cenário macroeconômico dos EUA estiver novamente favorável ao mercado de capitais

O caminho mais seguro

Por que você ainda deve investir em Tesouro Selic, mesmo que os juros tenham parado de subir

7 de outubro de 2022 - 13:19

Para o Itaú BBA, Selic pode permanecer alta por mais tempo do que o mercado espera, e investidor deve manter 60% da sua carteira de títulos públicos em Tesouro Selic

ELEIÇÕES 2022

Simone, Ciro “envergonhado” e até FHC: aonde esses apoios podem levar um eventual governo Lula

7 de outubro de 2022 - 13:15

O petista se movimenta de modo a angariar o máximo apoio possível e confirmar, no fim de outubro, um favoritismo que lhe é atribuído desde sua ressurreição para a política

ELEIÇÕES 2022

Zema, Moro, Garcia e Dallagnol: como esses apoios podem ajudar Bolsonaro no segundo turno?

7 de outubro de 2022 - 13:07

Presidente vem reforçando seu time para a fase final das eleições com nomes da direita da política brasileira; confira os apoios que podem fazer a diferença na reeleição de Bolsonaro

NÃO VAI COLAPSAR?

Ressuscitou? Credit Suisse tenta tranquilizar investidores sobre risco de calote e ações avançam em NY

7 de outubro de 2022 - 12:49

Entre as soluções anunciadas, a instituição financeira recomprará bilhões em dívidas e venderá um famoso hotel de quase 200 anos de história

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies